Regra 50-15-35

Última modificação em 28 de Setembro de 2021 às 02:21

O que é a Regra 50-15-35?

A Regra 50-15-35 é um método de orçamento que recomenda o gasto de 50% da renda mensal com despesas essenciais, 15% com as obrigações financeiras ou investimentos e 35% com estilo de vida.

A ideia de limitar esses gastos é justamente dar um peso maior para as áreas que possam importar não apenas no curto prazo, mas em médio e longo prazo. Ainda não se conhece os idealizadores dessa técnica mas, provavelmente, foram alguns economistas.

Como funciona a Regra 50-15-35?

Assim que o salário cair na conta, a regra aconselha a dividir o seu uso da seguinte forma:

  • 50% para despesas essenciais: gastos com moradia, alimentação, internet, saúde, transporte etc.
  • 15% para compromissos financeiros: pagamentos de dívidas, parcelas e, se não houver, investimentos como os de Renda Fixa ou Renda Variável;
  • 35% com estilo de vida: aquisições de produtos ou serviços que ajudam na saúde e no lazer, mas não são vitais, como mensalidade da academia, gastos no salão de beleza e em restaurantes.

A base é essa, mas é interessante relativizar a depender dos casos. 

Por exemplo, se você comprou muita coisa recentemente e o cartão está sobrecarregado, por que não aumentar a porcentagem dos compromissos financeiros para 40%? E, claro, reduzir as outras áreas, na medida do possível. 

Qual a importância da Regra 50-15-35?

Os maiores benefícios da regra é que com ela você pode reservar melhor partes da sua renda e utilizá-la de forma mais inteligente.

Além disso, se você recebe um salário fixo, fica muito mais fácil ter projeções das suas compras. 

Por exemplo, se você ganha R$ 3000, já sabe que para parcelar o computador novo que você tanto queria, terá que reservar pelo menos R$ 450 para ir pagando a prazo — incluindo as compras já parceladas. O mesmo vale para o planejamento de uma viagem ou de uma festa. E assim por diante.

Como aplicar a Regra 50-15-35?

Se você se interessou em experimentar esse sistema, vamos lá para algumas dicas que vão ajudar.

Utilize planilhas ou aplicativos

Crie uma planilha destacando os valores limites para cada tipo de despesa, isso vai ajudar a você ir alimentando o documento ao longo do mês, mas respeitando os “tetos”. As planilhas são ótimas porque permitem somar os valores de forma muito prática, mas os aplicativos também são boas opções.

Alguns apps bancários ajudam a visualizar a distribuição dos gastos, mas há outros aplicativos com essa função. Você coloca os valores que deseja gastar durante o mês e ele vai organizando os gastos que você registra ao longo do tempo, construindo gráficos e relatórios também ao fim do período.

Revise e mude o que for necessário

Como já dissemos, você pode elaborar até gráficos dos seus gastos. É importante aproveitar esse recurso porque assim você reflete os seus gastos, vê o que pode reduzir, no que pode investir mais etc.

Além disso, a Regra 50-15-35 não inclui imprevistos ou emergências, não é mesmo? Se surgir algum problema de saúde ou outra intercorrência, será necessário recalcular as prioridades e flexibilizar o orçamento momentaneamente. 

Tenha persistência

Pode parecer chato registrar os gastos assim, mas é questão de hábito. Se você persistir e se manter focado na organização das suas finanças pessoais, verá que ao longo de um semestre ou um ano terá valido a pena.

A propósito, persistir na Regra 50-15-35 pode dizer também se ela é ou não adequada para a sua realidade. Se você não se satisfazer com o rumo que a sua saúde financeira tomar, não custa nada tentar outros métodos de divisão do orçamento, como a Regra 50-30-20 ou a Regra 70-30. 

Glossário de Finanças e Investimentos

Pesquise a(s) palavra(s) navegando pelo alfabeto abaixo