Empresa

A Eletrobras registrou um lucro líquido de R$ 1,269 bilhão no quarto trimestre de 2020, queda de 44% na comparação com os R$ 2,273 bilhões apurados no mesmo intervalo de 2019.

De acordo com a estatal de energia, os resultados do trimestre foram impactados, principalmente, pelo crescimento das receitas de transmissão, no valor de R$ 1,427 bilhão, refletindo a aprovação da revisão tarifaria das concessões de transmissão prorrogadas nos termos da Lei 12.783/2013, concluída em junho do ano passado, e por provisões para contingências no valor de R$ 3,128 bilhões, com destaque para R$ 2,251 bilhões relativos às contingências judiciais que discutem a correção monetária de empréstimo compulsório.

O Ebitda ficou negativo em R$ 299 milhões no quarto trimestre, ante os R$ 3,239 bilhões reportados mesmo período de 2019.

Já o Ebitda recorrente da estatal - que exclui os ajustes feitos na receita de Candiota, bem como custos extraordinários com planos de aposentadoria extraordinária (PAE) e demissão consensual (PDC), despesas com investigação independente, provisões e despesas ou receitas relacionadas a acordos judiciais, entre outros itens - somou R$ 4,575 bilhões, alta de 46% frente o quarto trimestre do ano anterior, com margem de 50%, 10 pontos porcentuais mais elevada.

Eletrobras conclui quatro trimestre de 2020 com lucro líquido de R$ 1,269 bilhão

A receita operacional líquida somou R$ 9,013 bilhões entre os meses de outubro e dezembro, acima dos R$ 7,706 bilhões nos mesmos meses do ano anterior, alta de 17%, influenciada principalmente pela receita de transmissão impulsionada pela revisão tarifária.

O resultado financeiro ficou positivo em R$ 425 milhões, ante R$ 30 milhões negativos um ano antes, influenciado principalmente pela exposição da companhia à variação cambial.

Acumulado de 2020

A Eletrobras registrou no consolidado de 2020 um lucro líquido de R$ 6,387 bilhões, 43% inferior aos R$ 11,133 bilhões obtidos no ano anterior.

A estatal também destacou que o lucro do exercício de 2020 foi influenciado pela variação cambial decorrente da pandemia, que gerou, no ano, uma despesa financeira de R$ 544 milhões em 2020 em comparação à variação positiva de R$35 milhões em 2019.

A Receita Operacional Líquida caiu 2% ano contra ano, passando de R$ 29,714 bilhões para R$ 29,081 bilhões, refletindo, de um lado, os resultados positivos em transmissão em decorrência da Revisão Tarifária Periódica, de outro, o resultado negativo em geração, que foi afetado pela redução de receita na usina Candiota III e pela extensão das paradas da susinas de Angra1e2, além do término de contratos de venda de energia no mercado regulado.

Além disso, houve o impacto, já citado das provisões para contingências, que somaram R$ 4,188 bilhões no ano.

O Ebtida chegou a R$ 10,487 bilhões em 2020, queda de 9%, com margem de 36%, baixa de 3 p.p.. Pelo critério recorrente, o indicador apresentou queda de 2%, para R$ 13,978 milhões, com margem de 47% (-1 p.p.). / com Agência Estado

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Veja mais Ver mais