Price Maker

Última modificação em 25 de Novembro de 2020 às 03:45

O que é price maker?

Price maker é o termo dado, normalmente, a uma instituição financeira que tem um notável poder de mercado, sobretudo pelo seu porte, influenciando, por si só, os preços.

Price makers atingem o mercado de forma recorrente e ágil, até pela urgência com as negociações.

Outra forma de compreender este termo é conhecendo seu antônimo: price taker, que é a empresa que aceita os preços ditados pela price maker, como os pequenos empreendedores.

Há especialistas que também definem o price maker como o agente que está sempre disposto a comprar ou vender pelo menos 100 frações de ações por segundo, em um leilão, a preço de mercado.

Por que é importante conhecer o price maker?

O trading, modalidade popular de investimento, pode ser otimizado de forma significativa quando se tem conhecimento dos market makers. A leitura do mercado financeiro (preço, volume e demais variáveis que explicam o fluxo de ordens) no momento em que se opera é de total importância para o investidor entrar e sair de uma operação com máxima eficiência, ou seja, com o menor tempo e risco de exposição do capital.

Para o day trader, é interessante saber que os fundos de investimentos em ações são os mais envolvidos com as empresas que têm perfil de price maker. Tomando como exemplo determinada companhia de grande porte que, certo dia, decide vender parte das ações adquiridas, se ninguém der conta de comprar tudo, provavelmente o preço cairá consideravelmente.

Algumas características do price maker:

  • possui constante disponibilidade de opinião e análise de especialistas sobre o futuro dos preços;
  • tem bastante acesso à informação e gestores da mais alta competência;
  • seu foco é voltado para o mercado futuro, não aos registros passados dos preços.

Um exemplo evidente de price maker é a Amazon. Por não ter um concorrente de peso, a plataforma ‘força’ os lojistas a aceitarem suas taxas. No geral, esses price takers pagam 15% ou mais de suas vendas para a companhia. Quem também sai em vantagem são os que investem nela, na price maker. Por isso é importante identificá-la.

O que o tape reading tem a ver com price maker?

Diante do impacto das atividades dos price makers no mercado, os investidores conseguem e devem usar isso a seu favor. É o que se chama de tape reading ou análise do fluxo de ordens, que é basicamente a leitura da atuação dos ‘grandes players’ e do alinhamento às atividades deles.

O principal objetivo da análise do fluxo de ordens está intimamente relacionada à familiaridade com o price maker, já que se trata de estudar as tendências existentes na construção dos preços e os efeitos provocados pelas negociações de grandes volumes.

Todo processo de tape reading é composto pela identificação de um fluxo vendedor intenso (lembre-se do nosso exemplo no início deste artigo, o de uma ou mais companhias de grande porte vendendo um alto volume de ações a qualquer custo).

Essa corrente é capaz de fazer o preço despencar em torno de apenas 1 minuto e, assim, com essa vigilância no movimento do mercado, são feitas as recomendações lucrativas de compra ou venda.

Com os avanços tecnológicos, esta análise ganhou algumas funcionalidades por parte de softwares como:

  • saldo dos maiores compradores e vendedores em determinada fração de tempo (market makers);
  • agrupamento do book de ofertas agrupado com destaque na provável concentração de compradores e vendedores;
  • leitura das compras realizadas, realçando o tamanho do lote;
  • identificação de grandes instituições financeiras que estão fechando negócios;
  • detecção de quem é o agressor (o agente com a intenção de fechar o negócio no preço de mercado).
Câmara de Arbitragem

Câmara de Arbitragem

O que é Câmara de Arbitragem Uma Câmara de Arbitragem é um órgão privado voltado à resolução extrajudicial de conflitos. Em outras palavras, ele se dedica...

  CONTINUAR LENDO

Glossário de Finanças e Investimentos

Pesquise a(s) palavra(s) navegando pelo alfabeto abaixo