Economia

O Brasil gerou 280.666 novos empregos com carteira assinada em maio, volume mais do que o dobro ante a criação de 116.423 vagas em abril (dado revisado). Os números fazem parte do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quinta-feira, 1, pelo Ministério da Economia.

Foto: Arquivo
Número de vagas criadas em maio é superior ao montante registrado em abril, segundo Caged - Foto: Arquivo

O resultado de maio decorreu de 1,548 milhão de admissões e 1,268 milhão de demissões. Em maio do ano passado, em meio à primeira onda da pandemia de covid-19 no País, houve fechamento de 373.888 vagas com carteira assinada.

O mercado financeiro já esperava um novo avanço no emprego no mês, e o resultado veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas, e acima da mediana de 157.500 postos de trabalho. As projeções eram de abertura líquida de 71.000 a 362.000 vagas no período.

Acumulado de 2021

No acumulado dos cinco primeiros meses de 2021, o saldo do Caged é positivo em 1,233 milhão de vagas. No mesmo período do ano passado, houve destruição líquida de 1,144 milhão de postos formais.

De acordo com o ministério, 3,485 milhões de trabalhadores seguiam com garantia provisória de emprego em maio graças às adesões em 2020 ou 2021 ao Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEm).

Para cada mês de suspensão ou redução de jornada no ano passado, o trabalhador tem o mesmo período de proteção à sua vaga. O programa foi relançado em abril pelo governo por mais quatro meses neste ano.

Serviços puxa alta

A abertura líquida de 280.666 vagas de trabalho com carteira assinada em maio, segundo o Caged, foi novamente puxada pelo desempenho do setor de serviços no mês, com a criação de 110.956 postos formais, seguido pelo comércio, que abriu 60.480 vagas.

Já a indústria geral abriu 44.146 vagas em maio, enquanto houve um saldo de 42.526 contratações na agropecuária. Na construção civil, foram criadas 22.611 vagas no mês.

No quinto mês do ano, todas as 27 Unidades da Federação registraram resultado positivo. O melhor resultado foi registrado em São Paulo novamente, com a abertura de 104.707 postos de trabalho.

O salário médio de admissão nos empregos com carteira assinada passou de R$ 1.873,33, em abril, para R$ 1.797,10 em maio.

Metodologia

Desde janeiro do ano passado, o uso do Sistema do Caged foi substituído pelo Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial) para as empresas, o que traz diferenças na comparação com resultados dos anos anteriores.

Na metodologia anterior (de 1992 a 2019), o melhor resultado para maio na série sem ajustes havia sido em 2010, quando foram criadas 298.041 mil vagas no quinto mês do ano. / com Agência Estado

Imagem do autor

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Economia
Economia
Economia
Economia
Veja mais Ver mais