termos

IPCA-15

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:23/02/2021 às 03:02 - Atualizado 9 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O que é o IPCA-15?

Você provavelmente já escutou falar sobre o IPCA, certo? Mas e sobre o IPCA-15? Faz alguma ideia sobre o que representa essa variação de um dos nossos principais índices inflacionários? Hoje, vamos explicar essa distinção.

Em primeiro lugar, vale lembrar que IPCA é uma abreviação para Índice de Preços ao Consumidor Amplo e serve justamente para medir a inflação. Portanto, precisamos começar por entender a finalidade dessa ferramenta.

O que é inflação?

A inflação é o nome dado para o aumento dos preços ao longo do tempo. Se você pagava R$100 por uma cadeira em 2010 e ela passou a custa R$140 em 2020, isso representa que houve uma inflação de 40% para esse produto ao longo dos dez anos mencionados.

É claro que, neste caso, estamos falando sobre um produto específico e a ideia do IPCA é mais abrangente. Assim, o índice monitora uma série de produtos e serviços de modo a entender como os preços vêm sendo praticados no Brasil.

Vale reforçar que a metodologia do IPCA não é a única disponível para a avaliação do mercado brasileiro. Existem alternativas como o IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado), por exemplo.

Como funciona o IPCA-15?

Afinal, o que difere o IPCA-15 do IPCA tradicional? Basicamente, podemos dizer que o IPCA-15 funciona como uma prévia do IPCA. Ele permite que seja feita uma medição inicial do aumento dos preços antes do encerramento do mês.

Portanto, basicamente, a diferença entre os índices está no período contemplado para análise. A metodologia, contudo, permanece a mesma para ambos os indicadores. Enquanto o IPCA mantém a análise mensal fechada (começo do mês até o final do mês), o IPCA-15 utiliza do dia 16 de um mês até o dia 15 do mês posterior.

Como é calculado o IPCA-15?

O IPCA é calculado levando em consideração uma série de produtos e serviços utilizados pela população brasileira que tenha rendimento mensal entre um e quarenta salários mínimos em regiões metropolitanas como São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife, entre outras capitais.

Além disso, contempla uma série de categorias diferentes na medida em que o objetivo é justamente encontrar um indicador que seja geral ao país, tanto para mercadorias, como para os serviços. Ao todo, são mais de 450 produtos contemplados na análise que envolve os seguintes grupos:

  • Alimentação e bebidas
  • Artigos de residência
  • Comunicação
  • Despesas pessoais
  • Educação
  • Habitação
  • Saúde
  • Transporte
  • Vestuário

Dentro de cada grupo, existem ainda subgrupos que permitem uma avaliação mais específica de cada setor. Dentro de alimentação e bebidas, por exemplo, é possível monitorar o crescimento de preços de produtos específicos como arroz ou cerveja.

Qual é a função do IPCA-15?

Podemos dizer que o IPCA-15 tem duas funções principais. A primeira delas, claro, é o controle da inflação. Como se trata de uma prévia do IPCA, que é o indicador oficial de inflação do Brasil, trata-se de um bom termômetro sobre o comportamento dos preços no nosso país.

Além disso, em alguns casos, o IPCA-15 também pode ser utilizado como índice de referência para reajustes de pagamento, embora seja mais comum encontrar o IPCA em contratos.

Por que monitorar a inflação com o IPCA-15?

Não é apenas o governo que deve monitorar a inflação. Isto porque, uma vez que ela representa o aumento dos preços, isso reflete diretamente no poder de compra da população.

Ou seja, retomando o exemplo da cadeira que demos anteriormente, a nossa cadeira se tornou mais cara em 40%. Assim, caso no mesmo período o seu ganho mensal não tenha elevado no mesmo patamar, você acabou perdendo poder de compra. É por isso que é sempre importante monitorar a inflação tanto pelo IPCA, como também pelo IPCA-15.

Sobre o autor
Equipe Mais RetornoA Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Mais sobre

Inscreva-se em nossa newsletter