Renda Variável

A Stone, fintech brasileira de processamento de pagamentos que negocia suas ações na Nasdaq, anunciou os resultados referentes ao quarto trimestre de 2020. De acordo com relatório da empresa, a Stone teve uma receita total de R$ 1 bilhão, o que representa um aumento de 27,9%. Por outro lado, o número de consumidores ativos cresceu mais de 35% no ano.

Apesar de ter avançado bastante no número de clientes ativos, a companhia diz esperar obter um registro ainda superior, ao atingir a marca de 1 milhão de usuários ativos em 2021. Com isso, segundo a companhia, espera-se também uma “aceleração significativa” em relação aos números obtidos em 2020.

Quer conhecer mais sobre a empresa, verificar seus resultados e ainda descobrir se vale ou não a pena investir na Stone? Então, continue a leitura!

Quem é a Stone?

Como já destacamos anteriormente, a Stone é uma fintech brasileira que atua no mercado de produtos e soluções para pagamentos, incluindo o uso de máquinas de cartões (crédito ou débito) ou vouchers.

Basicamente a Stone se trata de uma empresa adquirente, isto é, ela realiza a quitação antecipada de transações financeiras efetuadas a partir do cartão de crédito ou débito. Basicamente ela funciona como uma ligação entre bancos emissores e bandeiras de cartões, realizando o processamento dos pagamentos.

Um dos principais marcos da empresa se deu em 2018, quando se tornou também uma startup unicórnio. Em outras palavras, a Stone Pagamentos foi avaliada em US$ 1 bilhão, antes mesmo de ter o seu capital aberto na bolsa de valores norte-americana: a NASDAQ.

Gestão administrativa

A Stone Pagamentos é controlada pela holding Stone Co. e conta com outras empresas do setor de pagamentos no país, como a pagar.me, mundipagg, equals e CAPPTA. Os principais instrumentos de governança da companhia são: Diretoria Executiva, composta por 7 membros cujo objetivo é estabelecer as principais estratégias para atingir os objetivos da companhia tanto no curto quanto no longo prazo.

Os atuais membros da Diretoria da empresa são:

Já o Conselho de Administração da Empresa é composto pelos membros:

Resultados da Stone em 4t20

Em março de 2021 a Stone Pagamentos, empresa que detém um valor de mercado próximo à casa dos 14 bilhões de dólares, divulgou os resultados obtidos no quarto trimestre de 2020. De acordo com o relatório da companhia, a empresa fechou o ano de 2020 com um Volume Total de Pagamentos de R$ 64,4 bilhões, um aumento de 60,1% ao registrado no mesmo período do ano anterior.

A margem líquida ajustada, que se refere ao percentual de lucro líquido obtido da receita total da empresa foi de 35,7%, atingindo um índice histórico para a companhia. Em números totais, o lucro líquido ajustado da Stone no 4t20 foi de R$ 357,8 milhões, configurando assim um decréscimo de 30,1% — apesar dos altos investimentos operacionais.

Os resultados demonstram que, embora a Covid-19 tenha impactado todos os setores da economia, a Stone se manteve apresentando bons números e um crescimento sólido. Isso porque, por meio de um conjunto de soluções em pagamentos, sistemas bancários, softwares e crédito, a companhia teve uma adição líquida trimestral recorde de clientes em pagamentos no quarto trimestre de 2020.

Operacional

No quarto trimestre de 2020, a base de clientes ativos da Stone apresentou um crescimento de 35,7% em relação ao período homólogo. Em números, a empresa atingiu a marca de 652.200 consumidores ativos. Além disso, o número de clientes com solução de crédito cresceu para 88.900 no 4t20, gerando um aumento de 3,7% em relação ao 4t19.

No segmento de transações e outros serviços, a receita líquida da empresa foi de R$ 3,3 bilhões no último trimestre de 2020, ante R$ 2,3 bilhões em relação ao último trimestre de 2019. Além disso, a receita total da Stone foi de R$ 1 bilhão, contra R$ 782,9 milhões no 4t19.

Financeiro

Já a receita total da Stone atingiu R$ 3,3 bilhões no quarto trimestre de 2020, representando um crescimento de 28,9% comparado com 2019. A seguir, confira os demais detalhes apresentados pela empresa no último trimestre de 2020.

Como investir na Stone?

Criada em 2012, a Stone Pagamentos é uma empresa brasileira que lançou sua IPO na Nasdaq em 2018, arrecadando assim aproximadamente US$ 1,5 bilhões. Apesar de ser uma fintech brasileira, não é possível adquirir as ações da companhia diretamente no mercado brasileiro.

Entretanto, é possível realizar aportes nos títulos da Stone na bolsa norte-americana através dos fundos de investimentos ou da aquisição de ADRs. Outra alternativa para quem deseja contar com as ações da STNE através da Nasdaq é abrindo uma conta em uma corretora internacional.

Para tanto, basta transferir o dinheiro para a corretora de valores da sua preferência e, em seguida, escolher diretamente por lá quais os papéis deseja comprar. Entretanto, é importante lembrar que esse método pode incorrer em altas taxas.

Vale a pena?

Após verificar os principais pontos relacionados à companhia de pagamentos, o primeiro passo para entender os benefícios de se investir na Stone é observar os seus objetivos financeiros, bem como o perfil de investidor.

Assim como qualquer outra companhia do mercado de investimentos variáveis, a Stone oferece benefícios e desvantagens. Sendo assim, é indispensável realizar uma análise cautelosa.

A dica é não se prender apenas a história da empresa ou os seus últimos resultados. Afinal, também é importante analisar os seus principais indicadores, bem como conhecer os impactos da companhia ou seu nível de relevância para o mercado.

Imagem do autor

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Renda Variável
Renda Variável
Renda Variável
Renda Variável
Veja mais Ver mais