Logo Mais Retorno
Finanças Pessoais

O tripé de investimentos: Rentabilidade, Segurança e Liquidez

Você já ouviu falar no tripé de investimentos? Muitas vezes, ficamos impressionados com altos retornos que algum determinado investimento oferece. Entramos nele sem olharmos para todo…

Data de publicação:21/11/2018 às 15:13 -
Atualizado 16 dias atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Você já ouviu falar no tripé de investimentos?

Muitas vezes, ficamos impressionados com altos retornos que algum determinado investimento oferece. Entramos nele sem olharmos para todo o cenário e isso pode ser um erro.

Acho que como em qualquer coisa na vida, em finanças também precisamos abrir mão de algo para termos do que desejamos.

É por isso, que não podemos ficar impressionados apenas com os retornos prometidos por aplicações.

Hoje iremos conhecer melhor quais outros parâmetros levar em conta quando pensarmos em investir.

O que é Rentabilidade no tripé dos investimentos

Como não poderia deixar de ser, vamos começar pela rentabilidade, que é o parâmetro mais olhado e talvez seja mesmo o mais importante. Afinal, é o que buscamos ao deixar de termos dinheiro no nosso bolso para manter o dinheiro investido.

A rentabilidade é o mais fácil e você já deve entender sobre isso.

Trata-se do retorno que determinado investimento oferece – ou pode oferecer – em um dado período.

Auferimos esse retorno em percentual, geralmente em base anual. Por exemplo, determinado investimento irá nos oferecer 10% ao ano. Se você investir R$1.000,00 nessa aplicação, terá R$ 1.100,00 ao fim do primeiro ano.

Como o regime geralmente é por juros compostos (o popular “juros sobre juros”), no segundo ano serão os 10%, só que em cima de R$ 1.100.00 agora, o que dará R$ 1.210,00.

Outra coisa a considerar em termos de rentabilidade é lembrar da diferença entre a nominal e a real. O que devemos considerar é sempre a rentabilidade real (a que desconta a inflação).

Por ultimo, gostaria de tocar em um ponto de quanto é uma rentabilidade boa ou não.

Bem, isso irá depender de cada economia, mas o parâmetro que irá balizar qualquer investimento é a taxa básica de juros que no caso do Brasil é a Taxa Selic.

Qualquer investimento tem de dar no mínimo esse retorno, já que não é difícil migrar seus recursos para a poupança que paga basicamente isso.

O que é Risco no tripé dos investimentos

Agora vamos ao alicerce que considero tão importante quanto o retorno de um investimento: o risco desse investimento.

Imagine que você tenha um investimento que pague um retorno de 50% ao ano. Sim, trata-se de um número bem interessante, considerando que nossa taxa de juros hoje está em 6,5% ao ano.

Agora entre a promessa de um rendimento tão bom quanto esse e seu efetivo recebimento tem um caminho a ser percorrido.

Existe sempre o risco aí: O risco de não receber esse retorno.

Na verdade, o risco está diretamente relacionado com o retorno. Ou seja, quanto maior o retorno, maior tende a ser também o risco desse investimento.

Isso é natural: quanto maior o risco, maior tem de ser a rentabilidade que tenho que receber para estar disposto a correr esse risco.

A mensuração do risco de um investimento geralmente é feita por sua imprevisibilidade, mais objetivamente por quanto varia o retorno de um investimento (formalmente, o desvio padrão disso).

O que é Liquidez no tripé dos investimentos

O último alicerce de um investimento é a liquidez dele. A liquidez está relacionada a velocidade na qual é possível transformar aquele investimento em dinheiro efetivo no bolso.

Ou seja, quanto maior a liquidez, maior a possibilidade que o investidor terá de conseguir resgatar aquele investimento a qualquer momento.

Por outro lado, caso o investimento seja ilíquido, o investidor terá problema de se desfazer dele e transformá-lo em dinheiro.

Um investimento liquido é aquele onde diversos agentes participam de sua formação de preços. Ou seja, existem diversos compradores e vendedores.

Assim, um investimento com pouca liquidez pode inclusive interferir no preço desse ativo.

Imagine uma ação muito pouco negociada e que você a tenha.

Caso você precise a vender de qualquer forma, mas não existam muitos compradores, eles podem colocar um preço mais barato do que ela realmente vale.

Posso fazer um paralelo com o mercado secundário de carros. Um carro com baixa capacidade de revenda geralmente é negociado abaixo de seu “valor justo”.

Juntando esse tripé de pilares

Apesar de o investidor dever observar sempre esses três parâmetros para tomar sua decisão, ele muito dificilmente conseguirá o tripé de investimentos juntos, ou seja, alto retorno, baixo risco e liquidez elevada.

Como disse no início, para se ter mais de algo que se deseje, é preciso abrir mão de algum outro parâmetro.

Assim, por exemplo, para conquistar um grande retorno, muito provavelmente o investidor terá que incorrer em maior risco e/ou uma liquidez baixa. E assim por diante.

Existem investimentos que atendam as diversas combinações de risco x retorno x liquidez. É por isso que conhecer o seu perfil de investidor é sempre necessário para entrar no investimento mais adequado com os seus objetivos.

Aproveite! Faça o nosso teste e descubra o seu perfil de investidor, é GRATUITO, clique aqui para acessar.

Se você for uma pessoa mais avessa ao risco, terá de se contentar com retornos menores do que os pagos por investimentos arriscados e vice-versa.

Os objetivos de vida também influem nessa decisão.

Imagine que você pensa em comprar uma casa. Você precisará de dinheiro liquido e além disso não pode perder o que você já tem. Nesse caso, seria recomendado um investimento pouco arriscado e com boa liquidez.

O ideal é sempre compor uma carteira balanceada com diversos tipos de investimentos, sendo que aqueles que mais se adequarem ao seu perfil tenham um peso maior na composição da carteira.

Conclusão

O risco, o retorno e a liquidez formam os alicerces básicos de qualquer investimento. Ou seja, devem ser observados antes da tomada de decisão de qual investimento entrar.

Maior retorno, menor risco e liquidez elevada forma o mundo ideal de qualquer aplicação.

Infelizmente, na prática não funciona assim. Deve-se abrir mão de algum ou dois desses parâmetros para se ter mais de outro.

Inclusive, se alguém te prometer algo assim, desconfie! Pode se tratar de uma fraude financeira.

Portanto, a decisão de quais pilares seu investimento se apoiará, deve ser feita sempre tendo em mente o perfil de investidor e objetivos que a pessoa tiver.

Mas e aí, ainda ficou com alguma dúvida sobre esse assunto? Comente abaixo o que achou desse texto!

Compartilhe esse conteúdo com mais investidores que você deseja ajudar obter Mais Retorno entendendo os pilares de risco, retorno e liquidez de qualquer investimento.

Sobre o autor
Vinicius Alves
Economista, atuou no departamento econômico de empresas de sell side no mercado financeiro. Já foi Top-5 de projeção de inflação de curto prazo do BC.
Mais sobre