Última modificação em 29 de abril de 2021

O que são os Munis (Municipal Bonds)?

Munis são os títulos da dívida pública municipal americana, emitidos por governos de cidades, condados ou estados para financiar projetos públicos, como construção de escolas, praças e novas redes de esgoto. 

Os munis foram criados em 1890, pelo filho de um dos embaixadores do Abraham Lincoln, Henry Adams. Nessa época, havia muita corrupção no país devido às práticas liberais e inadequadas com o crédito. A criação dos municipal bonds reverteu esse problema e, muitos anos depois, também refugiou alguns investidores durante a Crise de 2008.  

Qual a diferença entre os Munis e os títulos públicos brasileiros?

O termo munis é próprio dos EUA, mas, praticamente, todos os países têm títulos de dívida pública. Os seus prazos de vencimento podem ser de curto prazo, 1 a 3 anos, como de longo prazo (décadas).

No Brasil, podemos comprar esses títulos no Tesouro Direto e, além de custear obras públicas, eles também ajudam a financiar a dívida pública. 

Já os munis são únicos pelo seu tamanho, liquidez e estrutura legal e tributária garantida pela Constituição dos Estados Unidos

Além disso, da mesma forma que nossos títulos publicados são divididos em fixados e pós-fixados, os municipal bonds também têm duas divisões, que veremos a seguir.

Ambos são isentos do imposto de renda federal e combinam melhor com investidores conservadores, que buscam preservar a renda, não aumentá-la.

Devido aos benefícios fiscais, a taxa de juros dos municipal bonds são, no geral, menores do que os de títulos de renda fixa tributáveis, como títulos corporativos.

Títulos de obrigação geral

O principal, ou seja, o retorno do investimento inicial, e os juros não possuem tanta garantia. São assegurados apenas pela plena fé e histórico de crédito do emissor e, geralmente, apoiados pelo seu poder tributário. 

Títulos de receita

O principal e os juros dos títulos de receita, por sua vez, são garantidos pelos recursos derivados de cobranças de pedágios, encargos ou aluguéis. São os tipos de munis que, especificamente, financiam as rodovias, as instalações de tratamento de água etc. Assim, não têm apoio do poder tributário, mas por todos esses projetos públicos.

Quais os riscos dos Munis?

Comparado aos títulos de empresa, o risco dos munis são menores mas existem, sobretudo em crises econômicas

Risco de resgate

É a possibilidade de um emissor reembolsar um título antes da sua data de vencimento, o que ele tem o direito de fazer caso as taxas de juros caiam —  da mesma forma que um proprietário pode refinanciar um empréstimo hipotecário para se beneficiar das taxas de juros reduzidas. 

Por isso, os investidores que desejam manter um muni até o vencimento, devem pesquisar as cláusulas de resgate do título antes de comprá-lo.

Risco de crédito

É o risco que o emissor pode enfrentar caso apresente problemas financeiros que impossibilitem o pagamento integral dos juros e do principal. 

Portanto, quem deseja investir nos munis, deve se atentar às classificações de crédito para estimar o risco de crédito de um título em comparação com outros, ainda que uma classificação alta não signifique, necessariamente, uma baixa inadimplência.

Risco da taxa de juros

O preço de mercado do título aumenta conforme as taxas de juros caem e, diminui, conforme as taxas de juros aumentam. 

As taxas de juros dos EUA estão baixas há algum tempo. Porém, se subirem, os investidores que detêm um título municipal de taxa fixa baixa e tentarem vendê-lo antes do vencimento, podem perder dinheiro devido ao valor de mercado mais baixo do título.

Por fim, deve-se considerar que os munis com vencimento mais longo são mais suscetíveis à essas mudanças do que os de vencimento mais curto. 

Termo do dia

NCG – Necessidade de Capital de Giro

O que é NCG – Necessidade de Capital de Giro? A NCG – Necessidade de Capital de Giro – corresponde ao volume de recursos que determinada empresa precisa…