Logo Mais Retorno
Empresa

Saiba quais as diferenças entre margem bruta, operacional, ebitda, líquida e mark-up

No geral, a margem de lucro de uma empresa é a divisão do seu lucro pela sua receita. Mas que tipo de receita, líquida ou bruta? Conheça algumas das nuances.

Data de publicação:30/12/2021 às 15:08 -
Atualizado 5 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Você sabia que há mais de um tipo de margem de lucro de uma empresa?

Além do conceito amplo de margem de lucro, você pode isolar parâmetros e encontrar o impacto da atividade produtividade da empresa sobre o seu lucro. Ou ainda os efeitos das dívidas que ela contraiu. E assim por diante.

Entenda, neste artigo, os cálculos e a importância dos diferentes tipos de margens de lucro, como a bruta, líquida e operacional. Vamos juntos?

O que é a margem de lucro de uma empresa?

A margem de lucro de uma empresa é um dos indicadores que apontam como está a sua saúde financeira, pois consiste na relação entre o lucro e a receita.

Vale lembrar que, de modo geral, receita é tudo o que a organização produz, a exemplo do próprio dinheiro obtido com as vendas. E o lucro é essa receita descontado os passivos, como as despesas com os impostos, custos e tributos.

Dessa forma, ao dividir o lucro pela receita, você tem a margem de lucro.

Também é interessante converter o valor em porcentagem para facilitar a análise e comparar com os valores mínimos recomendados. Eles são:

  • Comércio: entre 15 e 20%.
  • Indústria: 8 e 12%.
  • Serviços: 20 e 30%.

E por que pensar em margem de lucro em vez do lucro?

Porque o lucro costuma informar uma situação de curto prazo. Já a margem revela um pouco sobre a viabilidade do negócio principal de uma empresa.

Por exemplo, suponha que uma startup obteve R$ 20 mil de vendas com R$ 10 mil de despesas em determinado trimestre — sendo insuficiente para as contas ficarem positivas.

Porém, como ela conseguiu uma margem de lucro de 50%, pode significar que o negócio tem bastante potencial, pois é uma margem alta.

Quais os tipos de margem de lucro?

Além do cálculo da margem de lucro, de forma ampla, também podemos utilizar cálculos mais específicos.

Confira, em detalhes, como funciona cada tipo de margem de lucro.

Bruta

Na DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) de uma empresa, geralmente, o primeiro lucro apresentado é do tipo bruto.

Junto com a receita bruta, basta calcular:

Margem bruta (%) = lucro bruto / receita bruta

Em que, lucro bruto: receita bruta - despesas diretas e deduções.

O setor de bens industriais, da Bolsa, costuma ter as menores margens brutas. Já o de comunicações, normalmente tem margens maiores.

É recomendável levar em conta essa diferença entre os setores.

Operacional

Logo depois do lucro bruto, vem o lucro operacional, na maioria dos relatórios. Assim, basta dividi-lo pela receita para chegar ao lucro operacional:

Margem operacional (%) = lucro operacional / receita líquida

Em que, lucro operacional: receita líquida - despesas operacionais (vendas, administrativas, depreciação e amortização etc.)

Outra diferença é que, em vez da receita bruta, utilizamos a receita líquida — que é a receita bruta descontadas as deduções.

Novamente, não existe um valor ideal para a margem operacional, uma vez que cada empresa tem suas próprias operações.

EBITDA (Earnings Before Interest Taxes, Depreciation and Amortization)

A margem EBITDA ou LAJIDA (Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) é muito semelhante à margem operacional.

Consiste na relação entre a receita líquida e o EBTIDA — que é o lucro operacional, mas sem considerar os gastos com juros, impostos, depreciação e amortização. Ou seja:

Margem EBITDA (%) = EBITDA / receita líquida

Esse ponto de vista é útil para que o investidor conheça a margem de lucro somente das atividades operacionais da empresa.

Mas lembre que, no caso das organizações com muitas dívidas, esse tipo de margem não ilustra muito bem a sua situação. Pois os juros dos empréstimos pesam bastante e é aconselhável sempre considerá-los, nesse caso.

Líquida

Por último, temos a margem líquida, que é calculada da seguinte forma:

Margem líquida (%) = lucro líquido / receita líquida

Em que, lucro líquido: receita total - custos totais.

Na prática, a margem de lucro bruto é parecida com a margem líquida. Mas enquanto a margem bruta só considera os custos diretos, a líquida inclui também as despesas indiretas — que são as dívidas, os tributos, os impostos e outros.

Entre todos os tipos de margens, uma margem líquida alta normalmente indica que a empresa é boa pagadora de dividendos.

Por isso, ao encontrar uma empresa que apresente 20% nesse tipo de margem, ela pode ser uma boa opção.

Markup

O markup é um indicador semelhante, mas não se encaixa na definição de margem de lucro.

Na verdade, ele é um fator que aponta o quanto o preço unitário de venda do produto está acima dos seus custos de produção e de distribuição.

Imagine uma empresa de calçados:

  • Custo do par de sapatos com o fornecedor: R$ 150
  • Impostos: 27%
  • Despesas indiretas (água, energia etc.): 8%
  • Lucro presumido: 30%

O seu markup multiplicador é:

100 / [100 - (despesas indiretas + impostos + lucro presumido)] =

100 / 35 =

2,85.

Logo, o par de sapatos deve ser vendido por R$ 150 x 2,85 = R$ 427,50.

Veja que, nesse exemplo, o lucro desejado foi de 30%.

Enquanto a margem de lucro foi de:

427,5 - 150 / 427,5 = 0,649 = 64,9%

De forma mais simples: o markup é apenas um fator que ajuda a encontrar o preço de venda de um produto.

Em resumo:

  • A margem bruta está ligada à atividade produtiva da empresa, pois há o desconto das deduções e dos custos diretos variáveis referentes à produção.
  • A margem operacional tem mais relação com as despesas operacionais, como a gestão de recursos humanos ou o marketing.
  • A margem EBITDA também está associada aos custos operacionais, mas desconsiderando algumas despesas, como depreciação e amortização —  que não implicam consumo do capital.
  • A margem líquida considera custos indiretos da produção, incluindo as dívidas e outras decisões de financiamento.
  • O markup é um número isolado que compõe, indiretamente, a margem de lucro de uma empresa.

Esperamos que agora, com cada conceito esmiuçado, você entenda melhor os tipos de margem de lucro de uma empresa. Lembre também de considerar o setor em que ela se enquadra, seu grau de endividamento e a sua probabilidade de repassar dividendos aos investidores.

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!