Última modificação em 29 de janeiro de 2021

O que é Índice de Materiais Básicos BM&FBOVESPA (IMAT)?

O Índice de Materiais Básicos BM&FBOVESPA (IMAT) é um índice da B3 que visa mensurar as variações das ações de empresas que fazem parte da indústria de materiais básicos.

Assim como outros índices, como o Índice Dividendos BM & FBOVESPA (IDIV), o IMAT é uma carteira proposta pela B3 que é formada por papéis de empresas que fazem parte desse ramo específico da indústria.

Um outro aspecto que aproxima esses dois índices é o fato de que ambos variam de acordo com as mudanças nos preços das ações que os formam. Desse modo, o IMAT é chamado de índice de retorno total.

Quais são as empresas que compõem o Índice de Materiais Básicos BM&FBOVESPA (IMAT)?

Como apontamos no tópico anterior, a composição do IMAT é dada a partir de ativos de indústrias de materiais básicos registradas na bolsa de valores brasileira.

Mas, o que exatamente são essas indústrias?

A indústria de materiais básicos é aquela responsável por fornecer à indústria de transformação a matéria-prima necessária para a produção de bens. Ou seja, esse tipo de indústria fornece bens intermediários que são os insumos usados na produção dos bens que serão consumidos pelas pessoas em geral.

No Brasil, essas empresas representam a maior parte das exportações e representam uma boa parcela do PIB (Produto Interno Bruto) do país.

Por isso, é importante para quem investe - ou pretende investir - na Bolsa de Valores conhecer e acompanhar o Índice de Materiais Básicos.

Como o Índice de Materiais Básicos BM&FBOVESPA (IMAT) funciona?

O IMAT, como já foi mencionado anteriormente, é uma carteira proposta pela B3 composta apenas por empresas do setor de materiais básicos que estão listadas na bolsa de valores.

Evidentemente, para que uma dessas empresas faça parte do índice ela deve seguir alguns critérios estabelecidos pela B3.

O primeiro, e mais óbvio, desses critérios é que a corporação deve pertencer ao setor de materiais básicos.

Um outro critério é que as ações da empresa devem ter constado em pelo menos 95% dos pregões referentes às três últimas carteiras que foram propostas.

Por fim, os ativos devem marcar presença entre os 99% mais negociados na Bolsa de Valores no período em que estavam vigentes as três últimas carteiras. Empresas que são emissoras de BDRs (Brazilian Depositary Receipt) não são consideradas para a composição do IMAT.

Além disso, também são desconsideradas da formação do índice aquelas empresas que estão em processo de recuperação judicial.

Como obter rendimentos através do Índice de Materiais Básicos BM&FBOVESPA (IMAT)?

Como esse indicador não é um tipo de ativo que pode ser negociado na Bolsa de Valores, não é possível obter rendimentos investindo nele.

Para o investidor que objetiva ter rendimentos relacionados ao valor desse índice, é possível tomar duas medidas.

A primeira, e mais evidente, é investir nas ações que o compõem. O investidor não precisa necessariamente investir em todos os ativos do índice, ele pode escolher uma ou algumas delas para ter uma carteira de ações mais diversificada.

Vale ressaltar, contudo, que apenas a avaliação do indicador não é o suficiente para que se tome uma decisão sobre onde investir. Outros fatores também devem ser levados em consideração.

Outra forma de obter lucros através desse índice é investir no ETF MATB11 - fundo de índice. Isso significa que ele visa ter uma performance o mais próxima possível da do Índice de Materiais Básicos.

Isso é possível porque 95% do fundo é formado por papéis de empresas do setor de materiais básicos, enquanto os outros 5% são investidos em outros ativos ou em posições do mercado futuro.

Essa pode ser uma boa opção para os investidores que têm conhecimentos sobre fundos e que querem variar sua carteira de investimentos.

Termo do dia

Ágio

O que é o ágio? Ágio é um termo utilizado no mercado financeiro para designar a diferença entre o valor de mercado de um produto e…