Economia

Serviços avançam 10% em novembro na comparação anual, diz IBGE

No mês, o volume de serviços prestados subiu 2,4%

Data de publicação:13/01/2022 às 10:57 - Atualizado 5 dias atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O volume de serviços prestados subiu 2,4% em novembro ante outubro, na série com ajuste sazonal, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços, informou nesta quinta-feira, 13, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mês anterior, o resultado do indicador foi revisto de uma queda de 1,2% para recuo de 1,6%. O resultado de novembro ficou acima da mediana das estimativas dos analistas, que previam alta de 0,1%.

Na comparação com novembro do ano anterior, houve elevação de 10,0% em novembro de 2021, já descontado o efeito da inflação. Nessa comparação, veio também muito além das previsões que eram de uma elevação de 4,8% a 7,8%, com mediana positiva de 6,7%.

Serviços
Foto: Envato

A taxa acumulada no ano de 2021 foi de elevação de 10,9%. Em 12 meses, os serviços acumulam alta de 9,5%. A receita bruta nominal do setor de serviços subiu 1,9% em novembro ante outubro. Na comparação com novembro de 2020, houve avanço de 15,5% na receita nominal.

Desempenho das atividades de serviços

Quatro das cinco atividades registraram expansão na passagem de outubro para novembro, segundo os dados da PMS.

  • Informação e comunicação: alta de 5,4%
  • Transportes: alta de 1,8%
  • Serviços prestados às famílias: alta de 2,8%
  • Outros serviços: alta de 2,9%

A única queda do mês foi a do setor de serviços profissionais, administrativos e complementares, que registrou variação negativa de 0,3%, a quarta taxa negativa consecutiva, acumulando perda de 3,7% no período.

Dados em relação ao pré-pandemia

A alta de 2,4% no volume de serviços prestados no País em novembro ante outubro fez o setor superar o nível de funcionamento do pré-pandemia. Em novembro, o setor funcionava em patamar 4,5% superior ao de fevereiro de 2020, antes do agravamento da crise sanitária.

Em novembro, os transportes passaram a operar 7,2% acima do nível pré-pandemia, de fevereiro de 2020, enquanto os serviços prestados às famílias ainda estavam 11,8% abaixo. As atividades de informação e comunicação estão 13,7% acima do pré-pandemia, e o segmento de outros serviços está 2,5% aquém. Os serviços profissionais e administrativos estão 4,2% abaixo do patamar de fevereiro de 2020.

Expectativas dos analistas para os próximos meses

"Para os próximos meses, ainda visualizamos espaço para a recuperação parcial dos Serviços Prestados às Famílias e demais atividades ligadas ao turismo, porém observamos que estes grupos têm demonstrado menor correlação com o aumento da circulação de pessoas. Vale ressaltar que, diante da mudança do perfil de consumo da população, alguns subgrupos podem não retornar ao patamar pré-pandemia, estagnando próximo aos níveis atuais".

Análise do BTG Pactual Digital

Já os analistas da Ativa Investimentos comentam que a surpresa na PMS indicam uma revisão altista do Produto Interno Bruto (PIB) de 2021, passando de uma projeção de crescimento de 4,4% para 4,6%. "Com isso passamos a esperar avanço no trimestre de 0,1% (em relação ao trimestre imediatamente anterior)" afirma a corretora. / com Agência Estados

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Monoinquilino

Monoinquilino

Você já ouviu falar de monoinquilino ou fundo mono? Neste artigo você entenderá o que é e se vale a pena investir nele!

  CONTINUAR LENDO