Logo Mais Retorno
PIB Brasil brasileiro agenda econômica
Economia

PIB cresce 0,4% no terceiro trimestre, puxado por Serviços e Indústria, mostra IBGE

Atividade econômica avançou 3,6% na comparação com o mesmo período de 2021

Data de publicação:01/12/2022 às 09:33 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:

O Produto Interno Bruto (PIB) registrou variação de 0,4% na passagem do segundo para o terceiro trimestre. Com esse resultado, o dado chegou ao maior patamar da série histórica, iniciada em 1996. No terceiro trimestre, somando os bens e serviços finais produzidos no país, o resultado totalizou R$ 2,544 trilhões em valores correntes, de acordo com a divulgação feita pelo IBGE nesta quinta-feira, 01.

O PIB ficou 4,5% acima do patamar pré-pandemia, ou seja, no quarto trimestre de 2019. Os setores que puxaram o resultado foram Serviços, com avanço de 1,1%, e Indústria, que cresceu 0,8%. Já a Agropecuária registrou queda no período, de 0,9%.

PIB
PIB brasileiro avança 3,6% na base de comparação anual | Foto: Reprodução

Na comparação com o terceiro trimestre de 2021, o PIB cresceu 3,6%. A Agropecuária cresceu 3,2%, e a Indústria, 2,8%. O setor industrial foi impactado pela atividade de Eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (11,2%), que foi beneficiada pelas bandeiras tarifárias verdes. Outras atividades de destaque no setor foram Construção (6,6%) e Indústrias de transformação (1,7%).

Segmentos

O setor de Serviços corresponde a aproximadamente 70% da economia, de acordo com o IBGE, e os destaques foram Informação e comunicação (3,6%), com a alta dos serviços de desenvolvimento de software e internet, Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (1,5%) e Atividades imobiliárias (1,4%)

O segmento Outras atividades de serviços (1,4%), que representa cerca de 23% do total de serviços e inclui, por exemplo, alojamento e alimentação, também cresceu. A coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, afirmou que "as outras atividades de serviços já vêm se recuperando há algum tempo, com a retomada de serviços presenciais que tinham demanda represada durante a pandemia”.

O único segmento dos serviços que que apresentou queda foi Comércio, que variou -0,1% no período. “Esse é um cenário que já vínhamos observando na Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), do IBGE. O resultado reflete a realocação do consumo das famílias dos bens para os serviços”, pontua a coordenadora.

Já no setor da Indústria, o destaque ficou para Construção, com avanço de 1,1% no período. “Essa atividade já vinha crescendo há quatro trimestres e segue aumentando, inclusive em ocupação. Outro destaque do setor é Eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (0,6%), atividade que foi beneficiada pela redução da energia termoelétrica”, pontua.

Em relação à Agropecuária, que recuou 0,9% no terceiro trimestre, a coordenadora explica que a retração se deu pelas culturas que têm safra relevante nesse trimestre e tiveram queda de produção, como é o caso da cana-de-açúcar e de mandioca.

Leia mais:

Sobre o autor
Mari Galvão
Repórter de economia na Mais Retorno

Inscreva-se em nossa newsletter