Empresa

Após rumores que circulavam no mercado varejista, foi confirmada nesta segunda-feira, 26, a fusão entre a Hering e o Grupo Soma, em acordo que envolve mais de R$ 5 bilhões. Com o anúncio, as ações da Hering dispararam na B3 e chegaram a uma alta de quase 34%. No fechamento das operações, as ações da Hering exibiram alta de 26,19%. cotadas a R$ 28,62.

Já as ações do Soma, que detém as grifes Farm e Animale, depois de subirem logo após o anúncio da operação, engataram em trajetória de queda. O mercado considerou o desembolso alto para a compra de Hering. Os papeis do Grupo Soma fecharam em queda de 10,14%, ao nível de R$ 12,67 por unidade.

Cia Hering rejeita a proposta de fusão com a Arezzo; concretização do negócio poderia ser benéfica para ambas as partes, diz Ativa Investimentos
Compra da Hering pelo grupo Soma pode dar uma elevada na performance da marca no Brasil - Foto: Divulgação

Os acionistas da Hering, para cada ação que detêm da companhia, receberão uma ação ordinária (ON) e uma preferencial (PN) do Grupo Soma.

Ao mesmo tempo, o Grupo Soma pagará R$ 9,630957 à vista, em até 10 dias úteis contados do fechamento da operação, e R$ 1,625107 por ação ON para cada ação da Cia Hering.

As empresas fecharam acordo de exclusividade, sujeito a multa de R$ 250 milhões em caso de quebra das normas estipuladas.

Crescimento e digitalização para a marca Hering no País

O Grupo Soma destaca que ambas as empresas “avaliam que a operação será transformacional no que tange a consolidação de uma plataforma de marcas no varejo de moda, ampliando seu mercado”.

Além disso, há destaque para “o potencial de criação será mútuo entre as duas marcas, com grande troca de melhores práticas, tendo como pilares centrais a utilização e difusão de uma cultura digital e implantação dos produtos digitais do Soma Labs em todas as operações".

Para viabilizar o negócio, a Hering contou com a assessoria financeira da G5 Partners, e o Banco Santander atuou ao lado do Grupo Soma.

A assessoria jurídica foi feita pelos escritórios Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados e Machado, Meyer Sendacz e Opice Advogados para o Soma e Hering, respectivamente.

O fechamento da operação está sujeito ainda à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

Operação vista com bons olhos pelo mercado

O movimento do Grupo Soma e Hering vem na esteira do cenário de aquisições feitas no mercado varejista nos últimos dias. A última negociação foi feita pela Lojas Americanas, anunciada no último dia 20, que comprou 70% das ações do grupo Unic.co S.A, dono das redes de franquias Imaginarium, Puket, MindD e Lovebrands.

Para Pedro Serra, gerente de Research da Ativa Investimentos, a aquisição será favorável para a Hering. “Acreditamos que o Soma Labs, em todas as etapas de valor da Hering pode ajudar a acelerar o turnaround da Hering, que é uma gigante da moda, e que nos últimos anos não estava conseguindo virar a chave de sua operação”, aponta.

Há poucas semanas, a Arezzo tentou comprar a Hering, mas a empresa declinou da oferta. Segundo a Hering em comunicado, na ocasião, a proposta da varejista de calçados "não atende ao melhor interesse dos acionistas e da própria companhia", que pretende "seguir na execução do seu plano estratégico que combina construção de marcas, expansão e integração de canais, e modernização do supply chain, com foco no cliente e na sustentabilidade".

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Veja mais Ver mais