Finanças Pessoais

Ainda que tenha a possibilidade de mudança de data, conte como prazo final para a entrega da declaração do Imposto de Renda o dia 31 de maio. Portanto, você tem mais 3 semanas pela frente para tomar todas as providências, reunir os documentos e cuidar do preenchimento.

Só para lembrar: o Congresso aprovou um projeto de lei que prorrogava o prazo para a entrega para o dia 31 de julho. O presidente Bolsonaro vetou a medida e manteve o dia 31 maio, fixado pela Receita Federal, como último dia para envio da declaração. Até a meia-noite. Só haverá mudança de prazo, se o Congresso se reunir e derrubar o veto presidencial.

Reúna a papelada e faça um rascunho para ir preparando a declaração

Veja se você está obrigado a enviar a declaração

As principais condições que tornam a declaração obrigatória estão ligadas ao total de dinheiro que entrou no seu bolso em 2020, aos bens que você possui, ou se aplicou em ações ou teve lucro na venda de bens.

Acompanhe as sete principais condições:

1 - Você está obrigado a declarar se recebeu em 2020 valor total superior a R$ 28.559,70, de salário, de aposentadoria ou de aluguel. Esses são os rendimentos tributáveis (alcançados pelo imposto) mais comuns,

 para saber quais os outros que também são tributados.

A declaração é obrigatória para quem recebeu em 2020 rendimentos tributáveis, que devem ser oferecidos à tributação, acima de R$  28.559,70, como:

Esses rendimentos já tiveram desconto de imposto, no momento que foram pagos a você, mas devem entrar na declaração para eventual ajuste. Pode haver mais imposto sobre eles, ou devolução de imposto.

Atenção: mesmo quem recebeu menos de R$ 28.559,70 no ano passado, mas teve desconto do imposto de renda em algum momento, deve enviar a declaração para ter esse dinheiro de volta.

2 – Se você recebeu o auxílio emergencial e, além dele, rendimentos tributáveis (salário, aposentadoria, etc.) em valor superior a R$ 22.847,76 está obrigado a declarar.

3 - Você terá de declarar também se recebeu rendimentos isentos (livres de imposto), ou que são tributados uma única vez na hora do pagamento em valor acima de R$ 40 mil.

Esses rendimentos não terão influência no cálculo do imposto, mas precisam ser informados.

Aqui está a lista dos rendimentos isentos ou tributados exclusivamente na fonte:

4 - Você terá de declarar se em 31 de dezembro de 2020 possuía bens, como imóvel, carro, dinheiro no banco, em total superior a R$ 300 mil. Para saber quais outros bens:

Os bens não entram no cálculo do imposto, mas devem ser informados.

Confira a lista de bens que precisam ser declarados:

5 – Se você aplicou em ações no ano passado, ou fez movimentações nos mercados futuros, está obrigado a declarar.

6 – Se você obteve lucro na venda de imóveis ou na venda de ações também precisa.

7 - Quem veio morar no Brasil em qualquer mês do ano passado e manteve essa condição até 31 de dezembro de 2020 também deve apresentar a declaração.

A lista completa de condições que tornam a entrega da declaração obrigatória pode ser encontrada no site da Receita Federal.

Imagem do autor

Editora do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Finanças Pessoais
Finanças Pessoais
Finanças Pessoais
Finanças Pessoais
Veja mais Ver mais