Seguros

Uma vida sem preocupações, é garantia de qualidade de vida e bem estar. É pensando nisso que existe o planejamento financeiro, para assegurar tranquilidade a sua vida e de prevenir você de eventuais imprevistos. Os seguros de vida vão muito além de uma cobertura em caso de morte.

É uma ferramenta importante para a manutenção de padrão de vida, sucessão patrimonial e empresarial, seguro em grupo para funcionários, e também para casos de invalidez temporária. 

Conheça agora cada modalidade de seguro de vida, entenda seus benefícios e qual se encaixa melhor nas suas necessidades.

Seguro de vida para manutenção de padrão de vida

O Seguro de Vida Individual tem por objetivo a manutenção do padrão de vida da família. Ou seja, quer garantir a dignidade financeira da família em caso de morte ou invalidez do seu principal provedor.  

Este tipo de seguro é pensado principalmente para pessoas mais jovens, que estão constituindo família e formando o seu patrimônio. Normalmente possuem coberturas mais elevadas e um prêmio mensal menor. 

Ele assegura uma indenização em caso de morte e morte acidental, que são consideradas coberturas básicas. Além de poder incluir coberturas adicionais como: invalidez por acidente, doenças graves, assistência funerária, diária de internação hospitalar, entre outras. 

Um exemplo prático da importância e dos benefícios de um seguro de vida para a manutenção do padrão de vida, é imaginar o seguinte cenário: em uma família onde há um pilar financeiro que ganha 12 mil reais por mês sendo profissional autônomo, o seu cônjuge ganha um salário de 3 mil reais por mês, e possuem dois filhos, um de 4 anos e o outro de apenas 11 meses. A família possui um patrimônio financeiro de 100 mil reais e um imobiliário de 300 mil reais. Ambos contribuem para o INSS em cima do mínimo.

Caso o pilar financeiro venha a faltar, sua família não conseguirá manter o padrão de vida atual de 12 mil reais ao mês. E se eles tivessem se organizado financeiramente e feito um seguro de vida com uma cobertura de 1 milhão de reais?

A família pegaria esse dinheiro e poderia aplicar, gerando uma renda de aproximadamente 0,7% ao mês, tendo assim uma renda de 7 mil e somado ao INSS e ao salário do cônjuge, teriam uma renda de aproximadamente 11 mil reais. Ou seja, de uma renda de somente 4 mil reais, com o seguro a família passa a ter uma renda maior e mais compatível com seu padrão de vida atual.

Seguro de vida para sucessão patrimonial

O seguro de vida para sucessão patrimonial é um importante aliado das famílias no planejamento financeiro de longo prazo. Sendo o seguro de vida vitalício e resgatável uma ferramenta que garante liquidez imediata aos herdeiros, em caso de falecimento de um membro da família. O que possibilita custear o inventário e a transferência dos bens do falecido para os atuais, tornando esse processo mais tranquilo e menos oneroso. 

Este modelo de seguro de vida se diferencia por ter uma cobertura de morte vitalícia e por ser pago somente por um período de tempo determinado, normalmente de 10 anos. Além disso, o grande diferencial desse tipo de produto é que o valor investido pode ser todo resgatado, sendo devidamente corrigido. O resgate em vida, garante ao produto um caráter de reserva financeira, além de um seguro de vida. 

Este tipo de seguro é indicado para famílias que já possuem um patrimônio formado. E pode ser em muitos casos uma alternativa de sucessão mais vantajosa que a previdência privada. 

Pensando no seguro de vida para sucessão empresarial, podemos imaginar o seguinte cenário como exemplo: José tem 58 anos, é casado e tem três filhos que já estão na faculdade. Atualmente trabalha administrando os negócios de sua fazenda no interior de São Paulo, o valor patrimonial imobilizado dele soma cerca de 7 milhões de reais, mais um patrimônio financeiro de 3 milhões aplicados em sua conta XP.

Caso venha a faltar, os herdeiros de José terão que pagar 4% sobre o seu patrimônio de alíquota de ITCMD (Imposto de transmissão causa mortis e doação), o que equivale a 400 mil reais; mais os custos advocatícios e de cartório, que pode variar de mais 2 a 5% do patrimônio, o que seria, considerando a maior porcentagem, 500 mil reais.

Ou seja, em caso de falecimento do fazendeiro, sua família terá que dispender de 900 mil reais para ter acesso ao patrimônio do falecido. Pensando nisso, e na sucessão de seu patrimônio, José fez um seguro de vida vitalício e resgatável com uma cobertura de 900 mil reais, dessa forma ele garante que seus herdeiros não tenham que diluir parte de seu patrimônio para ter a liquidez necessária para os encargos de inventário, e nem que precisem pedir a terceiros.

Seguro de vida para sucessão empresarial

O seguro de vida para sucessão patrimonial garante que em caso de falecimento de um dos sócios, a empresa tenha o dinheiro necessário para comprar as cotas do falecido, sem que para isso tenha que tirar de seu fluxo de caixa ou dilapidar algum patrimônio. 

Esse tipo de seguro apesar de pouco conhecido garante tranquilidade para a empresa, reduzindo riscos patrimoniais e financeiros; além de garantir os recursos necessários para que os sócios adquiram as cotas do falecido; e beneficia os herdeiros, garantindo um suporte financeiro a eles e evitando que os mesmos tenham que assumir a administração do negócio.

Para entender a aplicação do seguro para sucessão empresarial imagine a seguinte situação como exemplo: uma empresa familiar, composta por quatro sócios irmãos, onde cada um possui 25% das cotas. Empresa com valuation de 10 milhões de reais, o que representa 2,5 milhões de reais de participação para cada irmão. Infelizmente um dos irmãos vem a faltar, deixando esposa e dois filhos pequenos. Se tivessem feito um seguro de vida para sucessão empresarial de 2,5 milhões de reais de cobertura, os outros sócios receberiam esse valor que seria suficiente para comprar as cotas do irmão falecido, sem ter que recorrer no fluxo de caixa da empresa.

Dessa forma, cada irmão teria aumentado sua participação na empresa de 25% para 33%, e a esposa e filhos do falecido receberiam, de forma imediata, o valor justo da participação na empresa, abrindo mão das cotas, e com isso garantindo a manutenção do padrão de vida da família.

Seguro de vida em grupo

O seguro de vida em grupo é um diferencial de uma empresa que quer garantir tranquilidade e segurança para os seus funcionários. Tratando-se de um tipo de seguro que cobre um conjunto de pessoas ligadas pelo vínculo empregatício. 

Essa modalidade de seguro garante que caso ocorra um acidente ou uma fatalidade com um dos funcionários da empresa, ele ou seus herdeiros receberão um benefício para arcar com os custos desse evento.

Ao contratar o seguro de vida em grupo é levado em consideração: o tamanho da empresa, quantidade de beneficiários, risco da atividade da organização, a capacidade financeira da empresa, entre outros. 

Imagine que você é o dono de uma construtora e contratou um seguro de vida em grupo para assegurar a segurança de seus funcionários e ter uma maior tranquilidade em relação a possíveis acidentes. Durante uma obra, um de seus funcionários, por conta de um problema em um maquinário, se acidenta e perde os movimentos de um dos braços, deixando-o inválido. Felizmente, você fez o seguro de vida em grupo, que possibilitou seu funcionário receber uma cobertura suficiente para cobrir seus custos e lhe garantir uma renda já que agora ele não consegue mais exercer sua profissão. 

Seguro para invalidez temporária

Você já pensou como irá pagar suas despesas caso aconteça algo que te impossibilite de trabalhar por um tempo? É pensando em solucionar este problema que existe o seguro para invalidez temporária. 

A diária por incapacidade temporária (DIT), como o próprio nome sugere, funciona da seguinte forma: se por um acaso você tenha que se afastar do seu trabalho em decorrência de uma doença ou de um acidente, você recebe uma renda por dias que ficou ausente em suas atividades. Garantindo dessa forma seus rendimentos. 

Neste tipo de seguro, o segurado tem a opção de contratar coberturas adicionais relacionadas com sua profissão, como: o DORT, Distúrbios Osteomusculares Relacionados Ao Trabalho; o LER, Lesões por Esforço Repetitivo; Hérnia, deslocamento de um órgão interno; e/ou LTC, Lesão por Trauma Continuado.

Para ficar mais fácil entender a aplicação do seguro para invalidez temporária, imagine a seguinte situação: um médico cirurgião plástico se acidenta e fratura a clavícula. Durante três meses ele deve ficar em repouso para haver a completa recuperação de sua clavícula, o que lhe impossibilita de obter renda durante esse período.

Por sorte, o médico fez um seguro de invalidez temporária com uma cobertura de 20 mil reais por mês, que o possibilita bancar seu padrão de vida de 15 mil reais durante esses três meses que deve ficar sem trabalhar. Dessa forma, o médico não tem que se preocupar com suas contas, tendo a tranquilidade necessária para uma boa recuperação. 

E aí, gostou deste conteúdo produzido pelo time da SVN Investimentos? Você já conhecia algum destes tipos de seguros de vida? Aproveite para contar nos comentários!

*Este artigo não reproduz necessariamente a opinião do portal Mais Retorno.

Imagem do autor

Formado em Ciências Econômicas pela UFPR. Trabalhou em empresas do segmento financeiro (Itaú Unibanco) de 2010 até 2015, quando iniciou sua jornada com produtos de proteção financeira, trabalhando durante três anos na Prudential do Brasil. E em 2018, assumiu o cargo de Head da área de Seguros e Sucessão Patrimonial no escritório SVN Investimentos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Veja mais Ver mais