Logo Mais Retorno
Fundos de Investimentos

Cobertura do Leblon, vendida por R$ 42 milhões, renderia mais de R$ 500 mil ao mês em fundos de renda fixa ou em FIIs

Apartamento terá mais de 500 m² com vista para o mar em bairro da Zona Sul do Rio de Janeiro

Data de publicação:28/06/2022 às 05:00 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:

Que tal embolsar um rendimento mensal bruto de quase R$ 600 mil com risco baixo e retorno interessante de um fundo de renda fixa? Ou de R$ 537 mil líquidos em um fundo de investimento imobiliário? É o que teria conseguido o milionário que comprou a cobertura do Leblon, de R$ 42 milhões, na Zona Sul do Rio de Janeiro, se aplicasse esse total em fundos de boa performance.

Trata-se de um apartamento com mais de 500 m², construído no local em que ficava o último casarão da orla da praia, em prédio de seis andares e que deverá contar com obras de arte na decoração, segundo informações do Portal G1, entre outros requintes.

cobertura do Leblon
O conceito do lobby é de uma galeira de arte, e na calçada haverá escultura de artista plástica mineira - Foto: Divulgação

No fundo de renda fixa, o Infinity Tiger Alocação Dinâmica, que apresenta um rendimento acumulado de 1,42%, em junho, até o dia 23, o rendimento nominal ficaria acima de R$ 596 mil no período. Como faltam sete dias para o fechamento da cota no mês, é bastante provável que a remuneração final ficasse acima de R$ 600 mil. Mas sobre ela haveria desconto do imposto de renda.

Se o investimento fosse no Infinity Lotus, que se posiciona também entre os mais rentáveis no mês, o rendimento bruto ficaria em torno de R$ 562 mil até o dia 23 de junho.

Retorno da cobertura do Leblon em fundos imobiliários

Para ficar no mesmo setor da cobertura do Leblon, aplicações em FIIs também não decepcionariam o milionário. Segundo o assessor de investimentos da SVN, Leonardo Eczetes, há fundos imobiliários que vêm apresentando rendimento líquido superior a 1% ao mês.

FundoRend. junhoRend. 24 mesesRend dos R$ 42 milhões
em junho
Infinity Tiger Alocação1,42%34,05%596.400,00
Infinity Lotus1,34%31,51%562.800,00
Iridium Recebíveis Imobiliários1,28%44,61%537.600,00
Capitânia Securities II FII1,18%13,09%495.600,00
Fonte: Mais Retorno

Um deles é o FI Imobiliário Iridium Recebíveis Imobiliários, IRDM11, que distribui "dividend yield" de 1,28% em junho, em rendimento livre de imposto de renda para investidores pessoa física. Esse mesmo retorno foi pago ao cotista em maio.

Outro destaque é o Capitânia Securities II FI Imobiliário, CPTS11, com rendimento líquido de 1,18% em junho, mas que vem com uma performance superior a 1% nos últimos 12 meses, relata Eczetes.

Ao comparar os investimentos, o especialista ressalta que dependendo do prazo, a remuneração nos fundos de renda fixa pode até ficar abaixo da dos FIIs, pelo desconto do imposto de renda, que chega a 22,5% para aplicações de até 180 dias.

Os FIIs também permitem uma diversificação, assim, em vez de empregar em apenas um imóvel, destaca o especialista, o dinheiro estaria sendo empregado em diferentes imóveis, "sem estresse com inquilino, pagamento de IPTU, de outras despesas, e sem a preocupação se a obra vai atrasar ou não", afirma ele.

Ainda que sejam considerados como de renda variável, há FIIs que contam com previsibilidade de retorno pelo pagamento dos dividendos.

Eczetes lembra que os fundos imobiliários foram castigados com a perspectiva de tributação dos dividendos, cogitada por ocasião da reforma tributária, mas que acabou não se concretizando. Os FIIs são também sensíveis ao comportamento do mercado imobiliário que, por sua vez, é atingido pelos juros altos e queda do poder aquisitivo da população. Inadimplência dos alugueis e vacância das unidades reduzem o retorno dos FIIs.

Saiba mais sobre o imóvel

Pelas informações do Portal G1, ainda em construção, o residencial tem entrega prevista para o primeiro semestre de 2024. O projeto foi desenvolvido pela Gensler, um escritório internacional de arquitetura.

Entre os diferenciais explorados comercialmente, está o fato de ser o último terreno da orla em área muito cobiçada, o design com linhas arredondadas para lembrar as ondas do mar, e a varanda sem estrutura metálica para ter vista da praia e iluminação natural. A ideia é passar a sensação de "que o oceano está dentro dos apartamentos", explica a construtora Gafisa em comunicado ao portal.

O lobby do prédio foi concebido como uma galeria de artes, com esculturas do artista plástico Ernesto Neto e um quadro de Vik Muniz. A parede dos fundos do edifício contará com uma obra exclusiva dos Irmãos Campana,e na calçada haverá uma escultura da artista plástica Iole de Freitas.

Questionada sobre o valor de venda da cobertura, a Gafisa informou no mesmo comunicado que não divulga os dados por questão de confidencialidade, seguindo a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

Sobre o autor
Regina Pitoscia
Editora do Portal Mais Retorno.