Logo Mais Retorno
termos

INSS

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:20/03/2019 às 21:19 -
Atualizado 5 anos atrás
Compartilhe:

O que é o INSS?

O Instituto Nacional do Seguro Social (o INSS) é uma autarquia brasileira destinada a administrar e conceder auxílios aos trabalhadores celetistas ou avulsos.

Criado em 1990, a instituição está vinculada ao Ministério da Fazenda. Atua ainda em conjunto com o Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social), outra empresa pública responsável pelo desenvolvimento dos trabalhos digitais da autarquia.

Entre os principais objetos de gestão do INSS estão as aposentadorias, o décimo terceiro salário, o auxílio-maternidade, o auxílio-doença, entre tantos outros benefícios.

É uma entidade de extrema importância para o Brasil, tanto socialmente (já que, segundo pesquisas indicam, foi responsável por retirar pelo menos 21 milhões de brasileiros da linha da pobreza) quanto economicamente (visto que muito se discute atualmente sobre o peso do INSS para a máquina pública).

Como é feita a contribuição para o INSS?

Para garantir o funcionamento do INSS, tal qual uma entidade dedicada a prestar assistência financeira aos trabalhadores em momentos delicados como a terceira idade, fora definida uma alíquota geral de contribuição.

Ela é descontada tanto dos funcionários quanto das companhias, em porcentagens diferentes.

Para os funcionários (e inclui-se aqui os trabalhadores avulsos), a cobrança obedece à seguinte progressão:

Faixa salarial - Alíquota
de até R$ 1.751,81 - 8,00%
de R$ 1.751,82 até 2.919,72 - 9,00%
de R$ 2.919,73 até 5.839,45 - 11,00%

Já para as companhias, a cobrança é feita com base em apenas uma alíquota. Mais “salgada” do que a dos trabalhadores, é de 20% sobre os valores pagos a título de remuneração.

Em ambos os casos, é função das empresas realizar o recolhimento (ou da própria central sindical, no caso dos trabalhadores avulsos).

A única exceção fica por conta dos trabalhadores autônomos, que devem concluir a contribuição mensal a partir da Guia da Previdência Social (GPS). Para tanto, é necessário trabalhar por conta própria e como pessoa física.

Caso tenha se formalizado como MEI, você realizará o recolhimento de forma compulsória através do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS).

Essa guia é a mesma na qual estão inseridos outros tributos, como o Imposto sobre Serviços.

Para que serve o INSS?

O INSS é um grande responsável pela assistência de trabalhadores no Brasil.

Como já te contamos, é ele quem efetua o pagamento de diversos benefícios, como as aposentadorias (por idade, invalidez, tempo de contribuição), os auxílios (reclusão, doença, acidente) e os salários (maternidade, família etc.).

O seu papel se torna ainda mais essencial ao realizarmos uma leitura do contexto social brasileiro.

No país, mais da metade da população economicamente ativa afirma hoje que, de acordo com o seu planejamento financeiro (ou a total falta de um), pretende contar apenas com a aposentadoria ao chegar na terceira idade. Considerando ainda os que terão outras fontes de renda, 74% dependerá da previdência social para sobreviver.

E estamos falando de uma condição mais previsível (e, em tese, planejável) do que outros estados, como a gravidez e os acidentes de trabalho.

Para muitos, portanto, o INSS funciona como uma âncora contra a pobreza extrema. Prova disso é que já em 2008 foi publicado um estudo que afirmava que ao menos 21 milhões de brasileiros seriam considerados extremamente pobres, se não contassem com os benefícios oferecidos pelo INSS.

Em um contexto de absurda desigualdade e fraca educação financeira, o Brasil se torna um país dependente das funções desempenhadas pelo INSS.

Sobre o autor
Autor da Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Mais sobre

® Mais Retorno. Todos os direitos reservados.

O portal maisretorno.com (o "Portal") é de propriedade da MR Educação & Tecnologia Ltda. (CNPJ/MF nº 28.373.825/0001-70) ("Mais Retorno"). As informações disponibilizadas na ferramenta de fundos da Mais Retorno não configuram um relatório de análise ou qualquer tipo de recomendação e foram obtidas a partir de fontes públicas como a CVM. Rentabilidade passada não representa garantia de resultados futuros e apesar do cuidado na coleta e manuseio das informações, elas não foram conferidas individualmente. As informações são enviadas pelos próprios gestores aos órgãos reguladores e podem haver divergências pontuais e atraso em determinadas atualizações. Alguns cálculos e bases de dados podem não ser perfeitamente aplicáveis a cenários reais, seja por simplificações, arredondamentos ou aproximações, seja por não aplicação de todas as variáveis envolvidas no investimento real como todos os custos, timming e disponibilidade do investimento em diferentes janelas temporais. A Mais Retorno, seus sócios, administradores, representantes legais e funcionários não garantem sua exatidão, atualização, precisão, adequação, integridade ou veracidade, tampouco se responsabilizam pela publicação acidental de dados incorretos.
É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos, ilustrações ou qualquer outro conteúdo deste site por qualquer meio sem a prévia autorização de seu autor/criador ou do administrador, conforme LEI Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.
® Mais Retorno / Todos os direitos reservados