Logo Mais Retorno
Economia

Bolsas da Europa fecham em alta com balanços, dados da região e de olho no BCE

Resultados trimestrais de empresas europeias estão positivos

Data de publicação:20/04/2022 às 14:49 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

As bolsas da Europa fecharam em alta nesta quarta-feira, 20. Os principais índices acionários foram impulsionados pelos resultados trimestrais de companhias do continente, além de dados da região. Falas de dirigentes do Banco Central Europeu (BCE) estiveram no radar.

O avanço se deu apesar dos temores sobre a guerra na Ucrânia e pandemia da covid-19. O índice pan-europeu Stoxx600 subiu 0,84%, a 460,10 pontos.

bolsas da europa
Produção na zona do euro tiveram avanço de 0,7% em fevereiro - Foto: Reprodução

Os resultados trimestrais de empresas europeias estiveram em destaque. A Heineken, por exemplo, saltou 5,15% em Amsterdã, depois de informar lucro líquido do primeiro trimestre mais de duas vezes maior que igual período do ano passado. Os papéis da Danone avançaram 5,76% em Paris, com resultados melhores que o esperado, assim como a ASML (+5,31%), também em Amsterdã.

O índice parisiense CAC 40 fechou com alta de 1,38%, a 6.624,91 pontos, e o londrino FTSE 100 teve ganho de 0,37%, a 7.629,22 pontos.

Dados de produção da zona do euro também apoiaram ganhos das bolsas, com o avanço mensal de 0,7% em fevereiro pelo indicador. Ainda entre indicadores, a balança comercial do bloco teve déficit de 9,4 bilhões de euros no mesmo mês, maior do que no anterior. Enquanto na Alemanha, o índice de preços ao produtor (PPI) saltou 30,9% em março, na base anual.

Em Frankfurt, o DAX subiu 1,47%, a 14362,03 pontos, e em Milão, o FTSE MIB avançou 1,11%, a 24.873,86 pontos.

A mineradora Rio Tinto (-4,75%) informou nesta quarta ter embarcado menos minério de ferro de suas operações na Austrália nos três primeiros meses do ano, com desafios de novos projetos, em comparação há um ano.

Analista-chefe de mercados da CMC MArkets, Michael Hewson observa que a covid-19 interferiu na capacidade de produção. "A gigante da mineração também alertou que o aumento da inflação causada pela invasão russa da Ucrânia e o ressurgimento de casos de covid provavelmente introduzirão riscos negativos às expectativas do mercado", destacou. Em Londres, a AngloAmerican (-2,88%) e a Glencore (-3,12%) acompanharam o movimento.

Os papéis do Credit Suisse também caíram, com baixa de 1,48% em Zurique. O banco informou ter tido prejuízo no primeiro trimestre deste ano, dados os custos de litígio e perdas ligadas à Rússia. A previsão é que o resultado trimestral apresente cerca de US$ 212 milhões em receitas negativas.

Nas praças ibéricas, o PSI 20 ganhou 0,28%, a 6123,51 pontos, e o IBEX 35 teve alta de 0,87%, a 8.769,50 pontos, conforme dados preliminares.

No BCE, o membro do Conselho Martins Kazaks considerou que uma alta nos juros básicos é possível na reunião de julho, em meio aos riscos "significativos" de inflação.

Já o dirigente Joachim Nagel disse ser contra qualquer aumento "precipitado" na taxa básica de juros e espera que tal movimentação se dê no terceiro trimestre deste ano./Agência Estado

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!