Ativo total

Última modificação em 22 de Fevereiro de 2021 às 02:30

O que é ativo total?

Ativo total é um indicador de rentabilidade que informa a soma de todos os ativos de uma empresa, ou seja, todos os seus bens ou direitos que podem gerar dinheiro no futuro. Inclusive, o ativo total abrange tanto os ativos circulantes quanto os não-circulantes.

Ativos circulantes são os recursos que serão liquidados antes do próximo exercício (no curto prazo, antes de 12 meses). Já os não-circulantes só ‘se tornam dinheiro’ no longo prazo, caso realmente se convertam em bens.

Mas por que um investidor deveria conhecer o ativo total? A resposta é simples: ele indica toda a capacidade de geração de capital de uma organização, no intervalo de 12 meses. O que pode se desdobrar em proventos para os acionistas.

Como calcular o ativo total?

Na verdade, conhecendo a definição do indicador, você já deve ter percebido que o cálculo é apenas uma soma, não é mesmo?

Ativo total = ativo circulante + ativo não-circulante

A propósito, estes são alguns exemplos de ativos circulante:

  • disponibilidades: caixa, aplicações financeiras etc.;
  • créditos: duplicatas e outras contas a receber, como juros;
  • estoques: para revenda, acabados, ainda em produção.
  • outros créditos: impostos a recuperar, aluguéis a receber, entre outros;
  • despesas antecipadas: aplicações de recursos em despesas cujos benefícios virão apenas no exercício seguinte.

Já os ativos não-circulantes são:

  • aplicações financeiras de longo prazo;
  • investimentos;
  • bens e direitos de natureza permanente usados na manutenção das atividades da empresa e dos quais ela não pretende vender;
  • recursos que a empresa possui e que não podem ser tocados ou vistos, mas possuem valor econômico, como as marcas, as patentes e os direitos autorais.

Qual a importância do ativo total?

Além dessa estimativa de geração de capital em determinado período, o ativo total também participa do balanço patrimonial e dos seus indicadores.

Balanço patrimonial 

É um relatório que resume a situação financeira de uma empresa e é composto de dados sobre os ativos (que ficam do lado esquerdo do documento), passivos e patrimônio líquido. Com o balanço patrimonial, é viável fechar as contas, ou seja, igualar o ativo total com o passivo total.

Indicadores de renda

Ainda no balanço patrimonial, encontram-se os indicadores de renda — ou indicadores de lucro, rentabilidade. São estes:

Giro do ativo 

É a relação do ativo total com a sua receita líquida. A lógica é medir se os ativos da empresa estão sendo empregados da melhor forma possível para a produção da riqueza. Quanto maior o resultado, mais saudável é o estado financeiro da organização. O giro do ativo é calculado por:

Giro do ativo = receita líquida / ativo total

Para quem investe na Bolsa, é recomendável compreender que uma boa estratégia financeira é a que objetiva aumentar as vendas e minimizar a necessidade de ativos para que elas ocorram. Essa informação pode ser extraída justamente do giro do ativo.

ROA (Retorno sobre o Ativo) 

Informa a rentabilidade total da organização. É semelhante ao ROI (Retorno sobre o investimento), mas, em vez de considerar um investimento pontual, o ROA considera todos os ativos da empresa, o ativo total. No entanto, deste cálculo, exclui-se os bens não-circulantes da companhia, como as marcas e os direitos autorais.

ROA = (lucro líquido / ativo total ) x 100

Assim, o lucro não é o único sinal positivo ou negativo de uma empresa. Nem o ativo total. Empresas que possuem menos recursos podem ter ROA maior, baseado na sua eficiência. Coca-Cola e Nike, por exemplo, que possuem bastante valor como marcas, podem manter o Retorno sobre o Ativo sempre no máximo, mas não necessariamente estarem com a rentabilidade também no auge.

Glossário de Finanças e Investimentos

Pesquise a(s) palavra(s) navegando pelo alfabeto abaixo