Última modificação em 23 de abril de 2021

O que são flippers?

Os flippers são investidores que adotam uma estratégia de curtíssimo prazo com as ações de empresas que optam pela abertura do seu capital na Bolsa de Valores. O nome da técnica que batiza se origina do Inglês "to flip", que significa "virar". No Brasil, criou-se o neologismo "flipagem" para esse tipo de operação.

Essa estratégia consiste em participar da Oferta Pública Inicial (IPO) de uma companhia, que nada mais é do que o processo de lançamento das ações ao mercado. Neste estágio, a empresa contrata um banco de investimentos que, após uma pesquisa, chega a uma faixa de preço justo para que um negócio abra seu capital a novos investidores.

Os flippers então optam pela participação desse processo, mas não com o intuito de se converterem em investidores de longo prazo desta companhia. O objetivo desse tipo de investidor é aproveitar de uma oscilação curta de preço, vendendo seus ativos logo no primeiro pregão na Bolsa de Valores.

Como funcionam os flippers?

A estratégia utilizada pelos flippers é relativamente simples. Consiste em participar da Oferta Pública Inicial (IPO) de uma companhia, adquirindo suas ações na oferta do Mercado Primário — que é o tipo de negociação onde a compra dos papéis ocorre diretamente com a empresa emissora.

Na sequência, assim que a companhia passar pelo seu primeiro pregão oficial, as ações adquiridas serão vendidas logo na estreia no Mercado Secundário, que por sua vez representa as negociações realizadas entre investidores, sem a participação direta da empresa que emitiu os ativos.

Em resumo, o objetivo da flipagem é aproveitar do otimismo do mercado em relação aos papéis de uma companhia. Esse momento inicial costuma ter uma alta expectativa sobre os ativos, justamente por ser uma novidade na Bolsa de Valores. Além disso, muitos investidores esperam por anos a oportunidade de se associar ao negócio.

Com esse cenário, a tendência é de que as ações de uma companhia sejam valorizadas pelo mercado em um primeiro momento. No entanto, não há qualquer garantia desse tipo de movimento, de modo que os filppers podem ser classificados como especuladores dentro da sua estratégia.

A flipagem tem riscos?

Sem dúvidas! A estratégia adotada pelos flippers é considerada de altíssimo risco justamente pelo seu caráter especulativo. Não há qualquer certeza sobre o comportamento dos papéis em sua estreia, ainda mais porque, como a operação é válida apenas para o primeiro dia, uma notícia isolada pode afetar diretamente o comportamento do mercado.

Além disso, de um modo geral, ações novas oferecem menor liquidez em relação a papéis mais consolidados no mercado financeiro. Desta forma, é preciso estar ciente deste cenário de incerteza no curto prazo antes de participar de um IPO, especialmente pensando em vender a sua posição logo na estreia em um pregão na Bolsa de Valores.

Por outro lado, em razão desse mesmo motivo, aumentam as chances de um erro de precificação do mercado no IPO de uma companhia. Esse tipo de assimetria é justamente o cenário ideal para quem deseja obter um bom potencial de lucro logo no começo da negociação do ativo.

O que os flippers analisam em uma ação?

Apesar do alto risco de uma operação, se a expectativa dos flippers se confirma (isto é, se a ação se valoriza no seu pregão de estreia) temos uma operação com ótimo potencial de lucro. Da mesma forma, em cenário adverso, o investidor precisa assumir seu prejuízo antes que as perdas sejam elevadas.

Para mitigar os riscos deste tipo de operação, os flippers utilizam alguns critérios na análise de uma ação. É o caso, por exemplo, do setor de atuação da empresa (incluindo as expectativas para o futuro da companhia) ou do volume da oferta (quanto maior o número de ações em circulação no mercado, melhor para a estratégia).

Termo do dia

Ad Valorem

O que é Ad valorem? Ad Valorem é uma expressão latina, cujo significado literal é “conforme o valor”. Essa expressão é, em geral, usada no contexto…