termos

Índice de Gini

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:05/09/2019 às 16:52 - Atualizado 2 anos atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O que é o Índice de Gini?

Índice de Gini (ou Coeficiente de Gini) é o nome dado à medida criada pelo matemático italiano Corrado Gini e é usada para mensurar a desigualdade de renda ao redor do mundo.

De modo geral, a amostra usada é composta pelos 20% mais ricos e pelos 20% mais pobres de um país. A relação entre o número de pessoas abrangidas e a sua renda é disposta de forma gráfica (vide imagem abaixo), onde correspondem às funções x e y, respectivamente.

índice de Gini

Nesse gráfico, a linha A representa o estado de perfeita igualdade entre a distribuição de renda e a população.

Já a linha B representa a relação real. O Índice de Gini, por sua vez, se dedica a medir a diferença entre A e B, de modo que:

  • Índice de Gini = A/(A+B)

A partir do cálculo, cria-se uma escala de 0 a 1 (por vezes traduzida em porcentagem) onde:

  • Resultados próximos a 0 indicam menor desigualdade;
  • Resultados próximos a 1 indicam maior desigualdade.

À título de curiosidade, em 2017 o Brasil tinha exatos 0,561 pontos no Índice de Gini, sendo considerado o 10° país mais desigual do mundo.

Para que serve o Índice de Gini?

O Índice de Gini é especialmente utilizado na confecção de relatórios de progresso sócio-econômico como o Índice de Desenvolvimento Humano (o IDH).

Isso porque quanto maior é a desigualdade de renda nos países, maiores são as suas dificuldades em progredir em áreas como educação, saúde, segurança pública e qualidade de vida.

Quais são as principais críticas contra o Índice de Gini?

Apesar da importância do Índice de Gini dentro do trabalho diversos cientistas sociais e pesquisadores em geral, existem ainda críticas ao método, assim como à sua aplicação como instrumento de retrato da realidade social.

Para os críticos, os equívocos se iniciam já na captação dos dados para a composição do Índice, que são tido tidos como pouco precisos a depender da fonte (como no caso de números auferidos por certos governos) e do período levantado (usando períodos curtos e isolados do ano, há um recorte muito limitado para um processo tão complexo e instável quanto é a desigualdade).

Além do mais, para os mesmos, a interpretação do Índice de Gini também não é de todo confiável. Isso porque a igualdade de renda e a justiça social nem sempre caminham juntas, de modo que utilizar a desigualdade de renda como sinônimo exato para a desigualdade de direitos numa sociedade pode gerar interpretações desconexas.

Sobre o autor
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Mais sobre
Setor secundário (empresas)

Setor secundário (empresas)

O que é setor secundário? Na economia brasileira, o setor secundário corresponde às empresas e companhias responsáveis por converter uma matéria-prima em produtos. O caso mais...

  CONTINUAR LENDO