Economia

O Ministério do Trabalho e Previdência divulgou nesta quinta-feira, 26, os números de geração de trabalho no País com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Em julho, o Brasil abriu 316.580 novas vagas de emprego com carteira assinada. Este é o sétimo mês consecutivo com saldo positivo na criação de vagas formais.

Os dados mostram que, no mês, o número de admissões ficou em 1.656.182, enquanto o de desligamentos foi de 1.339.602. No acumulado do ano, foram criadas 1.848.304 vagas.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil vagas de emprego
Carteira de trabalho na versão física e digital | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

No mesmo período do ano passado, o Brasil havia criado 137.014 vagas. Naquele momento, os estados ainda passavam por medidas restritivas mais duras, na tentativa de controlar o avanço da pandemia de covid-19 pelo País.

Em relação à modalidade de trabalho intermitente, quando a empresa contrata um funcionário por um determinado período de tempo, mas ainda garantindo os direitos trabalhistas, houve a geração de 7.665 novas vagas de emprego. Esse resultado vem de 21.603 admissões e 13.938 desligamentos.

De acordo com o Caged, todas as regiões brasileiras tiveram saldo positivo no nível de emprego em julho. Sudeste lidera, com a criação de 161.951 vagas. Na sequência, Nordeste, com 54.456; Sul, 42.639; Centro-Oeste, 35.216 e Norte, 22.417.

Também houve aumento na criação de vagas nos cinco grupos de atividade econômica em julho.

  • Serviços lidera, com um registro de 127.751 novas vagas de emprego
  • Comércio gerou 74.844 novos postos de trabalho
  • Indústria teve um saldo positivo de 58.845 vagas formais
  • O setor de Construção reportou a criação de 29.818 postos
  • Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, juntos, responderam por 25.422 vagas

Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa Investimentos destaca que "o número positivo veio marginalmente acima do esperado pelo mercado, cuja mediana encontrava-se em 300 mil novas vagas". O especialista ainda ressalta que o crescimento registrado em todas as regiões e setores mostra um processo contínuo de recuperação da economia brasileira.

Imagem do autor

Repórter na Mais Retorno

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais