Empresa

Nesta semana, a Ativa fez uma troca radical na indicação de sua carteira formada por cinco ações. De uma só vez, os analistas substituíram todos os papéis. Foram retirados BR Distribuidora (BRDT3), JBS (JBSS3), CPFL Energia (CPFE3), Vale (VALE3) e Priner (PRNR3), para a entrada de Arezzo (ARZZ3), Cyrela Commercial (CCPR3), Enauta  (ENAT3), Eneva (ENEV3) e Quero-quero (LJQQ3).

Com base em análise fundamentalista , considerando cenário de curto prazo combinada com análise técnica, a que é feita sobre o movimento dos papeis mostrado em gráficos, a cada semana, a gestora vai trocando os papeis, retirando os que já subiram muito ou não contam com potencial de alta e colocando as mais promissoras na valorização. O desempenho da carteira é comparado constantemente à evolução do Índice Bovespa.

Análise grafista do Índice Bovespa mostra tendência de alta no médio prazo

Além de considerar dados dos recentes balanços trimestrais e perspectivas de curto e médio prazo para os papeis, a definição da carteira se baseia nas análises grafistas da Bolsa e das ações, diária e semanal. Trata-se de uma composição voltada para investidores que buscam estar expostos às oscilações de curto prazo do mercado. Veja a seguir:

Análise grafista mostra tendência de alta para a Bolsa

Segundo os analistas da Ativa, o Índice Bovespa segue em tendência de alta no médio prazo. Já no curto e curtíssimo prazo o Índice encontra resistência ao nível de 122 mil pontos, mas que se rompido pode levar o mercado aos 123 mil pontos para em seguida alçar o topo histórico aos 125 mil pontos.

Ao mesmo tempo, no movimento de baixa, indica a análise grafista, se furar os 119.500 pontos, o Índice tende a buscar os 118.500 pontos para depois derreter para os 117 mil pontos. O que indicaria uma reversão de tendência, que é de alta no curto prazo.

Arezzo – o gráfico semanal mostrou que o papel depois de reverter uma tendência baixista voltou a subir, rompendo sua máxima histórica e com excelente volume. O que é uma indicação da continuidade da tendência de alta. A ação está sendo negociada hoje a R$ 85,05, com queda de 0,48%. Tem como próximo alvo, para os analistas, os R$ 87,60.

Cyrella - No gráfico semanal, o ativo acelera movimento de alta, confirmando rompimento das médias, com bom volume. Papel tem como próxima resistência R$ 14,00 e posteriormente, R$ 15,60. Nesta terça, o papel está cotado a R$ 12,60, com queda de 1,95%.

Enauta - No gráfico semanal, após 3 semanas de forte queda, o ativo se segura na média, deixando um padrão de candle (diferença entre preço de abertura e fechamento do papel em um mesmo pregão) que indica retomada do movimento altista. Rompendo o nível de R$ 15,00, papel tem espaço para buscar R$ 16,40 e, posteriormente, o topo histórico. Nesta terça-feira, a ação está negociada a R$ 15,12, com queda de 0,85%.

Enev - No gráfico semanal, o ativo rompe médias, indicando retomada do movimento de alta, tendo como próxima resistência os R$ 18,40. No pregão de hoje, o papel está sendo negociado a R$ 16,66, com alta de 0,97%.

Quero-quero - No gráfico semanal, após tentativa de engatar um movimento de baixa, papel volta a subir com entrada de fluxo comprador e bom volume. Papel tem como próxima resistência a região de topo histórico e posteriormente, R$ 22,70. O papel é negociado hoje a R$ 20,12 com alta de 1,62%.

Para uma comparação com a evolução do mercado, vale dizer que a carteira da Ativa subiu 0,19% na última semana, 3,95% neste ano, e 48,69% em 12 meses; já o Ibovespa teve queda de 0,13% na semana, alta de 2,41% neste ano e 56,51% nos últimos 12 meses.

Imagem do autor

Editora do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mercado Financeiro
Mercado Financeiro
Mercado Financeiro
Empresa
Veja mais Ver mais