O que é Value Investing?

Value Investing é uma estratégia de investimento em renda variável de longo prazo, divulgada por um influente economista britânico, Benjamin Graham

Graham nasceu em Londres mas foi criado na cidade de Nova Iorque, onde graduou-se em Economia pela Universidade de Columbia e, logo após, foi admitido por uma financeira na famosa Wall Street. A partir dali, Graham passou a ter contato com a Bolsa de Valores e com o universo dos investimentos, até que finalmente desenvolveu grande parte dos pilares da estratégia discutida neste artigo..

Para que você possa compreender melhor, vamos recapitular alguns conceitos de mercado financeiro.

O mercado de ações é composto por diferentes perfis de investidores e de instituições. A compra e venda dessas ações é o que movimenta e gera grande oscilação de preços, correto? Além de fatores correspondentes a cada economia – como a política local, por exemplo. 

De acordo com cada perfil e objetivo pessoal, os investidores tomam suas decisões baseadas em análises fundamentalistas, técnicas ou ainda, utilizam dos dois pontos de vista para compra e venda de ações. Mas não podemos nos esquecer que existem aqueles que, tomados por inúmeros vieses cognitivos, investem baseados no que algum amigo próximo indicou ou leu na internet.

O Value Investing não se debruça sobre estes últimos, mas principalmente sobre os adeptos da análise fundamentalista, que se valem de estratégias como o Buy and Hold para aumentar seu patrimônio.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Quais são os princípios do Value Investing?

De forma resumida, pode-se dizer que o Value Investing consiste na negociação de ações com preços intrínsecos que garantem margem de segurança para o investidor.

Ok, nós explicamos.

Durante a movimentação de compra e venda de ações, algumas delas podem acabar ficando descontadas, ou seja, com um valor muito abaixo do que realmente valem. 

Empresas sólidas e confiáveis que possuam ações descontadas, atraem investidores adeptos ao Value Investing com muita facilidade, justamente porque o principal objetivo desse método é a correção, e consequente valorização, de tais títulos a longo prazo!

Note que, os fatores mais relevantes para aplicação dessa estratégia são o preço da ação e a segurança proporcionada pela empresa. Porém, o retorno por meio de dividendos pode ser um critério levado em consideração, dependendo do perfil de cada investidor.

Alguns nomes bem influentes, como Warren Buffett, Philip Fisher, John Templeton, Charlie Munger e Luiz Barsi, são investidores adeptos a estratégia fundamentalista de Value Investing.

Inclusive, o próprio Luiz Barsi já disse:

“Eu não invisto em ações como essência. Invisto em projetos empresariais com perspectivas de serem bem-sucedidos. Ação é uma maneira de participar desses projetos. Se você pretende investir em busca de riqueza rápida, procure outra aplicação que não as ações, mesmo porque o segmento acionário não lhe será favorável”.

Um verdadeiro exemplo da filosofia por trás de qualquer Value Investor, concorda?

Existe fórmula mágica para aplicação do Value Investing?

Bom, fórmula mágica não existe. Mas, existe uma fórmula matemática!

É possível calcular o valor intrínseco de cada título avaliado a partir dos métodos de Graham, estudados na década de 1940/1950. 

Porém, cada investidor pode – e deve – fazer suas próprias análises e estimativas de acordo com as ações visadas, avaliando também sua realidade econômica no mercado em geral. 

A fórmula proposta por Benjamin Graham é a seguinte:

VaIor Intrínseco = raiz quadrada de (22,5 x LPA x VPA). 

O valor de “22,5” corresponde a um índice calculado por Graham, com base em duas análises próprias do economista.

Segundo ele, o preço de uma ação nunca deve ser 15 vezes maiores do que o lucro gerado nos últimos 3 anos. Já o preço por ação, quando comparado ao valor patrimonial, não deve ser maior que 1,5. Sendo assim,15 x 1,5 = 22,5.

A sigla “LPA”, por sua vez, corresponde ao termo “Lucro por Ação”. Para calculá-lo, é necessário dividir o lucro líquido da empresa pela quantidade total de ações ofertadas no mercado.

Já a siga “VPA” significa “Valor do Patrimônio das Ações”. Para calculá-lo, é preciso dividir o valor líquido do patrimônio da empresa pela quantidade total de ações ofertadas no mercado.

Agora, basta realizar o cálculo com os dados obtidos e descobrir o valor intrínseco da ação pretendida.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Termo do dia

Backtest

O que é Backtest? Também chamado de backtesting, o backtest é um tipo de teste que se faz usando dados históricos relevantes, a fim de prever…