Logo Mais Retorno
Fundos de Investimentos

Fiagro – Fundo de investimento em agronegócio: como funciona?

O Fiagro é um novo um fundo de investimento no setor de agronegócio. Seu funcionamento é similar aos fundos imobiliários.

Data de publicação:07/12/2021 às 09:00 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O agronegócio é um dos setores mais lucrativos e importantes da economia do Brasil. Conforme dados do IBGE, esse setor tem participação no PIB superior a 25%.

Com o objetivo de aumentar ainda mais os investimentos nessa área e desenvolver novas fontes de recursos para companhias e produtores, foi criado o Fiagro: Fundo de Investimento em Agronegócio. Vem conferir! 

Foto: Fotos Públicas

O setor do agronegócio no Brasil

Desde a década de 1970, o agronegócio se expande no Brasil rapidamente. Entre os anos de 1975 e 2017, a produção de grãos aumentou quase 7 vezes. De acordo com dados da Embrapa, atualmente a área plantada dobrou de tamanho e a produção é de quase 237 milhões de reais.

Por conta da inovação e dos investimentos realizados nesse setor, a produtividade acelerou. Essa tendência vai permanecer em alta pelos próximos anos. Mesmo durante a pandemia, o Brasil exportou quase 132 milhões de toneladas de produtos agrícolas. O Brasil é líder na exportação de café, açúcar e soja.

O crédito rural é o motor desses investimentos. Com isso, cresce a necessidade de aumentar as formas de captar os recursos e democratizar o acesso para investidores novos. Somente no primeiro semestre deste ano, houve um aumento de 43% de investidores na bolsa de valores.

A previsão do Plano Safra para o período 2021/2022 é destinar quase 252 bilhões de reais de recursos para investir no setor do agronegócio. No entanto, são estimados mais de 700 bilhões de reais para custear toda produção do Brasil. Pensando nisso, surgiu o Fiagro.

O que é o Fiagro?

Criado pela Lei n. 14.130, de 30 de março de 2021, o Fiagro – Fundos de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais – se inspirou nos fundos imobiliários, adaptado para ao cenário rural.

Esse fundo tem como objetivo facilitar a captação de recursos financeiros e investimentos para o agronegócio. Ele reúne os recursos dos participantes e aplica no mercado financeiro. Uma instituição financeira é a responsável por decidir onde investir, de acordo com as normas estabelecidas em regulamento.

Seu funcionamento é similar ao Fundos Imobiliários – FIIs, que se encontram em alta no país, nos últimos anos. O número de investidores dos FIIs cresceu mais de 76% em 2020 e o potencial do Fiagro é ainda maior.

Características do Fiagro

A lei que criou o Fiagro entrou em vigor desde março deste ano. No entanto, os investidores ainda não podem comprar cotas no mercado financeiro. O primeiro passo é regularizar o fundo junto a CVM – Comissão de Valores Mobiliários, que aconteceu em 13 de julho de 2021, através da Resolução CVM nº 39.

De caráter experimental, a bolsa de valores oficial do Brasil – B3 lançou o edital em agosto, para aceitar pedidos de listagem de fundos. Desde então, os ativos encontram-se em preparação e análise para ficarem disponíveis aos investidores.

A partir daí, instituições financeiras estão desenvolvendo e definindo os fundos, incluindo objetivo, valores de cotas, entre outras informações. A partir de 22 de novembro de 2021, as negociações de cotas estarão liberadas.

O Fiagro está dividido em três categorias, até o momento. Após a regulamentação definitiva, pode ser que haja mais alternativas. Conheça essas categorias:

Fiagro Imobiliário – São fundos em ativos imobiliários, que inclui as LCAs – Letras de Crédito do Agronegócio e os CRAs – Certificados de Recebíveis do Agronegócio, conforme as instruções da CVM 472.

Fiagro Direitos Creditórios – São fundos que aplicam nos direitos creditórios, de acordo com os termos da ICVM 356. É voltado para a agroindústria.

Fiagro Participações – São fundos em participações, como sociedade em empresas, de acordo com a Instrução CVM 578.

A lei prevê que o Fiagro pode investir os recursos em imóveis rurais, títulos de crédito, títulos de securitização, cotas de fundos, entre outros. Dessa forma, os Fundos de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais vão oferecer uma boa versatilidade para os investidores, ampliando a captação dos recursos

A característica principal do Fiagro é que os recursos que serão captados serão investidos na cadeia produtiva agroindustrial e no setor do agronegócio. Em relação aos rendimentos, haverá incidência de Imposto de Renda, com alíquota de 15%.

Como funciona o Fundo de investimento Fiagro?

Para participar dos Fundos de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais, os investidores vão comprar cotas. Esses recursos serão investidos em atividades da produção do setor agroindustrial, imóveis rurais, títulos de créditos, títulos creditórios, títulos de securitização, entre outros que fizerem parte do grupo.

Quando o investidor, seja ele pessoa jurídica ou física, comprar uma cota do Fiagro, sua expectativa é que essa cota se valorize e aumente o patrimônio.

A receita do fundo é distribuída de forma periódica para os cotistas. No entanto, diferentemente dos fundos imobiliários, não existe uma obrigação regulada de fazer essa distribuição.

fonte: XP Investimentos

Em relação ao imposto de renda, as pessoas físicas têm isenção do imposto de renda, desde que o fundo tenha pelo menos 50 cotistas e que as cotas sejam negociadas exclusivamente na Bolsa de Valores.

Nos próximos anos, o Governo e o mercado financeiro esperam que esse fundo se consolide como um dos principais no setor do agronegócio. Dessa forma, o setor vai receber cada vez mais recursos, permitindo sua expansão.

O Fiagro vai trazer vários impactos para o setor do agronegócio. Os principais são:

  • Expandir as práticas ESG (environmental, social and governance). Entre outras palavras, melhorar as práticas ambientais, sociais e de governança para o setor do agronegócio;
  • Criar novas fontes de recursos para a cadeia do agronegócio;
  • Diversificar os investimentos do setor agropecuário. Atualmente, os principais ativos do setor são: LCA [/LINK], CRA e ações de empresas do segmento.

Vantagens do Fiagro

A rentabilidade do Fiagro é obtida por meio da locação ou venda dos imóveis rurais. Cabe o gestor definir a política de distribuição de rendimentos. Especialistas apontam que essa política será similar a dos fundos imobiliários. Além da distribuição de rendimentos, o Fiagro apresenta várias vantagens. Conheça as principais:

  1. Boa liquidez, pois as cotas são negociadas no mercado secundário da B3.
  2. Gestão experiente no setor de crédito ao agronegócio.
  3. Boa diversificação com os ativos do setor: imóveis rurais, instrumentos de dívida, participação em sociedade, entre outros.
  4. Fundo acessível, uma vez que o valor de entrada para investir é baixo.
  5. Isenção do imposto de renda para pessoas física.
  6. Facilidade em investir num ativo agroindustrial sem precisar realizar a compra do imóvel rural.
  7. Distribuição de ativos de várias áreas do agronegócio.

Diferenças entre os fundos

Se compararmos, o Fiagro com um fundo imobiliário tradicional, é possível notar algumas diferenças, mesmo que ambos sejam voltados para investidores em geral.

A política de investimento do Fiagro envolve imóveis rurais, LCA, CRA, Cotas de FII/ FIDC/Fiagro, entre outros. No fundo imobiliário, essa política envolve bens imóveis e fundos ligados ao setor imobiliário.

Sobre a distribuição de rendimentos, nos fundos tradicionais, o gestor é obrigado a distribuir 95% dos rendimentos por semestre. Já no Fiagro, o gestor não tem essa obrigação. Ele pode regular uma política de distribuição conforme o regulamento do fundo.

Vale a pena investir no fundo Fiagro?

O Fiagro é uma modalidade nova de fundo de investimento no Brasil. Ele foi desenvolvido para atrair mais investidores que estejam dispostos a investir no agronegócio do país.

Esse tipo de investimento é uma opção mais atraente do que muitos fundos de renda, mas pode ser considerado arriscado, afinal envolve diferentes tipos de riscos como climático, crédito, governança, liquidez e mercado.

Por isso é importante conhecer o seu perfil de investidor, para que assim entenda os níveis de riscos que está disposto a correr. Aproveite e conheça nosso teste de perfil exclusivo e gratuito, aqui.

Outro ponto é que o FIAgro é um investimento novo, portanto não haverá histórico algum de ganho. 

Gostou? Ficou com alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

Sobre o autor
Bruna Rodrigues
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!