Logo Mais Retorno

Siga nossas redes

  • Instagram Mais Retorno
  • Youtube Mais Retorno
  • Twitter Mais Retorno
  • Facebook Mais Retorno
  • Tiktok Mais Retorno
  • Linkedin Mais Retorno
Haddad - Foto: Reuters
Economia

Haddad anuncia pacote para diminuir rombo das contas a nível abaixo de 1% do PIB

O ministério divulgou uma apresentação em que as medidas poderiam, na verdade, levar a um superávit de R$ 11,3 bilhões

Data de publicação:13/01/2023 às 12:07 -
Atualizado um ano atrás
Compartilhe:

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou nesta quinta-feira, 12, medidas de transformar ajuste fiscal pelo lado das despesas e das receitas para diminuir o rombo nas contas do governo federal, previsto no Orçamento em R$ 231,5 bilhões, o equivalente a 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB), para um déficit em torno de 0,5% a 1% do PIB. O ministério, porém, divulgou uma apresentação em que as medidas poderiam, na verdade, levar a um superávit de R$ 11,3 bilhões.

"Algumas medidas podem frustrar. Tem uma série de coisas que, em virtude da desorganização do processos administrativos ao longo dos últimos quatro anos, fica difícil prever. Eu não quero vender aquilo que pode ser difícil entregar, eu não quero frustrar. Outra coisa que eu não controlo é a reação do Banco Central", afirmou o ministro. "Agora, um déficit menor de 1% do PIB eu consigo entregar", disse.

Fernando Haddad 1 .jpg
O pacote de Haddad prevê medidas para aumentar a arrecadação | Foto: Reprodução

O pacote prevê medidas para aumentar a arrecadação, entre elas a volta da cobrança de impostos federais sobre a gasolina, além da redução de despesas em 2023 e de um programa de refinanciamento tributário, chamado "Litígio Zero".

"Não se trata de plano, nem pacote, nada disso. São as primeiras medidas econômicas", disse o ministro.

Veja as medidas para Receitas:

  • Aproveitamento do crédito do ICMS: R$ 30 bilhões;
  • PIS/Cofins sobre receita financeira: R$ 4,4 bilhões;
  • PIS/Cofins sobre combustíveis: R$ 28,88 bilhões;
  • Efeito permanente do incentivo à redução da litigiosidade no Carf: R$ 15 bilhões;
  • Efeito permanente do incentivo à denúncia espontânea: R$ 5 bilhões;
  • Incentivo extraordinário à redução da litigiosidade no Carf: R$ 35 bilhões;
  • Incentivo extraordinário à denúncia espontânea: R$ 15 bilhões;
  • Receitas primárias com ativos do PIS/Pasep: R$ 23 bilhões.

Veja as medidas para Despesas:

  • Efeito permanente da revisão de contratos e programas: R$ 25 bilhões;
  • Autorização da execução inferior ao autorizado na LOA 2023.

Desoneração dos combustíveis

Haddad afirmou que a decisão do governo sobre a desoneração de PIS/Cofins sobre combustíveis só será tomada após o indicado para a presidência da Petrobras, Jean Paul Prates, assumir o cargo. O ministro afirmou que o governo estima a receita de PIS/Cofins sobre combustíveis de acordo com a lei atual, mas que Lula pode reavaliar os prazo de redução dos impostos federais sobre esses produtos.

No dia em que tomou posse, Lula editou uma medida provisória (MP) que prorrogou por 60 dias a desoneração da gasolina e do diesel até o final do ano, levando a perda de arrecadação para a União. No anúncio, o ministro também citou a revogação da redução de PIS/Cofins sobre receitas financeiras, medida que foi tomada pelo governo Bolsonaro em 31 de dezembro.

Estavam presentes no anúncio desta quinta-feira a ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet; a ministra da Gestão e Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck; o secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron; e o secretário da Receita Federal, Robison Barreirinhas. / Agência Estado. 

Leia mais:

Sobre o autor
Mari Galvão
Repórter de economia na Mais Retorno

® Mais Retorno. Todos os direitos reservados.

O portal maisretorno.com (o "Portal") é de propriedade da MR Educação & Tecnologia Ltda. (CNPJ/MF nº 28.373.825/0001-70) ("Mais Retorno"). As informações disponibilizadas na ferramenta de fundos da Mais Retorno não configuram um relatório de análise ou qualquer tipo de recomendação e foram obtidas a partir de fontes públicas como a CVM. Rentabilidade passada não representa garantia de resultados futuros e apesar do cuidado na coleta e manuseio das informações, elas não foram conferidas individualmente. As informações são enviadas pelos próprios gestores aos órgãos reguladores e podem haver divergências pontuais e atraso em determinadas atualizações. Alguns cálculos e bases de dados podem não ser perfeitamente aplicáveis a cenários reais, seja por simplificações, arredondamentos ou aproximações, seja por não aplicação de todas as variáveis envolvidas no investimento real como todos os custos, timming e disponibilidade do investimento em diferentes janelas temporais. A Mais Retorno, seus sócios, administradores, representantes legais e funcionários não garantem sua exatidão, atualização, precisão, adequação, integridade ou veracidade, tampouco se responsabilizam pela publicação acidental de dados incorretos.
É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos, ilustrações ou qualquer outro conteúdo deste site por qualquer meio sem a prévia autorização de seu autor/criador ou do administrador, conforme LEI Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.
® Mais Retorno / Todos os direitos reservados