Última modificação em 18 de novembro de 2019

O que é o efeito de criação?

Efeito de criação (em Inglês, generation effect) é o nome dado a um tipo de viés cognitivo, caracterizado pela tendência humana de se lembrar mais facilmente de informações quando são geradas por nossa própria mente, ao contrário de ideias vindas de outras pessoas.

Isso se dá especialmente com estudantes, visto que o processo de aprendizado deles é mais facilmente observável como um processo. Assim, pesquisas indicam que, quando tiram conclusões por conta própria através de assimilação de um ou mais conceitos, por exemplo, essa ideia tende a se instalar mais facilmente na memória do que aquela fornecida pronta por um professor ou livro.


Como o efeito de criação funciona?

Para visualizar na prática, imaginemos que você esteja lendo dois livros no momento. Em um, você descobre que "criar conexão através do conteúdo postado nas redes sociais é importante para as empresas", enquanto o outro enfatiza que, "nas escolas de dramaturgia, a motivação de um personagem é uma das primeiras partes estudadas e elaboradas, justamente para garantir que eles (personagem e público) se conectem".

Logo, você tem um estalo! Definir a motivação do personagem (que, no caso, é a empresa em questão) é um passo importante quando se trata de criação de conteúdo online. A partir disso, o seu cérebro retém essa "descoberta", sendo mais fácil acessá-la na memória do que se tivesse sido compartilhada contigo por outra pessoa.

Parece o máximo, certo? Afinal de contas, tudo o que foi criado por você (as suas percepções de mundo) está prontamente disponível, evitando assim que seja logo esmagado pela enxurrada de dados externos que você recebe todos os dias.

Contudo, o efeito de criação se trata de de um viés cognitivo, lembra? Isso significa que ele não é tão positivo quanto pensamos.

Por definição, vieses cognitivos são falhas no processamento de informações, dados e tudo mais que compõem a realidade que nos cerca (isto é, o mundo à nossa volta). Essas falhas são, sobretudo, equívocos ligados ao raciocínio lógico.

Graças aos vieses (e também à dissonância cognitiva, mas esse é papo para outro artigo), passamos em acreditar em diversas mentiras, simplesmente porque elas parecem fazer sentido. Isso significa que, muitas vezes, somos incapazes de perceber os nossos erros quando se trata desse julgamento do mundo exterior.

No caso específico do efeito de criação, um dos principais problemas é o eventual descrédito do que vem de fora (de nós). Se reforçados pelo viés de confirmação, podemos não assimilar corretamente argumentos que questionam nossas conclusões, simplesmente por não nos lembrarmos deles. Ou melhor, porque na fila mental, as nossas próprias ideias estão em uma espécie de fila preferencial e tomam todo o espaço.

Como usar o Efeito de Criação a seu favor?

Antes de amaldiçoar o seu cérebro pelo resto da vida, saiba que você pode sim usar o efeito de criação a seu favor.

Antes de fazê-lo, no entanto, há a necessidade de vigilância constante quanto a não estar ignorando as ideias externas por mero egotismo. Assim, você pode não apenas se beneficiar das contribuições de outras pessoas, como evita cair na tentativa de "reinventar a roda".

Uma das formas mais comuns de se aproveitar do efeito de criação é a interiorização do aprendizado. Por exemplo, após ler um livro, fazer um resumo das informações mais relevantes para você, usando as suas próprias palavras.

Essa é, aliás, uma das formas de "enganar" o seu cérebro, ajudando-o a registrar mesmo as reflexões que não se originaram da sua incrível inteligência.

O mesmo vale para os estudos ligados aos seus investimentos. Ao invés de se apegar apenas às suas próprias conclusões a respeito dos ativos e rumos do mercado, usando esse tipo de técnica é possível garantir que as opiniões de outras pessoas (assim como os pontos em que você concorda e discorda) estejam "frescos na memória".

Assim, ao traçar as suas próprias estratégias e emitir as suas análises, a visão resultante do seu arquivo mental será (espera-se) muito mais abrangente e realista.

Como Investir nos Melhores Fundos

Termo do dia

Ágio

O que é o ágio? Ágio é um termo utilizado no mercado financeiro para designar a diferença entre o valor de mercado de um produto e…

Veja outros termos