O que é Data Ex?

A data ex é mais um dia importante no calendário de quem investe em ações e, embora seja algo simples de entender, ela é importante para que o investidor esteja ciente, especialmente aquele que deseja lucrar com dividendos.

Em resumo, pode-se dizer que a data ex é o momento a partir do qual uma compra de uma ação não envolve mais o direito que o acionista tem de receber os dividendos (ou juros sobre o capital próprio) que já tenham sido anunciados.

Como assim? O investidor não tem mais direito aos dividendos? Sim. Existe uma data limite para que alguém possa comprar papéis de uma empresa e participar nos lucros distribuídos aos acionistas.

Essa é uma prática comum dentro do mercado financeiro e, na realidade, até algo justo. Trata-se de algo que impede eventuais oportunistas que queiram apenas os dividendos de uma empresa, aproveitando para comprar apenas pelo seu anúncio de distribuição dos lucros.


Como funciona a data ex?

Imagine que você invista na empresa X no começo do ano de 2018. Agora, considere que essa empresa anuncie no dia 23 de outubro que distribuirá seus lucros no dia 14 de novembro, determinando assim que sua data ex será em 7 de novembro.

Você acharia justo que o novo comprador comprasse ações na semana de distribuição apenas para receber uma participação? A resposta provavelmente será negativa, concorda? É justamente em função disso que existe a data ex dentro das empresas que negociam seus papéis no mercado de capitais.

A partir desse momento pré-definido, o comprador deixa de ter direito a receber os dividendos distribuídos pela organização. Quem ter esse direito é, na realidade, o vendedor.

Quando é a data ex de uma empresa?

Embora seja uma prática recorrente dentro do mercado financeiro, não existe uma data fixa para interromper esse direito à participação de dividendos para os novos compradores de uma ação.

Cada empresa determina a sua data ex a partir da maneira pela qual ela determina a sua distribuição de participação nos lucros aos seus acionistas. Ou seja, até mesmo o período de distribuição (anual, semestral, etc.) irá influenciar.

Exemplo prático de data ex

Apenas como exemplo, suponha que você tenha investimentos em uma organização que determinou que irá distribuir seus dividendos de R$0,80 por ação no dia 15 de maio.

Neste caso, a data ex dessa ação pode ser, por exemplo, em 8 de maio. Investidores que possuírem os papéis na sua carteira até a data limite, isto é, 7 de maio, terão direito sobre os lucros que estão sendo repartidos. Já quem comprar o papel a partir de 8 de maio, deixa de ter esse direito.

Ou seja, de maneira objetiva, não adianta comprar a ação dessa empresa fictícia no dia 12 de maio esperando aproveitar dos dividendos já anunciados de R$0,80 por ação. Ela estará sendo negociada, a partir desta data, como "ex" dividendos — ou seja, sem esse benefício incluso.

Quais os impactos de compra a ação após a data ex?

É importante deixar claro que a data ex é um limite sobre lucros que serão distribuídos já anunciados, mas não é algo que vale por tempo indeterminado.

Isso significa que, caso você compre uma ação após a data ex, não terá direito a receber os dividendos já compartilhados pela empresa, mas essa restrição não se aplica aos lucros futuros que possam vir a ser distribuídos caso a ação seja mantida no longo prazo.

Além disso, ao longo do tempo em que o papel é negociado sem a participação dos dividendos, o seu preço sofre um ajuste para que o investidor não tenha seu patrimônio prejudicado. Assim, o preço de compra é reduzido de maneira proporcional aos lucros distribuídos naquele período.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Termo do dia

Persio Arida

Conheça quem é o economista Persio Arida e seu papel na idealização e implementação do Plano Real.

Veja outros termos