Open Nav

Índices de Liquidez

O que são Índices de Liquidez?

Índices de Liquidez são indicadores que apontam a capacidade de uma empresa para transformar diferentes tipos de ativos rapidamente em dinheiro disponível para uso. Esses indicadores são importantes porque essa capacidade demonstra se a empresa consegue pagar facilmente quaisquer obrigações financeiras.


Entendendo os Índices de Liquidez

Suponha que uma empresa tem muitos ativos: ela tem valores futuros a receber de clientes, tem imóveis e máquinas próprios, tem até títulos de outras empresas. O problema é que tudo isso é difícil de converter em dinheiro rapidamente.

Resumindo, apesar de ter vários ativos, se ela receber hoje uma multa milionária que precisa ser paga até amanhã, não vai conseguir cumprir essa obrigação financeira.

Nesse caso, dizemos que essa empresa não tem propriamente um problema de insuficiência de recursos, mas de baixa liquidez.

Em situações práticas, esse problema pode rapidamente prejudicar a situação financeira da empresa, já que o descumprimento de obrigações financeiras por falta de liquidez traz diversas consequências – desde o aumento do passivo em decorrência de multas e juros, até a possibilidade de processos judiciais.

É basicamente impossível que uma empresa não tenha nenhuma liquidez. Todo negócio precisa ter algum valor em dinheiro, ou facilmente conversível em dinheiro, para lidar com o pagamento de despesas correntes, como os salários dos funcionários. A questão é quanto a empresa consegue aumentar sua liquidez, sem perder rentabilidade.

Quais são os Índices de Liquidez?

Existem quatro principais índices de liquidez, que são acompanhados regularmente pelos gestores e analisados pelos investidores. Vejamos como eles são calculados.

O primeiro é a Liquidez Corrente. Ela reflete a relação entre o ativo circulante e o passivo circulante; ou, em outras palavras, a relação entre o valor que já está em dinheiro ou ativos que podem ser convertidos em dinheiro com maior facilidade e as obrigações de curto prazo.

Essa relação é expressa pela seguinte fórmula:

Liquidez Corrente = Ativo Circulante ÷ Passivo Circulante

No ativo circulante entra o dinheiro em caixa, aquele que pode ser retirado sem obstáculos das contas da empresa, os estoques (que são facilmente convertidos em dinheiro pela venda) e os valores a receber de clientes.

Se a Liquidez Corrente for menor do que 1, sinaliza que esses ativos não são suficientes para cumprir com as obrigações de curto prazo.

O segundo é a Liquidez Seca. Ela se diferencia da corrente por um único fator: exclui os estoques do ativo circulante.

Esse índice de liquidez é considerado mais realista porque, para o estoque se converter em dinheiro, é preciso concretizar a venda e receber o pagamento do cliente, o que nem sempre acontece com a rapidez necessária.

O terceiro é a Liquidez Imediata. O diferencial desse índice é que ele considera apenas o dinheiro que já está disponível, deixando de lado os ativos que teoricamente poderiam ser facilmente convertidos em dinheiro.

Em outras palavras, não entram na conta os estoques, nem os valores a receber de clientes. Basicamente, consideramos apenas o que está no caixa e o que pode ser sacado imediatamente das contas bancárias.

O quarto é a Liquidez Geral, que não se limita ao curto prazo. Por isso, ele considera tanto o ativo circulante quanto todos os ativos que podem se realizar nos próximos 12 meses - chamados de ativos não circulantes. O mesmo vale para o passivo, considerando o circulante e o não circulante.

Isso significa que, se um cliente parcela uma compra em 24 vezes, todas as parcelas que ele ainda vai pagar entram no ativo. E, se a empresa faz uma grande compra junto a um fornecedor e parcela em 120 vezes, todas essas parcelas entram no passivo.

Por que os Índices de Liquidez são importantes para o investidor?

Se uma empresa não tem liquidez, ela não pode pagar suas obrigações, como já vimos. Se ela não paga a quem deve, sua situação financeira fica progressivamente mais complicada. 

Logo, não consegue fazer novas compras, nem obter concessão de crédito, os juros e multas se acumulam e os processos de credores começam a aparecer. E, se não houver uma ação bem sucedida dos gestores para reverter o cenário, é muito possível chegar ao ponto da recuperação judicial e até da falência.

Para quem coloca seu dinheiro na empresa, esse é um grave risco. Vale a pena lembrar que, quando uma empresa quebra, alguns investidores podem perder tudo que colocaram nela. Portanto, analisar os índices de liquidez é uma forma de assegurar que vai escolher uma empresa sólida, na qual seu investimento não será perdido.

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados