Logo Mais Retorno
Empresa

Acionistas aprovam a fusão da brMalls e Aliansce Sonae; saiba o que esperar do negócio

Caso aprovada, a fusão dará origem a maior rede de shoppings da América Latina

Data de publicação:08/06/2022 às 14:37 -
Atualizado 24 dias atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Nesta quarta-feira, 08, a rede de shoppings brMalls aprovou, por meio de uma assembleia geral extraordinária com seus acionistas, a fusão da empresa com a Aliansce Sonae, outra companhia que atua como administradora de shoppings centers ao redor do Brasil.

Com o negócio confirmado, a fusão das duas empresas originará a maior rede de shoppings da América Latina.

shoppings brmalls aliansce
Foto: Reprodução

As marcas, que vinham discutindo uma combinação de negócios desde janeiro deste ano, fecharam acordo no último 29 de abril. Pela proposta, a Aliansce vai incorporar todas as ações da brMalls por um valor estimado em R$ 1,25 bilhão. Além disso, a administradora ofereceu à rede de shoppings a troca de cada ação da brMalls para 0,3940 ação da nova companhia, que será criada a partir do negócio.

Expectativas para a fusão da brMalls e da Aliansce Sonae

De acordo com documentos apresentados pelas empresas, a nova companhia terá um portfólio de 69 shoppings centers, com presença em 16 estados brasileiros e um valor de mercado em torno de R$ 13 bilhões. As expectativas são de que a fusão gere um lucro operacional líquido de cerca de R$ 1,7 bilhão até o final de 2022.

Ygor Altero, Head de Real Estate da XP Investimentos, afirma que o "portfólio combinado é complementar e deve ajudar a aumentar a presença geográfica da empresa sem canibalização, já que a brMalls e a Aliansce Sonae atuam juntas em apenas 8 estados".

O analista destaca, ainda, que a fusão da Aliansce e da brMalls pode elevar a confiança do mercado na empresa combinada - que terá um expressivo valor de mercado e uma presença importante no mercado de shoppings centers -, podendo atrair uma maior quantidade de investidores estrangeiros interessados nos papéis provenientes do negócio.

Ambiente mais atraente para diversos públicos

Especialistas explicam que, além e criar a maior rede de shoppings do Brasil e da América Latina, a união das duas empresas também traz outros benefícios, que tendem a facilitar os negócios para a nova marca.

Com muitas unidades em seu portfólio, divididas entre diferentes geografias e classes sociais, a rede pode se tornar mais atraente para anunciantes, tanto nos espaços físicos quanto nos virtuais; lojistas, que terão mais opções de onde montar seus negócios; e consumidores, que terão uma diversidade maior de escolhas.

Aprovação do Cade

Além de passar pela assembleia geral da brMalls, a fusão ainda precisa ser aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Vemos alguns ativos não estratégicos (Londrina, Uberlândia e Vila Velha) como um potencial impedimento ao CADE. No entanto, em nossa visão, esses ativos poderiam ser desinvestidos sem causar grandes impactos para a newco (nova companhia), pois são ativos que estavam anteriormente à venda antes da combinação das duas empresas.

Ygor Altero, Head de Real Estate da XP Investimentos

Com exceção desses ativos, o analista afirma que o CADE não deve se mostrar contra a união das empresas, porque elas apresentam bastante complementaridade.

Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno