Última modificação em 23 de março de 2021

O que é swap simples?

O swap simples é uma operação financeira na qual as partes envolvidas trocam fluxos de caixa, com valor e prazo estabelecidos previamente. Nessa negociação, o montante recebido pode ser maior ou menor do que o esperado pelas empresas na assinatura do contrato, tudo dependerá dos parâmetros do acordo e das condições do mercado financeiro. 

É, portanto, um tipo de derivativo que envolve uma troca de riscos, na qual investidores ou empresas negociam a rentabilidade de diferentes ações disponíveis no mercado. 

Tipos de swap

As empresas podem utilizar diferentes tipos de swaps, os mais comuns são:

Swap Cambial 

Em um swap cambial a empresa A paga o principal e os juros do empréstimo contraído pela empresa B em uma determinada moeda.

Já a empresa B paga os juros e o principal dos juros do empréstimo feito pela empresa A em outra moeda. Os pagamentos são feitos em uma data futura, previamente estabelecida no contrato. 

O swap cambial também é utilizado pelo Banco Central para controlar o valor do real perante o dólar. Isso ocorre porque o país tem câmbio flutuante, ou seja, o governo não intervem na taxa de câmbio.

Swap de índices 

No swap de índices, as empresas trocam valores associados ao desempenho de índices de preços ou de ações. Assim, o contrato pode prever que as partes troquem o retorno financeiro atrelado à variação do DI, um indicador de retorno de renda fixa, pelo lucro obtido no Ibovespa.

Swap de taxas de juros 

Nesse tipo de swap, as empresas trocam indexadores associados aos seus ativos ou passivos financeiros, observando uma taxa de juros previamente negociada. 

Por exemplo, em um acordo de swap de taxa do DI contra o dólar, as empresas trocam rentabilidade indexada ao DI por outro indexado à variação do dólar. Em ambos os casos é preciso somar a taxa de juros prevista no contrato. 

Quem usa essa estratégia?

O swap simples é uma estratégia de proteção financeira muito usada por empresas que desejam minimizar os riscos aos quais estão expostas devido a sua área de atuação. Negócios de importação e exportação, empresas de transporte e as gestoras de fundos de investimento são alguns exemplos.

Um dos primeiros contratos de swap simples foi feito entre a IBM e o Banco Mundial. O acordo previa que a IBM pagaria todas as dívidas em dólar da instituição financeira. Por outro lado, o Banco Mundial quitaria todas as dívidas assumidas pela empresa em francos suíços e em marcos alemães. 

O objetivo do Banco Mundial era captar dólares para financiar projetos no país sem ter que pagar altas taxas de juros. Já a IBM desejava fazer empréstimos em francos suíços com taxas de juros mais atrativas do que as oferecidas nos Estados Unidos. 

O swap simples atenderia assim as necessidades das duas empresas. A IBM obteve empréstimos em francos suíços e o Banco Mundial, em dólares. As empresas pagaram os juros uma da outra, garantindo taxa de juros mais baixas do que as praticadas pelo mercado e obtendo vantagem em diferentes mercados. 

Caso as empresas tivessem trocado ouro por Ibovespa, a primeira empresa pagaria a variação da bolsa de valores para a segunda e receberia a variação do ouro. Já a segunda pagaria a variação do ouro para primeira e receberia em troca a variação da Ibovespa.

Swap tradicional x swap reverso

No swap simples o Banco Central aposta na queda do câmbio e espera ganhar com a taxa de juros. Equivale à venda de dólares no mercado futuro, já que nesse investimento a instituição financeira não acredita na valorização da moeda estrangeira. 

Já o swap reverso é usado quando ocorre quando há uma queda da taxa de câmbio. Assim, o Banco Central fixa a taxa de juros e obtêm retorno com a variação do dólar no mercado nacional. 

Termo do dia

Plano de Recuperação Judicial

O que é Plano de Recuperação Judicial? O plano de recuperação judicial, cujos requisitos para a realização estão dispostos na Lei Nº 11.101/2005, é um instrumento…