Finanças Pessoais

Nos últimos anos, diversos bancos digitais e fintechs surgiram, ganhando espaço no mercado. Uma das tática adotadas para disputar mercado com os bancos tradicionais, essas instituições passaram a oferecer alguma rentabilidade na conta corrente, com resultados superiores à traidiciona caderneta de poupança.

A suposta 'mágica' usada pelos bancos bancos digitais para fazer o dinheiro render, na verdade, não tem mágica nenhuma. Ao deixar o dinheiro parado na conta corrente, eles automaticamente aplicam o recurso em produtos de renda fixa com liquidez imediata, como CDBs e títulos de tesouro Selic.

bancos digitais
A edição mais recente do Raio X do Investidor, da Anbima, mostrou que 84,2% dos investidores em 2019 mantém o dinheiro na poupança

O rendimento da poupança é sempre 70% da Selic, a taxa básica de juros, até que esta chegue no patamar de 8,50% ao ano. No entanto, os bancos digitais acompanham outra taxa para definir a rentabilidade.

O CDI, Certificação de Depósito Interbancário, é um mecanismo utilizado entre os bancos para que fechem o dia sempre com saldo positivo, como um empréstimo. Desse empréstimo, é cobrada uma taxa de juros, que também acompanha a Selic e é maior que a poupança. Hoje, o mercado trabalha com o CDI a 4,15% ao ano, enquanto a poupança oferece 2,975% ao ano.

Muitos dos investimentos disponíveis no mercado financeiro, inclusive nos bancos digitais, se baseiam no CDI. Por esse motivo, o rendimento dessas contas é maior, ajudando o investidor com suas obrigações financeiras no curto prazo e oferecendo certa proteção contra a inflação. Confira, a seguir, as principais opções dentro desse mercado.

Nubank

O Nubank é, hoje, o maior banco digital brasileiro e um dos maiores bancos quando considerados, também, os tradicionais. A empresa, inclusive, recebeu um investimento milionário recentemente da Berkshire Hathaway, de Warren Buffet.

O banco oferece a NuConta, totalmente digital, com uma rentabilidade de 100% do CDI para o dinheiro que está parado na conta corrente, podendo ser resgatado a qualquer momento.

Por não se tratar de um produto financeiro, a NuConta não possui a garantia do Fundo Garantidor de Crédito, o FGC. No entanto, as instituições financeiras que não contam com essa proteção, têm a obrigatoriedade de depositar o dinheiro de cada cliente em títulos públicos, separado do patrimônio da empresa.

Banco Original

Assim como na Nubank, o patrimônio deixado na conta corrente do Banco Original rende 100% do CDI, se permanecer ali por, pelo menos, 30 dias.

Segundo o próprio banco, o rendimento automático é direcionado para o CDB Original. Caso o investidor prefira fazer a aplicação direta no CDB, a rentabilidade é maior.

Por se tratar de um investimento em CDB, o dinheiro está protegido pelo FGC, limitado a uma quantia de R$ 250 mil por CPF.

PicPay

O PicPay não é exatamente um banco, mas sim uma carteira digital, onde é possível pagar contas com cartão de crédito, realizar transferências e, também deixar o dinheiro "guardado".

Dentre todas as opções que possibilitam manter o patrimônio em conta corrente, o PicPay é a que melhor remunera. O saldo, de até R$ 250 mil, rende automaticamente 130% do CDI.

Assim como na Nubank, o dinheiro em conta no PicPay é depositado em títulos públicos, mas não conta com o FGC.

PagBank

O PagBank também não é um banco, mas oferece uma conta digital chamada "Conta Rendeira". Nela, o saldo de até R$ 1.500 rende 100% do CDI se permanecer pelo menos um mês ali. O que estiver acima desse valor, rende 5% do CDI.

Nessa modalidade de investimento, o dinheiro é depositado em títulos públicos.

A empresa da PagSeguro oferece também o CDB PagBank, com liquidez diária, sem carência e rentabilidade de 200% do CDI. Optando por essa aplicação, o cliente conta com a garantia do FGC.

Produtos financeiros próprios dos bancos digitais

Além das opções de rentabilidade em conta corrente, também é possível encontrar produtos financeiros dentro dos próprios bancos digitais.

O Banco Inter, Neon e C6 Bank, outros dos principais bancos digitais presentes no Brasil hoje, possuem uma gama variada de aplicações, com CDBs, LCIs e LCAs. Em sua grande maioria, esses investimentos rendem mais que a poupança, com uma taxa que acompanha o CDI.

Algumas dessas opções oferecem liquidez diária, outras têm um período de carência em que o dinheiro deve permanecer investido. Mas, no geral, quanto mais tempo, maior o rendimento final.

Por se tratar de produtos financeiros emitidos por bancos, eles contam com a proteção do FGC para investimentos de até R$ 250 mil por CPF.

Imagem do autor

Repórter na Mais Retorno

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Finanças Pessoais
Economia
Finanças Pessoais
Finanças Pessoais
Veja mais Ver mais