Última modificação em 22 de setembro de 2020

O que é valor trabalho?

Valor trabalho é uma teoria, frequentemente atribuída a Karl Marx, a qual afirma que o valor dos produtos é baseado na quantidade de trabalho socialmente necessário. Adam Smith e David Ricardo foram outros teóricos cuja contribuição incutiu na conceituação de Valor Trabalho, porém Marx foi o que mais aprimorou o pensamento.

Smith não enxergava os metais, em pleno mercantilismo, como o único meio de gerar valor, mas sim a mercadoria e o quão útil ela é em uma troca. Ricardo se aprofundava ainda mais quando declarava que o valor não dependia apenas do custo de produção, mas do custo envolvido com os salários e os lucros.

As considerações sobre esse excedente foram objetos da contribuição marxista que, posteriormente, incluía também o problema da mais-valia.

Conceitos Inerentes ao Valor Trabalho

Para compreender o que é essa teoria, é necessário ter clareza sobre a diferença entre preço e valor. Preço é o que é pago na obtenção de uma mercadoria, como o que se embolsa ao comprar um ventilador, por exemplo. O valor, por sua vez, está relacionado ao trabalho humano que transformou a matéria-prima em eletrodoméstico.

O segundo ponto desse pensamento é o significado de mercadoria. Para o economista alemão, dentro do significado de mercadoria, há o valor de uso, que se refere à utilidade do produto. No nosso exemplo, a utilidade do objeto é a de ventilar o ambiente.

Ainda nesse conceito, existe o valor de troca, que é a dimensão do valor de uso apta para troca. Assim, o valor de troca da produção de um ventilador pode ser pelo maquinário para a produção de mais ventiladores, para os gastos essenciais do fabricante, etc.

A teoria marxista leva em conta todas esses termos para defender que o trabalho está por trás das mercadorias, sejam elas úteis ou não, e que negar esse elemento da cadeia produtiva é um pensamento burguês, que não respeita os esforços dos trabalhadores.

Ele também dizia que o preço do insumo estava ligado ao preço do produto final, enquanto os que discordavam dele acreditavam que o preço do insumo dependia do potencial de mercado do bem.


A Lei do Valor Marginal Decrescente refuta a teoria marxista?

Na economia política, quase todos os cientistas econômicos aceitavam a teoria do valor trabalho. Mas, com o tempo, novas explicações surgiram, como a teoria do valor marginal decrescente, dos economistas austríacos. Eles afirmavam que o valor de bem só depende do uso dele, não do trabalho envolvido.

Exemplo clássico para compreender a teoria: nós sabemos que uma pedra de diamante vale mais do que um copo d'água, mas, em um deserto, quem pagaria por uma pedra de diamante se a necessidade (ou utilidade) maior é pelo copo d'água?

E, assim, quanto mais unidades você tem de um produto, menor é a chance de você enxergar valor nele, de modo que os níveis de ofeta e demanda se refletem no valor percebido.

Além disso, a escola austríaca também aponta problemas com a quantificação do trabalho: e se um indivíduo x produzir o ventilador mais rápido que o indivíduo y?

Muitos marxistas alegam que o trabalho é mensurável, mas a utilidade não. No entanto, a função pode ser analisada quando se investiga em que momentos determinada mercadoria é funcional para um indivíduo.

Os adeptos da teoria do valor trabalho também comentam sobre o exemplo do copo de água e do diamante: o diamante pode ser menos urgente, mas possui maior valor de troca, já que com o diamante você pode comprar quase qualquer coisa; com a água, não.

Termo do dia

Clube de Investimentos

Confira para que serve e como funciona um clube de investimentos.

Veja outros termos