Última modificação em 11 de dezembro de 2020

O que é quebra?

Quebra é um termo informal, relacionado à falência, e significa o que acontece com uma empresa quando ela encerra suas atividades por motivos variados, como baixas habilidades gerenciais, economia desfavorável, regulação governamental excessiva etc.

Segundo o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), a cada ano, no Brasil, em média, 600.000 negócios são encerrados — o que equivale a 10% das empresas. Os registros mais recentes, de 2015, verificaram que 22,8% dos empreendimentos não sobrevivem ao primeiro ano de funcionamento.

Nesse meio, ainda existem cinco definições relevantes:

O que pode levar à quebra de uma empresa?

Ao questionar os próprios empreendedores sobre os motivos que seus negócios quebraram, a maioria fala que ocorre pela falta de capital de giro. Mas as razões para a quebra, quando investigadas, podem ser categorizadas em algumas áreas:

Como a falta de experiência prévia e competência gerencial, perfil inflexível, falta de planejamento, etc.

Falta de conhecimento sobre o mercado e até sobre o próprio produto ou serviço.

Má qualidade dos produtos ou serviços, má localização do imóvel onde ocorrem as atividades empresariais, dificuldades com fornecedores, uso de tecnologia inadequada.

Imobilização excessiva do capital em ativos fixos, política equivocada de crédito aos clientes, déficit no controle dos custos e da própria gestão financeira.

Estrutura organizacional mal elaborada, ausência de planejamento e inovações gerenciais.

E o que acontece com as empresas que ‘sobrevivem’?

Em janeiro deste ano de 2020, no 11º mês consecutivo, a inadimplência bateu o recorde e atingiu 6,2 milhões de empresas (crescimento de 9,9% comparado ao mês anterior). A maioria, 94,2%, são micro ou pequenas empresas, que não recebem tanto auxílio governamental.

Luiz Rabi, economista da Serasa, explica que diante esse cenário, a melhor saída é priorizar o planejamento financeiro e renegociar as dívidas mais caras. Inclusive, três dos 10 maiores motivos que os próprios empresários apontam como responsáveis pela falência dos seus negócios são por má gestão financeira.

O que fazer quando a empresa que você investiu quebra?

Se você investia em uma companhia e ela quebra, não se desespere. O fundo de ativos estressados pode funcionar de duas maneiras: auxílio direto a uma empresa em reestruturação ou pela compra de carteiras de crédito dos bancos que emprestaram a ela. Ambos os métodos funcionam e lucram.

Quando um investidor descobre que determinados ativos podem despencar pela falência da empresa, ele deve lembrar que os imóveis e o maquinário dela valem bastante. A venda desses insumos, inclusive, podem ajudá-la a crescer novamente.

Além disso, existem marcas estratégicas que, apesar de não estarem tão estáveis, possuem uma certa segurança — com base na Lei 11.101/2009 (Lei da Recuperação de Empresas e Falência).

É o caso da Oi, que já passou pela compra de empresas em falência e calotes, mas, mesmo assim, é a única a atender vários municípios. Por isso, não é de interesse do Governo que ela vá à falência definitivamente, deixe pessoas desassistidas e que podem cobrar ações das autoridades públicas.

Mas se você ainda não se sente confortável com essas estratégias, procure meios de evitar a situação. Saiba quais são as empresas exportadoras ou produtoras de bens de consumo essenciais, diversifique a carteira, dê preferência a setores mais resilientes etc.

Termo do dia

Locador

Entenda quem é o locador em um contrato e quais seus direitos e deveres