Última modificação em 22 de janeiro de 2021

O que é Special Purpose Acquisition Companies (SPACs)?

As Special Purpose Acquisition Companies (SPACs) são um formato de investimento utilizado para a finalidade de adquirir uma empresa já existente no modelo de IPO (Oferta Pública Inicial), de modo que acelera o processo de abertura de capital na Bolsa de Valores e também do levantamento de capital para execução de uma estratégia.

O principal objetivo, portanto, é adquirir recursos que possibilitem um levantamento de capital. Com base nesses recursos, torna-se possível comprar negócios promissores que os investidores entendam como uma boa oportunidade. O processo, sem o uso das SPACs, seria mais longo na medida que o dinheiro seria levantado diretamente pelos sócios, sem incluir investidores.

Vale destacar que, embora mais comum no período recente, essa modalidade de investimento existe há algum tempo. Passou a ser mais utilizada nos últimos anos, principalmente nos Estados Unidos, por conta de algumas vantagens que abordaremos ao longo do texto.

Como funcionam as Special Purpose Acquisition Companies (SPACs)?

Apesar de parecer complexo, as SPACs tem um funcionamento levemente simples. Elas são formadas primeiramente com investidores que identificam uma boa oportunidade para comprar um negócio com potencial futuro atrativo, mas precisam levantar recursos para essa finalidade.

Assim, eles constituem uma Special Purpose Acquisition Companies e realizam uma Oferta Pública Inicial, que nada mais é do que a abertura de capital na Bolsa de Valores, recebendo aportes de investidores.

A diferença para o modelo tradicional de IPO é que, no caso das SPACs, os investidores não sabem em qual negócio vão investir. Isso porque, por questões estratégicas, a empresa em foco para aquisição é mantida sob sigilo. Essa prática também fez com que esse modelo fosse batizado como "empresas de cheque em branco".

Importante mencionar também que esse dinheiro deve, obrigatoriamente, ser utilizado para a aquisição de uma empresa, justamente ao que se propõem as SPACs. O prazo para a conclusão do processo costuma ser de dois anos, mas pode variar em alguns casos.

Passado o período estipulado, se não houver a devida finalização na compra de uma empresa, o dinheiro deve ser devolvido aos investidores e a SPAC devidamente liquidada. Até esse período permitido, o dinheiro deve ficar em uma conta rendendo juros, sem usar outra modalidade de ativo que fuja ao propósito inicial.

Após comprar o negócio ao qual a Special Purpose Acquisition Companies se propôs, ela naturalmente torna-se proprietária da companhia adquirida. Além disso, pelo formato das próprias SPACs, essa empresa estará listada na Bolsa de Valores, sem precisar passar pelo novo processo de abertura de capital, uma vez que já possui investidores.

Quais são as vantagens das Special Purpose Acquisition Companies (SPACs)?

O modelo de aquisição de empresas por meio das SPACs traz algumas vantagens que, afinal, acabaram por aumentar o número de Special Purpose Acquisition Companies ao longo dos últimos anos, em especial nos Estados Unidos, o principal mercado acionário mundial.

A primeira delas é a agilidade. Como a própria SPAC já será uma companhia listada na Bolsa de Valores, ela consegue acelerar a captação de recursos por parte dos investidores do que seria para conseguir o dinheiro necessário para aquisição por conta própria. Há também menor burocracia nesta etapa, algo que pode ser considerado como outro ponto positivo.

Além disso, para os proprietários da empresa que será adquirida, costuma-se verificar uma valorização da venda. Em muitos casos, há um preço de comercialização até 20% maior do que praticado no mercado convencional. Assim, todas as partes podem verificar algum tipo de vantagem nesse tipo de negociação.

Por fim, os novos proprietários costumam adquirir negócios com os quais possuem algum grau de familiaridade e conhecimento. Assim, a empresa será gerida por profissionais experientes e capacitados, aumento a possibilidade de sucesso.

Termo do dia

Endomarketing

Você com certeza conhece o marketing, mas e o endomarketing? Descubra o que é e como ele se relaciona com o mercado financeiro!