Última modificação em 25 de fevereiro de 2021

O que é receita marginal?

A receita marginal (RM) pode ser definida como o aumento desse faturamento que é resultado da venda de uma unidade adicional de produção. Embora possa permanecer constante ao longo de um certo nível de um determinado produto, ela tende a seguir a lei dos rendimentos crescentes e, assim, diminui à medida em que o nível de produto aumenta.

Na teoria econômica, as empresas mais competitivas do mercado continuam a sua produção até que a receita marginal se torne igual ao seu custo marginal. Para derivar o seu valor, porém, é preciso examinar a diferença entre os benefícios agregados recebidos por um negócio e a quantidade de um produto ou serviço produzido no último e no atual período com um aumento de unidade extra na taxa de produção.

Como funciona a receita marginal?

Uma empresa faz o cálculo da receita marginal ao dividir a variação na receita total pela variação na quantidade total que foi produzida. Sendo assim, o preço de venda de um único item adicional que for vendido é igual a essa receita.

Nesse caso, quaisquer vantagens obtidas com essa adição da unidade adicional são consideradas como benefícios marginais. Um deles ocorre, por exemplo, quando a receita marginal excede o custo marginal — o que resulta em lucro com a venda de novos itens. Então, uma empresa somente consegue obter os melhores resultados quando tanto a produção quanto as vendas continuam acontecendo até que exista essa igualdade dos indicadores.

Além disso, é preciso pontuar que o custo de produção de uma unidade adicional pode exceder a receita que for gerada. Isso acontece quando a receita marginal cai abaixo do custo e, como consequência, as empresas adotam o princípio de custo-benefício e interrompem a produção — já que nenhum benefício adicional é obtido dela.

Como é a curva da receita marginal?

A curva da receita marginal pode ser afetada pelos mesmos valores que ela mesmo demanda, ou seja, mudanças nos preços de complementos e substitutos, nas populações, nas rendas e outras variáveis. Todos esses fatores podem fazer com que ela se desloque e gire. Ela, então, se difere sob a concorrência perfeita e a imperfeita — que acontece quando há um monopólio.

Em uma concorrência perfeita, existem diversas empresas no mercado. Quando existem mudanças no nível de oferta de um único negócio não há impacto sobre o preço total no mercado. Sendo assim, continuam a seguir o preço determinado pelo equilíbrio existente entre o mercado de oferta e demanda e são consideradas como tomadoras de preços. Nesses casos, a curva da receita marginal se apresenta como uma linha horizontal em relação ao preço de mercado, como uma demanda perfeitamente elástica e igual à curva da demanda.

Já nos casos de monopólio, uma empresa é a única vendedora no mercado que apresenta um produto diferenciado. O nível de oferta e o preço são, então, determinados pelo negócio monopolista com o único fim de maximização de lucros, o que o torna um fabricante de preços. Nesse cenário, a curva é inclinada para baixo e fica abaixo da curva da demanda. O ganho adicional do aumento das vendas é menor que o preço de mercado escolhido.

Qual seria um exemplo prático da receita marginal?

Para que seja possível auxiliar o cálculo da receita marginal, uma tabela descreve o valor total ganho, assim como o valor incremental de cada unidade. Nele, a primeira coluna lista as quantidades projetadas em ordem crescente ao mesmo tempo em que a segunda faz a listagem do preço de mercado correspondente. O produto delas resulta em receitas totais projetadas em uma nova coluna.

A diferença entre a receita total projetada de uma quantidade demandada junto com a receita total projetada da linha logo abaixo da tabela é a receita marginal de produção da quantidade demandada da segunda linha e assim por diante. Para simplificar, imagine que 10 unidades são vendidas a R$ 9 cada, o que resulta em uma receita total de R$ 90. Logo, 11 unidades são vendidas a R$ 8,50, o que dá uma receita de R$ 93,50. Isso indica que a RM da décima primeira unidade será de R$ 3,50 (ou seja, R$ 93,50 – R$ 90).

Termo do dia

ISE – Índice de Sustentabilidade Empresarial

O que é ISE? O ISE – sigla correspondente a “Índice de Sustentabilidade Empresarial” – é um recurso utilizado para mensurar qual o nível de sustentabilidade que as…