O que é o mercado de ações?

No Brasil, o mercado de ações se concentra em uma única bolsa de valores, a B3.  Ela funciona como um clube, onde os seus associados, as corretoras, efetuam os negócios em nome de seus clientes.

Entre os principais benefícios de se associarem à bolsa, está a infraestrutura oferecida:

É nesse ambiente onde a ação, menor parte do capital de uma empresa, é transacionada.  No mercado brasileiro, ela pode ser:

Um investidor, quando participa do mercado de ações, objetiva enriquecer via:


Como é dividido o mercado de ações?

As companhias abertas são listadas nos seguintes segmentos:

Como as empresas acessam o mercado de ações?

Empresas que precisam captar recursos contam com 2 opções:

  1. Initial Public Offering (IPO): chamada de Oferta Pública Inicial, ela ocorre quando uma empresa abre o seu capital;
  2. Follow-on: momento em que a empresa, já aberta, emite novas ações.

As emissões, dependendo do objetivo da empresa, são:

Quais os setores que fazem parte do mercado de ações?

O mercado de ações é um excelente meio de se formar uma carteira diversificada.

Como Investir nos Melhores Fundos

Os principais setores são:

Um investidor pode tanto comprar os papéis individualmente como escolher cotas de fundos de índice negociados na bolsa, conhecidos como Exchange Traded Funds (ETFs).

Qual a importância de um índice para o mercado de ações?

Se o mercado de ações envolve tantos setores, como informar, por meio de um único dado, o seu desempenho?

Um índice faz exatamente isso.  Apesar da bolsa contar com vários deles, o Ibovespa é o principal.  Sua importância é em função dele refletir 80% dos negócios realizados em um determinado dia.

Qual a tributação aplicável ao mercado de ações?

Quando a empresa distribui dividendos aos acionistas, o imposto para o investidor é zero, dado que ela já pagou o imposto sobre o lucro.  Porém, quando a empresa distribui juros sobre capital próprio (JCP), o imposto de 15% é descontado do investidor.

Já na negociação de ações, vendas cuja soma não ultrapassa R$ 20 mil/mês não pagam imposto de renda.  Para qualquer valor acima disso, é necessário o recolhimento de 15% sobre o ganho, feito pelo próprio investidor, via DARF (código 6015).

Assim, cabe a ele registrar todas as suas operações.  O motivo é as corretoras recolhem o imposto “dedo-duro” de 0,005% de cada operação de venda, que é por onde a Receita Federal acompanha as negociações do investidor.

Termo do dia

Ganho Real

O que é o ganho real? Ganho real é o nome que se dá à rentabilidade obtida em determinado investimento, quando se desconta o impacto da…

Veja outros termos