Logo Mais Retorno
Minerio_RicardoTeles_PortalBrasil.jpeg
Economia

Tesouro resgata plano de títulos verdes de Bolsonaro para iniciar emissão ainda neste ano

Os títulos verdes são vistos como uma forma de também ajudar a voltar a atrair investidores estrangeiros para o financiamento da dívida pública brasileira; participação internacional que já foi de 20% hoje é de no máximo 10%

Data de publicação:24/01/2023 às 08:00 -
Atualizado 4 dias atrás
Compartilhe:

Dois anos depois do primeiro anúncio, ainda durante a gestão de Jair Bolsonaro, o Tesouro Nacional quer estrear o mais breve possível no mercado de títulos verdes.

"Esse projeto está sendo resgatado. É possível (que haja emissão ainda em 2023)", disse o secretário Rogério Ceron, em entrevista ao Grupo Estado.

Em janeiro de 2021, o Tesouro informou que iniciaria a construção de um arcabouço para emitir títulos ligados à ESG (sigla em inglês para padrões ambientais, sociais e de governança).

MeioAmbiente_TomazSilva_agenciaBrasil.jpg

Já se sabia que entre os estudos ligados ao projeto até a colocação prática de títulos levaria tempo, mas o ritmo do processo perdeu força por causa da pandemia de coronavírus naquele ano.

Investidores estrangeiros

Esta pode ser uma forma de também ajudar a voltar a atrair investidores estrangeiros para o financiamento da dívida pública brasileira, um dos objetivos do Tesouro atualmente.

Os não-residentes já tiveram uma participação acima de 20% da carteira de títulos brasileiros, mas atualmente a fatia não chega a 10%.

"Temos muito interesse na pauta. O Brasil está se colocando internacionalmente neste momento, procurando ser um ator relevante na pauta de mudanças climáticas, com preocupação ambiental, a transição energética e o fomento à indústria verde", citou Ceron.

"A intenção é, como o governo como um todo dá as sinalizações de que é uma agenda importante, pode ser algo bem interessante, mas não posso dar detalhes agora", desconversou.

Promessa à ministra Marina Silva

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está fora do País, em visita à Argentina, prometeu à ministra do Meio Ambiente e Mudanças Climáticas, Marina Silva, que a pauta estaria em todos os ministérios da Esplanada.

MarinaSilva_AgenciaBrasil.jpg

Mesmo antes da vitória de Lula, o Tesouro estudava o tema junto com o Banco Central e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A falta de oferta de títulos sustentáveis estaria até limitando a agenda verde do BC.

Títulos verdes públicos abrem espaço para privados

Ceron comentou que o lançamento de um título pelo governo é importante também para o setor privado.

"Com a emissão, se cria uma curva de preços para ser a referência para as emissões privadas. Depois que a gente vai ao mercado, constrói essa curva, facilita muito mais, abre o mercado para grupos econômicos que querem acessá-lo. Ter funding para fazer investimentos em energia limpa e indústria verde fica mais acessível. É uma pauta estrutural. Do lado do Tesouro, ter isso viável é importante, estamos trabalhando para isso", afirmou.

Paralelamente ao trabalho do Executivo, o Congresso Nacional também vem atuando no setor. Na Câmara, tramita o Projeto de Lei 2860/22 do deputado Otto Alencar Filho (PSD-BA), que cria o Programa de Financiamento do Combate às Mudanças Climáticas.

urnas_terra_indigena_kaxinawa_de_nova_olinda_eleicoes_ASCON_MinisterioDaDefesa.jpg

Na prática, os investidores terão de aceitar receber menos dividendos pelos títulos verdes em relação aos que existem hoje, como os vinculados à Selic, IPCA ou prefixados, por exemplo.

A diferença do prêmio maior, pelo PL, seria aplicado em projetos ambientais, como preservação de biomas e projetos sustentáveis. O texto prevê a criação de um fundo com esses recursos que seria gerido pelo Banco do Brasil e que caberá à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) definir todos os anos o montante de emissão dos títulos verdes. Já o Tesouro é que detalharia os objetivos da gestão da dívida por meio de seu tradicional Plano Anual de Financiamento (PAF). /AGÊNCIA ESTADO
 

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!

Inscreva-se em nossa newsletter