Última modificação em 11 de maio de 2021

O que são fundos de renda fixa tradicionais?

Os fundos de renda fixa tradicionais compõem o universo dos fundos de investimentos. Eles são muito utilizados pelos investidores conservadores em função de baixos índices de volatilidade e risco, como vamos compreender ao longo do artigo.

Para começar, é importante entender que os fundos de renda fixa tradicionais são produtos classificados como renda fixa. Em outras palavras, isso significa que ao menos 80% do patrimônio deve ser alocado em produtos desta categoria — como títulos públicos ou CDBs (Certificados de Depósito Bancário). O restante, geralmente, pode ser utilizado em derivativos.

No entanto, não é que costuma acontecer nos fundos de renda fixa tradicionais, que utilizam basicamente de ativos mais seguros dessa categoria. É o caso dos populares Fundos DI. Neste caso, a obrigatoriedade passa a ser de 95% do patrimônio em títulos públicos atrelados à Taxa Selic.

Como funcionam os fundos de renda fixa tradicionais?

Talvez você esteja se perguntando qual é a real diferença dos fundos tradicionais para toda a categoria, considerando que os demais também devem utilizar de títulos de renda fixa, certo?

Basicamente, a grande diferença está nos ativos selecionados. Vale lembrar que essa classe de investimento possui três grandes grupos de produtos financeiros:

No entanto, apesar de todos os ativos pertencerem ao universo da renda fixa, os níveis de riscos são diferentes. Você tem muito mais probabilidade de um "calote" (que tecnicamente é o risco de crédito do título) emprestando dinheiro para uma pequena empresa do que para o governo ou a um grande banco.

Por isso que os fundos de renda fixa tradicionais se distanciam um pouco dos demais produtos oferecidos no varejo do mercado financeiro. Aqui, a maior parte do capital dos cotistas será alocado em títulos mais seguros e pós-fixados, atrelados aos juros. Ou seja, eles são indexados à Taxa Selic ou ao CDI.

Na prática, a maior parte dos fundos de renda fixa tradicionais utilizam da Letras Financeiras do Tesouro (LFT), que é popularmente chamado de Tesouro Selic, para alocação patrimonial. Esse é considerado o investimento mais seguro o Brasil em função do emissor (o governo) e da sua liquidez diária.

Quais são as vantagens dos fundos de renda fixa tradicionais?

A grande vantagem dos fundos de renda fixa tradicionais é a redução do risco, algo que pode agradar bastante os investidores mais conservadores, que são aquelas pessoas que têm pavor de pensar em perder dinheiro. Afinal, há baixo risco de crédito nesse produto. No entanto, não significa que não exista risco, ok? Ele apenas é menor em relação a outros fundos mais agressivos.

Para oferecer essa característica aos cotistas, os fundos tradicionais utilizam dos produtos mais seguros do mercado, como vimos no tópico anterior. Ademais, os ativos mais utilizados são aqueles que possuem rentabilidade pós-fixada, acompanhando eventuais alterações nos juros (o que é ótimo considerando que o Brasil é um país bastante instável politicamente).

Quais são as desvantagens dos fundos de renda fixa tradicionais?

Se por um lado a segurança é um destaque para os fundos de renda fixa tradicionais, isso se converte em uma rentabilidade menos atrativa em relação aos produtos de risco.

Além disso, muitos desses fundos acabam utilizando de produtos que o investidor pode acessar diretamente. Ou seja, você não precisa de um gestor para alocar o seu capital no Tesouro Selic ou um CDB de grande banco, podendo fazê-lo sem esse intermediário e gerando maior controle sobre o que é feito com o próprio dinheiro.

Termo do dia

Propriedade Privada

O que é a propriedade privada? Propriedade privada é o nome dado à qualidade específica de um bem – a de ser posse de uma pessoa,…