termos

Shanghai Composite (SSCE)

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:05/07/2021 às 05:53 - Atualizado 4 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O que é Shanghai Composite (SSCE)?

O Shanghai Composite (SSCE) é um tipo de índice, cujo nome inteiro é Shanghai Stock Exchange Composite Index. Ele é o mais famoso do mercado de ações da China. 

O Shanghai Composite (SSCE) inclui aproximadamente 1.921 ações de negociadas nas Bolsas de Valores de Shanghai, sendo um excelente indicador da saúde econômica do país.

Qual é a história do Shanghai Composite (SSCE)?

A Bolsa de Valores de Shangai teve início já na segunda metade do século XIX, em 1866. Após a invasão do Japão na China em 1937 (dando origem à segunda guerra sino-japonesa), a Bolsa de Valores teve suas negociações interrompidas em 1941.

Sua reabertura aconteceu em 1946, mas foi novamente interrompida em 1949, durante a Revolução Chinesa com a ascensão de Mao Tsé-Tung.

Uma nova reabertura aconteceria novamente apenas ao fim de 1990. No ano seguinte, em julho de 1991, o Shanghai Composite (SSCE) foi criado com objetivo de medir o desempenho de todo o mercado de Xangai.

Histórico de desempenho do Shanghai Composite (SSCE)

Como foi dito anteriormente, o Shanghai Stock Exchange Composite Index foi criado em 1991 após a reabertura da Bolsa de Shanghai em 1990.

Desde então o índice alcançou sua máxima histórica no ano de 2007, com 5.954 pontos. Sua pior queda, porém, veio logo no ano seguinte, em 2008, com 1.728 pontos.

Essa queda no desempenho não aconteceu unicamente no índice SSEC. Um outro índice da China, o CSI 300 (que abrange o mercado de Shanghai e Shenzhen) também passou por essa queda no mesmo período. O mesmo aconteceu com o Ibovespa e com índices estadunidenses.

Essa semelhança no desempenho dos índices nesse período de tempo entre 2007 e 2008 foi devido à crise financeira de 2008, nos Estados Unidos, que abalou a economia mundial: no dia 15 de setembro, o banco Lehman Brothers declarou falência e as bolsas de todo o planeta despencaram!

De 2014 até 2015 o Shanghai Composite (SSCE) observava um desempenho com uma ótima recuperação, alcançando 4.840 pontos. Porém, viria a acontecer a maior queda do índice desde a crise de 2008, chegando a 3.200 pontos.

A crise financeira da China em 2015 afetou não apena o índice SSEC, como também o CSI 300 e outros índices em todo o mundo. Essa crise aconteceu devido à uma forte preocupação dos investidores chineses com uma possível “bolha” no mercado de ações da China e devido ao recuo no PIB chinês daquele ano.

No início de 2018, a bolsa chinesa e o índice SSEC teriam uma recuperação alcançando 4.275 pontos, mas veriam novamente um desabamento durante todo o decorrer do ano com uma queda de 25% em comparação ao mês de janeiro.

Foi o pior desempenho dentre todas as bolsas do mundo. Essa queda aconteceu devido à guerra comercial entre Estados Unidos e China.

O país norte-americano impôs taxas sobre os produtos de origem chinesa, dificultando assim a compra desses produtos e estimulando a produção nacional deles ao invés da importação, uma política de protecionismo conhecida como “America First”.

Em resposta, a China também aumentou taxas sobre produtos dos Estados Unidos e, além disso, anunciou a desvalorização da moeda chinesa, fazendo com que seus produtos ficassem mais baratos e atrativos.

É possível Investir no Shanghai Composite (SSCE)?

Não é possível investir em índices de forma direta, já que seu papel é apenas de refletir o desempenho do mercado. Apesar disso, alguns índices tem seus ETFs atrelados, que são basicamente fundos que replicam as ações do índice.

O índice SSEC não tem um ETF atrelado, portanto não é possível investir nele. Porém é possível investir no mercado chinês através de alguns ETFs, como por exemplo, o ETF brasileiro XINA11.

Sobre o autor
Equipe Mais RetornoA Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Estado de Bem-Estar Social

Estado de Bem-Estar Social

O que é o Estado de Bem-estar Social? É chamado de Estado de Bem-estar Social um modelo de organização político segundo o qual o Estado se...

  CONTINUAR LENDO