Logo Mais Retorno
bolsa
Mercado Financeiro

Bolsa sobe 1,81% e supera os 108 mil pontos, maior nível desde junho, dólar cai a R$ 5,11

Mercado está de olho na ata do Copom e também na divulgação da inflação de julho

Data de publicação:08/08/2022 às 18:05 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:

A Bolsa de Valores do Brasil, a B3, viveu um dia bastante positivo neste início de semana, fechando com alta de 1,81%, aos 108.402, maior nível nos últimos dois meses, desde o dia 8 de junho (108.368). A sustentação do mercado veio principalmente das ações de commodities e do setor bancário, mas expectativa de deflação no País, dados da economia chinesa e maior aversão ao risco também contribuíram para o bom humor no pregão de hoje.

Já o dólar fechou por mais um dia no vermelho, com queda de 1,04% e cotadoa R$ 5,11, o menor patamar desde o dia 13 junho (R$ 5,12).

bolsa

Para Leando De Checchi, analista da Clear Corretora, a bolsa deu continuidade ao bom desempenho das últimas três semanas, motivada pelos resultados corporativos positivos que vêm sendo divulgados, e a perspectiva de arrefecimento da inflação. "Entre as quinze empresas com maior peso no índice e que correspondem por mais de 50% da sua composição, apenas a JBS (JBSS3) não teve desempenho positivo no pregão de hoje", aponta ele.

"Na véspera da divulgação da ata do Copom e do IPCA, os juros futuros recuam mesmo com a alta das commodities o que sinaliza a possibilidade de um cenário inflacionário mais controlado e indica maior possibilidade do fim do ciclo de alta dos juros, como dito pelo Banco Central, e acredito que pode funcionar como alavanca à tomada de risco", pontua De Checchi.

Fatores externos como alta das commodities, números positivos na China, valorização das bolsas internacionais e aumento de apetite ao risco estão também por trás da valorização da Bolsa nesta segunda-feira.

Fatores externos também ajudam a Bolsa

"Lá fora, os contratos futuros de petróleo subiram nesta segunda feira, após uma queda de mais de 8% na semana passada, o petróleo oscilou na sessão, mas conseguiu terminar o dia positivo. O minério de ferro não ficou de fora da alta e avançou 2,78%, a recuperação ocorre na medida em que melhoram as margens das siderúrgicas na China," diz ela

Os papeis de Petrobras fecharam com alta de 5,05%, e os de Vale, de 0,85%.

O analista ressalta ainda que nos EUA, os índices demonstram mais cautela após dados de emprego apresentarem criação de 528 mil postos de trabalho bem acima dos 250 mil esperados e que pode levar a uma postura mais agressiva do Federal Reserve (Fed) em relação ao aumento das taxas de juros.

Dow Jones fechou com alta residual de 0,089%, mas a S&P 500 caiu 0,12% e a Nasdaq, 0,10%.

Letícia esclarece que o dólar seguiu em desvalorização frente ao real, alinhado aos pares de moedas emergentes, reforçando a tese de que o mercado está mais propenso ao risco no momento.

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta após divulgação da balança comercial da China no final de semana, indicando um crescimento maior do que o esperado, com um superávit de US$ 101,26 bilhões em julho.

No velho continente, as principais bolsas também fecharam em alta nesta segunda-feira, dia de agenda vazia na zona do euro. Os investidores monitoraram as notícias do setor corporativo, identificando alta do setor de energia apoiado pelos ganhos do petróleo, após uma crise imediata ser evitada no setor de energia da Europa.

Sobre o autor
Regina Pitoscia
Editora do Portal Mais Retorno.

Inscreva-se em nossa newsletter