Última modificação em 12 de janeiro de 2021

O que é Beta Desalavancado?

O beta desalavancado é uma das diversas formas de se avaliar risco de uma empresa no mercado de capitais.

Também chamado de beta do ativo, o beta desalavancado é usado para mensurar o risco apresentado por uma empresa sem levar em consideração a influência das dívidas em seu balanço financeiro.

Isso significa que desalavancar o beta é desconsiderar o impacto financeiro causado pela alavancagem. Em outras palavras, é avaliar qual a contribuição do patrimônio de uma instituição para seu perfil de risco!

Entender como funciona o beta desalavancado, portanto, é importante para um investidor discernir sobre a volatilidade da ação de uma empresa no mercado.

Como o Beta Desalavancado funciona?

O beta desalavancado é o valor resultante de uma fórmula que pode parecer assustadora no início, mas que iremos mostrar como pode ser avaliada. Contudo, instituições como a Bloomberg divulgam valores de beta das empresas para consulta, o que pode ser mais prático para o investidor.

Para calcular o valor do beta desalavancado basta aplicar a seguinte fórmula:

β desalavancado = β alavancado/1 + ((1- t * d)/cp)), onde β alavancado é o beta estimado, t é
a alíquota de imposto, d é o capital de terceiros e cp é o capital próprio da empresa.

Essa fórmula apresenta como resultado um coeficiente que isola o componente de dívida do beta. Mas, como interpretar esse coeficiente para analisar o risco?

Bem, se o resultado desse cálculo for igual a um, então a ação avaliada é tão arriscada quanto é o mercado.

Já se o resultado obtido através da fórmula é menor do que um, o risco dessa empresa é menor do que o risco de mercado.

Por fim, se o resultado for maior do que um, o risco avaliado para essa empresa em maior do que o risco do mercado.

Essa análise de risco em relação ao mercado é geralmente feita a partir da comparação do coeficiente do beta e um índice de referência. Um índice comumente usado é o Standard and Poor’s (S&P) 500 Index.

Mas, por que considerar o risco de uma empresa baseado apenas em seu patrimônio?

Quando usamos o coeficiente de beta desalavancado para medir o risco de mercado de uma instituição, desconsideramos completamente o impacto causado por suas dívidas no balanço financeiro.

A vantagem disso é a transparência, uma vez que esse beta mostra ao investidor qual é a composição de risco relacionada à aquisição de ações da empresa.

Isso porque ao retirar o componente de dívida do cálculo, o beta desalavancado apresenta de modo mais preciso o quão estável operacionalmente é uma empresa e, consequentemente, qual o risco para o investidor.

Qual é a relação entre Beta Desalavancado e risco sistemático?

Ao analisar o coeficiente de beta desalavancado estamos tratando de um contexto mais geral do mercado, isto é, estamos falando de risco sistemático e de volatilidade.

Consideramos o risco sistemático como mais global pelo fato de ele ser aquele que impacta certo sistema financeiro como um todo, colocando todas as empresas em risco.

Desse modo, podemos concluir que o beta desalavancado é um coeficiente estatístico usado para comparar o quão volátil é uma ação em relação a volatilidade de seu segmento de forma global.

Nesse sentido, fazemos a análise do ativo: se o coeficiente for maior, ele é mais arriscado em relação ao mercado no qual se insere. Do mesmo modo, se o beta é menor, então a ação é menos arriscada em relação ao risco do mercado.

É importante deixar claro que mensurar o risco de uma instituição por meio do beta é compreender esse risco dentro de todo um segmento e não em relação a outras instituições específicas.

Isso é uma vantagem do beta desalavancado, pois ele irá permitir ao investidor decidir se uma empresa é ou não demasiadamente arriscada. Então, posteriormente, poderá decidir se o risco dentro de seu segmento traz lucros ou prejuízos.

Termo do dia

Put-Call Parity

O que é Put-Call Parity? A Put-Call Parity (ou Paridade Put-Call, em português) é um conceito aplicado ao mercado de opções, que é um mercado derivativo…