Empresa

O noticiário financeiro ficou bem agitado neste dia 15 de julho. Tudo porque o Magazine Luiza, uma das maiores varejistas do país, anunciou a aquisição do Kabum!, uma das principais redes de e-commerce focados em tecnologia da América Latina.

Foto: Kabum/Reprodução

O mercado reagiu muito bem à notícia, apresentando uma alta de 3,45% nas ações da companhia em um dia em que o Ibovespa, que representa a média do mercado acionário brasileiro, caiu em 0,73%. O otimismo dos investidores é reflexo das condições estratégicas do negócio, algo que vamos detalhar a partir de agora.

Quem é o Kabum!?

Se você não faz a menor ideia do motivo da euforia dos investidores em função da nova aquisição do Magazine Luiza, vale uma pequena apresentação do Kabum!.

Fundado no ano de 2003, em Limeira, no interior de São Paulo, a empresa tem como foco o segmento de tecnologia, sendo uma das principais empresas de e-commerce do setor. A representatividade da organização é bem significativa, com mais de oito milhões de clientes em sua carteira.

Importante mencionar que não se trata de apenas uma pequena empresa do interior paulista. O Kabum! é uma das redes de e-commerce mais fortes na América Latina e já possui, inclusive, escritório na Flórida (Estados Unidos). A presença global deixa claro: trata-se de uma marca extremamente forte no seu ramo de atuação.

Ademais, o Kabum! também é um investidor e incentivador dos e-sports, uma das modalidades esportivas que mais crescem ao redor do planeta. A equipe oficial da empresa, o Kabum! E-sports, já conquistou quatro títulos brasileiros de League of Legends (LOL), além da participação em dois campeonatos mundiais do jogo.

Como o Magazine Luiza adquiriu o Kabum!?

Para seguir com a aquisição do Kabum!, o Magazine Luiza precisou desembolsar uma quantia significativa. A negociação vai movimentar, no total, cerca de R$ 3,5 bilhões.

As estimativas não são certeiras, pois a própria negociação tem seus asteriscos. O pagamento pela aquisição do Kabum!, afinal, será dividido em três etapas. São elas:

  • A primeira parcela será um pagamento à vista, no valor total de R$ 1 bilhão.
  • Em um segundo momento, com prazo estimado de um ano e meio, serão cedidas 75 milhões de ações ordinárias da Magazine Luiza.
  • Finalmente, outras 50 milhões de ações ordinárias poderão ser envolvidas no negócio caso as metas estipuladas sejam alcançadas.

Importante mencionar que as ações ordinárias são aquelas que concedem direito de voto em Assembleia ao acionista. Ou seja, são ativos que permitem ao seu proprietário participar ativamente da gestão da empresa.

Outro ponto fundamental é que o acordo ainda deve ser aprovado pelo CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), entidade que visa garantir a livre concorrência no mercado. A princípio, não há expectativa de que a aquisição não seja aprovada. De qualquer forma, é um processo necessário.

Qual é a estratégia do Magazine Luiza ao comprar o Kabum!?

Apesar dos altos valores praticados na aquisição do Kabum!, não se pode dizer que os movimentos recentes da Magazine Luiza sejam exatamente uma surpresa. A companhia, afinal, já vinha realizando alguns movimentos que visam um público mais jovem e com interesse em tecnologia.

Podemos mencionar, por exemplo, outras recentes aquisições — caso do canal Jovem Nerd ou do CanalTech. Ambos são projetos em áreas similares, orientados para o setor de tecnologia.

Com a compra desses projetos, incluindo o Kabum!, Magalu tem um objetivo estratégico baseado em três pilares:

  • Geração de conteúdo como forma de atrair potenciais clientes, além de reforçar a autoridade da sua marca.
  • Produção de entretenimento, considerando que os projetos têm essa abertura — a produção de vídeos e podcasts são ferramentas válidas para esse objetivo. O trabalho em e-sports do Kabum! pode agregar a esta estrutura.
  • Por fim, claro, há um foco em melhorar a experiência de compra do cliente. Com tanto conteúdo produzido, fica mais fácil tomar uma decisão de consumo — e a plataforma do Magalu é naturalmente sugerida para esse objetivo.

Quais os benefícios para o Magazine Luiza nessa aquisição?

Em termos práticos e imediatos, já podemos notar algumas novidades para Magazine Luiza e Kabum! ao longo das próximas semanas.

Em primeiro lugar, há uma grande sinergia entre os negócios. Ambos trabalham com o e-commerce, estão habituados com o ambiente online e possuem um histórico recente de forte crescimento em seus resultados.

Além disso, as operações podem se complementar. Por um lado, os produtos do Kabum! estarão listados no Super App do Magalu. Por outro, o Magazine Luiza tem como ampliar a variedade de produtos do Kabum!, com a inclusão de celulares ou televisores, por exemplo.

O Kabum! ainda pode vir a receber soluções financeiras que são disponíveis para os clientes do Magazine Luiza. É o caso do cartão de crédito da marca ou do serviço de seguros. Isso sem falar em uma melhoria dos já eficientes sistemas logísticos das duas companhias.

Magalu fez um bom negócio na aquisição do Kabum!?

Todo processo de aquisição desperta um pouco de apreensão e curiosidade do mercado. No entanto, não apenas neste caso, a reação às notícias é imediata. O mercado de capitais, afinal, é marcado por expectativas. E, a julgar pelo primeiro movimento da bolsa de valores, os investidores gostaram da notícia. A alta de 3,45% nos papéis da companhia é a prova disso.

Mais do que propriamente uma análise dos valores investidos pelo Magalu nesta operação, fica evidente que a aprovação passa muito pelo posicionamento estratégico da companhia — que, mais uma vez, se mostra atenta às tendências do mercado, em especial ao segmento de tecnologia.

Não é, aliás, a primeira vez que o Magazine Luiza é destaque entre os investidores pela sua excelente gestão. Desde 2015, as ações da companhia estão entre os papéis que mais se valorizaram, convertendo a empresa em uma das "queridinhas da bolsa".

Se a compra do Kabum! foi um ótimo negócio, ainda é cedo para dizer. No entanto, é indiscutível que mais uma vez o Magazine Luiza deixa uma mensagem clara aos seus concorrentes: a gestão da companhia segue de olho em oportunidades para manter o crescimento do negócio no longo prazo. A ver quais serão os novos movimentos ao longo dos próximos anos.

Imagem do autor

Formado em Administração pela PUC-SP. Trabalhou em empresas do segmento financeiro (Itaú BBA) e varejo (BRMALLS) até 2016, quando iniciou a jornada de produção de conteúdo para a internet com foco em finanças.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais