Retorno total

Última modificação em 27 de Agosto de 2021 às 09:46

O que é retorno total?

O retorno total (RT) é um método utilizado para medir a taxa real de retorno de um investimento — ou um conjunto deles — durante um determinado período de avaliação. Ele inclui métricas como ganhos de capital, juros, dividendos e as distribuições que foram realizadas ao longo do tempo calculado.

Dentro do retorno total existem ainda duas características distintas de retorno. A primeira delas é a receita, que inclui os juros pagos pelos investimentos de renda fixa, dividendos ou distribuições. A segunda é a valorização do capital, que representa a mudança no preço de mercado de um ativo em questão.

Como o retorno total funciona?

O RT também pode ser chamado de taxa de retorno total. Geralmente, é expresso como uma porcentagem e isso ajuda na comparação do seu desempenho ao de diferentes ativos. O ponto de partida para o seu cálculo é a base — que também pode ser chamada de base de custo, que nada mais é que o preço de compra original de um investimento.

Essa base é apenas o ponto de partida para o retorno total. Em seguida, é preciso incluir qualquer receita obtida pelo investimento ao longo do tempo, como receita de juros, dividendos especiais não recorrentes, pagamentos de dividendos, ganhos de capital de um fundo ou outras distribuições.

Como calcular o retorno total?

Para calcular o RT, como dito anteriormente, é preciso primeiro determinar a base para o ativo — ou portfólio de ativos — em questão. Depois, é só subtrair o valor atual do investimento da base de custo e adicionar o valor de quaisquer ganhos de renda no período. Por fim, o valor do resultado é multiplicado por 100 para que, assim, ele se torne um valor percentual.

A fórmula básica, então, fica:

RT = [(Valor atual - Base de Custo + Distribuições) / Base de Custo] x 100

Na prática, digamos que alguém comprou 10 ações de uma empresa em que cada uma delas foi avaliada em R$ 100. Nesse caso, a base de custo total foi de R$ 1 mil. Com o tempo, as ações tiveram uma valorização de R$ 110, o que deu ao investidor um ganho de capital de 10%. A empresa em questão pagou dividendos anuais no valor de R$ 2 por ação, o que gerou uma renda de R$ 20 para o investimento.

Com a fórmula, o cálculo desse exemplo seria:

RT = [(R$ 1.100 - R$ 1.000 + R$ 20) / R$ 1.000] x 100

Nesse caso, o retorno total seria de 12%. Uma das vantagens em incluir o rendimento adicional dos dividendos é que ele ajuda a entender o ROI (Retorno Sobre o Investimento). Além disso, quando o assunto é sobre maximizar o retorno total dos investimentos a longo prazo, o reinvestimento de dividendos — quando há uma compra de títulos geradores de renda adicional ao receber o pagamento desses dividendos — é essencial.

O que é um índice de retorno total?

Um índice de retorno total acompanha o desempenho da valorização do preço de ações componentes — ou as suas perdas —, além de outros dividendos ou quaisquer distribuições ou receitas de juros. Ele, então, assume que todas as distribuições são reinvestidas nas ações que as emitiram, o que oferece uma leitura muito mais precisa do desempenho do retorno total dos seus componentes.

Aqui, é preciso pontuar que nem todas as ações monitoradas por um índice de retorno total devem emitir dividendos ou distribuições de renda. Eles apenas presumem que algumas empresas reinvestem os lucros no próprio negócio ao invés de pagá-los como dividendos ou os chamados lucros retidos.

Gustavo Loyola

Gustavo Loyola

Quem é Gustavo Loyola? Gustavo Loyola, sócio-diretor da empresa Tendências Consultoria Integrada, é doutor em economia pela Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Getúlio ...

  CONTINUAR LENDO

Glossário de Finanças e Investimentos

Pesquise a(s) palavra(s) navegando pelo alfabeto abaixo