Última modificação em 28 de abril de 2021

O que é um fundo de índices?

Um fundo de índices é um produto que visa replicar o desempenho de um determinado índice de mercado. Eles são bem populares e facilitam o acesso de investidores a determinadas categorias de ativos.

Tecnicamente, eles são formulados através do que se chama de Exchange Traded Funds (ETF). Você pode adquirir cotas de um ETF diretamente na Bolsa de Valores, assim como as ações e fundos imobiliários, por exemplo.

O que é um índice?

Em primeiro lugar, importante destacar que os índices são, em resumo, carteiras teóricas de ativos. Ou seja, por meio de alguns critérios, os ativos serão selecionados e montam uma carteira de investimentos.

Com base nessa seleção, o índice serve como forma de monitorar o desempenho de um determinado mercado. É o caso, por exemplo, do Ibovespa. Esse é o principal índice acionário brasileiro e acompanhar o resultado das ações das principais empresas listadas no país.

No entanto, os índices originalmente não podem receber investimentos. Eles são apenas ferramentas de análise. Pensando no pequeno investidor é que as empresas do mercado financeiro optaram por criar fundo de índices, replicando esse desempenho.

Como funciona um fundo de índices?

Como mencionado, o fundo de índices tem como objetivo replicar um indicador. Pode ser o Ibovespa, o S&P 500 (índice de ações estadunidense), IFIX (índice do mercado de fundos imobiliários) ou qualquer outro que exista.

Assim, quando um investidor compra cotas de um fundo de índices, ele está basicamente investindo no índice escolhido pelo fundo para replicar. Os resultados, portanto, serão muito próximos.

Pela execução desse trabalho de criar e "copiar" uma carteira teórica de ativos na prática, a gestão de um ETF vai cobrar uma taxa de administração, assim como acontece com qualquer fundo de investimentos. Ela, contudo, costuma ser mais barata já que a gestão é mais simples.

Quais são as vantagens de um fundo de índices?

A principal vantagem de um fundo de índices é a facilidade que ele permite ao investidor individual. Por meio de produtos como os ETFs, ele consegue ter acesso a mercados sem precisar buscar uma análise qualitativa.

Isso vale especialmente para investimentos globais. Como sabemos, muitos fundos de investimentos no exterior são exclusivos para investidores qualificados. Desta forma, alguns ETFs surgem como forma de ampliar o portfólio de uma forma simples (e sem precisar de uma conta em uma corretora internacional).

Além disso, há também a questão da diversificação. Como um índice é composto por uma carteira teórica de ativos, é como se o investidor estivesse comprando diversos papéis de uma única vez. Isso facilita até mesmo o acompanhamento de resultados, já que não é preciso avaliar tão de perto individualmente cada companhia.

Quais são as desvantagens de um fundo de índices?

Por outro lado, um fundo de índices também possui seus pontos negativos. O maior deles é que, como a sua finalidade é replicar um índice, ele não vai oferecer resultados superiores ao produto copiado. Portanto, a rentabilidade estará sempre na "média do mercado".

Ou seja, se você investir no BOVA11 (que é um ETF que replica a carteira do Ibovespa), por exemplo, não deve esperar resultados superiores ao do próprio índice. Isso pode ser desanimador para quem busca superar os benchmarks do mercado financeiro.

Podemos mencionar também outro fator como desvantagem que é o excesso de diversificação. Como não há um filtro sobre as carteiras teóricas (isto é, todos os ativos são comprados nas respectivas proporções), você terá tanto bons ativos, como também aqueles ruins que participam do índice.

Portanto, o fundo de índices pode ser uma boa alternativa para quem precisa de acesso a um determinado mercado, mas não funcionará tão bem para quem deseja obter melhores rentabilidades.

Termo do dia

Política Contracionista

O que é uma Política Contracionista? Política contracionista é o nome dado a um tipo específico de política econômica, que tem como objetivo frear o mercado…