Fundos de Investimentos

Com os resultados fechados de julho, é hora de olhar os fundos que estão rendendo bem, pagando mais que o DI e as outras opções de renda fixa, e estão protegendo o dinheiro do investidor.

A partir de dados da base da Mais Retorno, elaboramos esse ranking exclusivo, que traz os fundos mais rentáveis nos 7 meses de 2021, e também o desempenho deles no mês de julho e em 12 meses. É um caminho para conhecer mais sobre os fundos e saber quem é quem nessa indústria.

Os fundos que mais brilharam

No ano, até julho, o fundo de renda fixa mais bem colocado, o BTG Pactual Debêntures Incentivadas FIC Incentivados RF, acumulou rendimento de 6,58% e o segundo, o Capitânia FIC Inc. Infra, 6,57%, ambos com ampla margem acima da variação de 1,64% do DI no período, ou da inflação estimada em 4,88%.

As posições se invertem no balanço dos últimos 12 meses, período em que o Capitânia FIC Incentivados Investimento Infraestrutura RF CP, aparece em primeiro, com rentabilidade acumulada de 10,12%, e o BTG Pactual Debêntures Incentivadas, com 9,45%. Ambos com rendimento bastante acima do DI acumulado de 2,45% no período.

Gestão arrojada e papeis explicam sucesso

Em geral, gestores misturam títulos públicos, atrelados à Selic, e privados, referenciados ao CDI, na carteira do fundo de renda fixa, sem ousar na gestão, o que redunda na maioria dos fundos em rentabilidade que nem sequer se aproxima de seus respectivos benchmarks.

Os dois fundos mais bem situados na tabela fogem a essa regra, com uma diversificação em papeis mais rentáveis e cuidado no controle de riscos.
Como o próprio nome dos fundos indicam, as debêntures incentivadas com rentabilidade encorpada pela isenção de imposto de renda são preponderantes na composição da carteira.
Mais ainda, as debêntures podem ser consideradas hedge contra a inflação porque têm o rendimento atrelado ao IPCA.

A gestão do BTG Pactual Debêntures tem como estratégia a seleção dos projetos mais sólidos que garantem a emissão das debêntures, de modo a combinar rentabilidade diferenciada com a redução dos riscos.

Embora esses papeis sejam emitidos por prazos mais longos, a dinâmica desse fundo, explica o Head de Crédito da BTG Pactual Asset, Eduardo Arraes, consiste em reciclar a carteira de forma regular.

Dessa forma, os papeis são comprados em condições favoráveis em oferta primária e vendidos no mercado secundário antes de seu vencimento para o gestor ir em busca de novas oportunidades no mercado, aproveitando as oscilações dos ativos.

O valor mínimo para aplicação inicial no BTG Pactual Debêntures é de R$ 1 mil, assim como as movimentações seguintes. A taxa máxima de administração é de 1% ao ano, o prazo para a cotização, de 30 dias, e o saque pode ser feito no dia seguinte.

Foto: Envato
A maioria dos fundos consegue superar a inflação acumulada em 2021, estimada em 4,88%

Carlos Simonetti, sócio responsável pela Área de Relacionamento com Investidores, explica que o Capitânia FIC Incentivados é um fundo de infraestrutura que tem no momento 96% carteira alocada em debêntures incentivadas, emitidas para o financiamento de obras de infraestrutura. A isenção de imposto deixa a rentabilidade desses papeis mais atraente.

As debêntures da carteira do Capitânia FIC são indexadas ao IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) e rendem ao redor de CDI mais juro de 1,60% ao ano. O valor mínimo de aplicação é R$ 1 mil e as movimentações seguintes são também no mesmo valor.

O fundo cobra taxa de administração de 0,90% ao ano. O pagamento do resgate ocorre 90 dias após o pedido do investidor.

O restante da carteira, uma fatia de 4%, é formada por títulos públicos pós-fixados indexados à Selic, para atender às necessidades de resgate.

Os demais oito fundos de renda fixa da tabela renderam entre 5,42% (ARX Everest FIC FI) e 4,12% (SPX Sea Hawk FIC FI CP LP) em 2021 e entre 8,20% e 6,79% nos últimos 12 meses. Todos acima da variação de 1,64% do CDI de janeiro a julho deste ano e de 2,45% em 12 meses.

Comparativo com a inflação

Transitar com o rendimento acima do CDI não foi difícil. Todos os fundos cumpriram essa tarefa, no ano e em 12 meses. Superar a inflação, contudo, foi uma conquista para poucos.

No ano, apenas metade dos fundos de renda fixa renderam mais que a inflação projetada de 4,88% e só dois a inflação de 8,73% estimada em 12 meses.

Fora o BTG Pactual Debêntures Incentivadas e o Capitânia FIC Incentivados ganharam da inflação de 4,88% estimada para o ano outros três fundos: o ARX Everest FIC FI, com 5,42%; o ARX Vinson FIC FI, com 4,96%, e o Sparta Debêntures Incentivadas Infraestrutura, também com 4,96%.

Em 12 meses, apenas Capitânia FIC Incentivados Infraestrutura, com 10,12%, e BTG Pactual Debêntures Incentivadas, com 9,45%, suplantaram a inflação projetada de 8,73%.

Desempenho acima da Selic

Todos os 10 fundos de renda fixa mais rentáveis apresentaram um retorno superior à Selic acumulada de 1,62% no ano e de 2,43% em 12 meses.

Imagem do autor

Colaborador do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Veja mais Ver mais