Logo Mais Retorno
Fundos de Investimentos

Os 10 fundos de renda fixa mais rentáveis em 12 meses conseguiram também superar a inflação de 11,89% no período; confira

Cresce o número de fundos de renda fixa que conseguem superar a inflação do mês

Data de publicação:08/07/2022 às 09:28 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:

Com o IPCA de junho em 0,67%, a inflação acumulada em 12 meses está em 11,89%. Conheça os 10 fundos de renda fixa campeões em rentabilidade, que conseguiram superar a inflação e proporcionar ganho real a seus cotistas em 12 meses, no semestre e no mês passado.

Os fundos de renda fixa estão performando cada vez mais e melhor. Tanto em termos nominais quanto reais. É um desempenho que se beneficia da combinação do ciclo de juros em alta e certo arrefecimento da inflação.

FundoRend. 12 mesesRend. 2022Rend. junho
Infinity Tiger Aloc. Dinâmica18,21%11,08%1,73%
Infinity Lotus17,00%10,86%1,63%
Itaú Optimus RF LP15,16% 7,97%1,24%
Infinity Select RF LP14,62% 9,50%1,51%
Sparta Deb. Inc. Inflação14,01% 7,97%0,46%
Sul America Premium Ref. DI13,74% 6,10%1,17%
Itaú Institucional Optimus RF LP13,56% 6,37%0,98%
Schroder Premium 30 Adv.13,42% 6,51%1,17%
CA Indosuez Tenace13,31% 7,07%1,30%
CA Indosuez Agilité12,95% 6,10%1,11%
Fonte: Mais Retorno

O levamento é feito sobre a base de dados da Mais Retorno e considera fundos em operação há mais de um ano, com patrimônio a partir de R$ 17 milhões e abertos ao público em geral.

Os fundos de renda fixa mais rentáveis

O fundo de renda fixa que mais bem performou foi o Infinity Tiger Alocação Dinâmica FI RF, que acumulou uma rentabilidade nominal de 18,21% no período.  Um ganho que embute margem real positiva de 5,65% acima da inflação.

A Infinity Asset Management foi o destaque no período, porque emplacou outro fundo de sua gestão em segundo lugar entre os dez mais rentáveis. O Infinity Lotus FI RF entregou um rendimento de 17,00% a seus cotistas, ou ganho positivo de 4,57% sobre a inflação.

A quarta posição foi ocupada por outro fundo da gestora, o Infinity Select FI RF LP, com rentabilidade nominal de 14,62%. Descontada a inflação de 11,89%, entregou um ganho real de 2,43% aos cotistas.

O ocupante da décima posição da lista dos dez, o CA Indosuez Agilité FI RF CP, rendeu 12,97% ou 0,96% acima da inflação do período.

A elevação dos juros, seguindo o avanço da Selic, resulta em um rendimento nominal mais elevado para os produtos dessa classe de ativos. E também em um ganho real maior, à medida que a inflação perde força.

A combinação desses dois movimentos – alta dos juros e queda da inflação - aumenta também o número de fundos que passam a remunerar com juro positivo o cotista.

Os mais bem performados em junho

Dos 790 fundos de renda fixa da base de dados do levantamento da Mais Retorno, 13 conseguiram superar a inflação em 12 meses de 11,89%; 624 renderam mais que a inflação de 0,67% em junho; e 348 no semestre, em termos nominais.

O mais rentável em junho foi o Infinity Tiger Alocação Dinâmica FI RF, com 1,73% (ou 1,05% acima da inflação de 0,67% do mês), seguido do Infinity Lotus FI RF, com 1,63% (ou 0,95% de margem real positiva).

Da lista dos dez mais rentáveis, o único fundo que não conseguiu remunerar o cotista com juro real foi o Sparta Debêntures Incentivadas Inflação FI. Seu rendimento, de 0,46%, ficou abaixo da inflação do mês.

fundos de renda fixa
Fundos de renda fixa são beneficiados pela alta dos juros - Foto: Envato

Os fundos de renda fixa vencedores no semestre

Os fundos da Infinity não deixaram para outros também no ranking do semestre. O Infinity Tiger Alocação Dinâmica FI RF rendeu 11,08% nominal, ou ganho real de 5,30%, acima da inflação.

O segundo colocado, o Infinity Lotus FI RF, proporcionou uma rentabilidade de 10,86% ou 5,09% acima da inflação. O último desta lista de dez, o CA Indosuez Agilité FI RF CP, entregou um rendimento de 6,63%, ou margem real positiva de 1,08% sobre a inflação de 5,49% do período.

A estratégia dos fundos de renda fixa em destaque

O superintendente de investimentos da Infinity Asset Management, André Ximenez, que encaixou três fundos no ranking dos dez mais rentáveis em 12 meses, no semestre e em junho, explica que trabalha com uma gestão compartilhada nos três fundos.

As operações que são feitas no Select, uma espécie de fundo master, são transportadas para o Lotus e o Tiger. “As estratégias são as mesmas, o que diferencia um produto do outro é o fator de risco.”

Ximenez diz que o Infinity Select FI RF LP é o fundo mais conservador do trio e o Tiger Alocação Dinâmica, o menos conservador.  Apesar da diferença no grau, “todos têm o risco bem controlado”, destaca.

O Select tem volatilidade baixa “pela forma como é feita a gestão”, principalmente de risco. Existe toda uma preocupação NTN-B: saiba o que é e como funcionada equipe em dimensionar o risco que se coloca no produto. “O controle de risco é o nome do jogo para o sucesso dos fundos da Infinity.”

O gestor explica que os produtos da casa são fundos de renda fixa ativos, “bastante dinâmicos, com bastante liquidez”, sem a participação de títulos de crédito privado na alocação da carteira.

A estratégia de gestão de caixa é dividida no que Ximenez chama de renda fixa sintética, por títulos públicos (principalmente LFTS) e operações compromissadas. Um formato de alocação do portfólio “que traz um carrego melhor para o caixa do fundo que o CDI”.

Operações com derivativos

A estratégia é complementada por operações com derivativos, futuros e opções, que geram um alfa adicional ao fundo, não apenas de rentabilidade, “já que os fundos não podem fazer alavancagem”, mas principalmente de proteção à carteira.

São estratégias que envolvem operações com juros, câmbio e inflação, “que são os principais fatores de risco dos fundos”, sem o uso de caixa, explica Ximenez.

“O sucesso de rentabilidade dos fundos é resultado da soma das estratégias de melhor utilização de caixa adicionada às operações com risco de mercado, sob rigoroso controle de risco, através de futuros, derivativos e opções”, resume Ximenez.

Outra marca dos fundos da Infinity é a ampla liquidez que oferecem aos cotistas, “porque operam com estratégias bem líquidas”. O Select atua em D+0 (com pagamento do resgate no mesmo dia do pedido) e o Lotus e o Tiger em D+1 (no dia seguinte ao da solicitação).

Leia mais

Sobre o autor
Tom Morooka
Colaborador do Portal Mais Retorno.