Mercado Financeiro

De utensílios domésticos à plataformas de serviço de internet: até o final de julho, 8 empresas dos mais variados segmentos vão estrear na B3 com suas ofertas públicas iniciais (IPO, na sigla em inglês).

Desde o início do mês, outras 3 companhias - a 3tentos, do setor de agronegócios, Smartfit, rede de academia, e a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) - também lançaram seus IPOs, movimentando bilhões de reais na Bolsa de Valores.

A entrada de novos negócios na B3 movimenta e fortalece o mercado de ações e convida o investidor estrangeiro a alocar seu capital em ativos brasileiros, o que pode trazer pressão de baixa para o dólar. Confira aqui quais são as próximas empresas a ingressar na Bolsa.

Foto: Envato
Em julho de 2021, 11 empresas estreiam na B3, a Bolsa de Valores brasileira
  • Multilaser

De acordo com a rede de utensílios eletrônicos e domésticos, Multilaser, que conta com um portfólio de mais de 5 mil produtos diferentes, no último ano, a empresa obteve uma receita líquida de R$ 3,077 milhões. No prospecto apresentado ao mercado, a companhia destaca ainda que, entre 2018 e 2020, conseguiu um crescimento anual de 26,8%.

Com esses resultados, a Multilaser estreia na Bolsa nesta segunda-feira, 19, com uma oferta pública inicial de mais de 172 milhões de ações. A faixa de preço para os papéis está entre R$ 10,80 e R$ 13 e a estimativa é que a empresa consiga arrecadar algo em torno dos R$ 2 bilhões.

  • Desktop

Segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a Desktop, plataforma provedora de serviços de internet, é a maior companhia do segmento no Estado de São Paulo e uma das principais, também, no âmbito nacional.

A empresa informou por meio de seu prospecto preliminar que, até maio de 2021, já operava mais de 16.500 km de redes próprias de fibra ótica e contava com mais de 321 mil usuários ativos em 53 cidades no interior de São Paulo.

O IPO da Desktop pode angariar para a companhia cerca de R$ 776 milhões, com uma oferta de mais de 30 milhões de ações com faixa de preço entre R$ 23 e R$ 28. A data de estreia da empresa na Bolsa é o próximo dia 21.

  • Privália

A plataforma de venda de roupas, calçados, itens de decoração, alimentos e bebidas no modelo de outlet, Privália, estreia na B3 nesta quinta-feira, 22. Em prospecto, a empresa diz que soma, em site e aplicativo, uma média de 490 mil visitas diárias.

Ainda com base nos dados apresentados, a companhia acumulou uma receita líquida de R$ 926 milhões em 2020, um aumento de 25% comparado ao ano anterior.

O IPO deve proporcionar à empresa um ganho de cerca de R$ 750 milhões. Entre oferta primária e secundária, a Privália está disponibilizando ao mercado mais de 43 milhões de ações, com faixa de preço entre R$ 16,30 e R$ 18,10.

ipo
Seguida da Multilaser, a Smartfit teve o IPO que mais movimentou o mercado neste mês, com R$ 2,3 bilhões
  • Unifique

Com estreia na B3 prevista para 27 de julho, a Unifique é uma operadora de telecomunicações com foco na Região Sul do Brasil.

De acordo com Pesquisa de Satisfação e Qualidade Percebida realizada anualmente pela Anatel, a empresa apresenta a melhor banda larga e telefonia fixa do país. Até 31 de março, a companhia havia totalizado cerca de 318 mil acessos em Santa Catarina e Paraná.

A oferta pública da Unifique conta com pouco mais de 95 milhões de ações, com faixa de preço entre R$ 8,41 e R$ 10,49. A empresa pode receber cerca de R$ 899 milhões com o IPO.

  • Armac

A Armac é uma plataforma de locação de equipamentos com foco principal na categoria de linha amarela (pás-carregadeiras, escavadeiras hidráulicas, tratores agrícolas etc). O prospecto preliminar da companhia diz que a receita bruta passou de R$ 27,8 milhões em 2017 para R$123 milhões em 31 de dezembro de 2020.

O IPO da empresa se divide em uma oferta primária, com mais de 53 milhões de ações, e oferta secundária, contando com mais de 15 milhões de ações. A faixa de preço dos papéis está entre R$ 13,30 e R$ 16,63.

Com data de estreia para a quarta-feira do dia 28, a estimativa é que a Armac angarie cerca de R$ 1,025 bilhão.

  • Traders Club

Entre janeiro e abril de 2021, o Traders Club, plataforma nativa digital que fornece conteúdos com temáticas voltadas ao setor financeiro, obteve uma receita líquida de R$ 21 milhões, segundo dados da própria companhia. O crescimento da empresa em relação ao mesmo período do ano passado foi de 325%.

O objetivo da organização, que ingressa na B3 em 28 de julho, é arrecadar cerca de R$ 563 milhões, ofertando mais de 55 milhões de ações com faixa de preço entre R$ 9 e R$ 11,25.

  • Brisanet

A Brisanet, que entra para a Bolsa de Valores em 29 de julho, é uma plataforma provedora de serviços de internet focada na Região Nordeste do Brasil. De acordo com os dados fornecidos pela empresa em seu prospecto preliminar, até abril de 2021 a companhia, que é controlada pela Agility Telecom, contava com cerca de 697 mil usuários.

A faixa de preço para as cerca de 90 milhões de ações oferecidas está entre R$ 13,92 e R$ 17,26. Dessa forma, com o IPO, a Brisanet deve levantar um total em torno de R$ 1,4 bilhão.

  • Clear Sale

Com mais de 4.700 clientes ativos em mais de 170 países até março de 2021, a Clear Sale é uma empresa que fornece soluções antifraude digital para os segmentos de e-commerce, mercado financeiro, vendas diretas, telecomunicações e seguros. A previsão de estreia para a companhia na Bolsa é no último dia útil de julho, 30.

O IPO da empresa se divide em 25 milhões de ações numa oferta primária e pouco mais de 20 milhões em oferta secundária. Com faixa de preço entre R$ 20 e R$ 25 para suas ações, a Clear Sale deve angariar cerca de R$ 996 milhões.

Imagem do autor

Repórter na Mais Retorno

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Veja mais Ver mais