Última modificação em 21 de janeiro de 2021

O que é short stay?

Short stay é um modelo de locação, geralmente empregado em hotéis, onde há uma locação por um curto período de tempo. Esse prazo pode ser para alguns dias ou semanas, mas não tem por objetivo uma quantidade de dias muito elevada, algo que caracterizaria a hospedagem como algo voltado ao médio prazo.

Há também como característica a oferta da locação pela internet. Esse é um cenário cada vez mais comum em tempos de tecnologia e alta disponibilidade de internet em diversos cantos do planeta. Não é uma regra, mas sim a principal fonte de captação de clientes.

Considerado esse cenário e o dinamismo da sociedade contemporânea, é cada vez mais comum encontrar adeptos do short stay. Os hotéis, por sua vez, oferecem o serviço como forma de atender a demanda. No entanto, existem pontos de cuidado, como veremos ao longo do texto.

Como funciona o short stay?

Não há um grande segredo em relação ao funcionamento do short stay em relação ao que vemos nos modelos tradicionais de locação. No entanto, como já mencionamos, há um formato específico de curta duração, algo que vem trazendo cada vez mais interesse dos usuários que pretendem passar um tempo reduzido em alguma localidade.

Importante dizer que, no short stay, há um perfil diferenciado de usuário. O hóspede não pretende ficar muito tempo no local, caso contrário buscaria por modelos de contrato mais longos em sua hospedagem. Ao mesmo tempo, não chega a ser tão curto (como uma pernoite). É muito utilizado em viagens.

Assim, os sites especializados em locação são muito úteis nesse objetivo. Eles centralizam os principais imóveis disponíveis para hospedagem, facilitando a escolha por parte do usuário que, por sua vez, toda a sua decisão com base em imagens, localização e, em alguns casos, opiniões de hóspedes anteriores.

Por que o short stay vem crescendo?

A modalidade de locação short stay vem sendo cada vez mais utilizada nos anos recentes. Uma das razões é o perfil dos usuários, que vêm aproveitando oportunidades para passeios curtos, mas sem abrir mão de um ambiente confortável e com o qual se identifique.

Não por acaso, os hotéis perceberam o crescimento dessa demanda e se estruturaram para receber esse tipo de hóspede. Os aplicativos de anúncios contribuem muito para esse objetivo, permitindo que a divulgação seja feita de maneira estratégica — algo que inclui o capricho na decoração e na composição visual do ambiente.

Além disso, para as empresas que oferecem o short stay, essa é uma forma de melhorar a sua taxa de ocupação. Vale observar que, sem esses prazos menores em pacotes, talvez o espaço não pudesse ser locado pelo usuário. A troca mais frequente dos hóspedes, portanto, acaba por ser uma oportunidade de melhoria no contexto dos hotéis.

Quais são os riscos do short stay?

A prática de locação de imóvel via short stay também traz alguns riscos na operação. A principal delas é o desconhecimento sobre o locatário do espaço, na medida em que a locação online não exige qualquer tipo de contato físico entre a empresa locadora e o hóspede interessado.

No caso dos hotéis, claro, esse é um problema menor. Os demais hóspedes também possuem uma característica temporária. Contudo, outros tipos de imóveis podem adotar do mesmo processo de short stay. E, se for uma locação feita por pessoa física, o problema pode se intensificar.

Vizinhos, por exemplo, passarão a conviver em áreas sociais com uma pessoa completamente estranha. Além disso, caso esse contratante traga algum problema, a responsabilidade pode vir a ser do proprietário do imóvel. É um inconveniente que pode acontecer e que exige atenção da parte locadora.

Termo do dia

AFAC

O que é AFAC?  AFAC (Adiantamento para Futuro Aumento de Capital) é um dos instrumentos que podem ser empregados para injetar capital em uma empresa, sendo que…