Última modificação em 3 de maio de 2021

O que é o fluxo de caixa disponível por ação?

Os analistas fundamentalistas utilizam de vários indicadores para avaliar o desempenho de uma empresa antes de investir nela. Um deles é o fluxo de caixa disponível por ação, responsável pela avaliação da capacidade de gerar lucro para os investidores de uma companhia — entre eles, claro, os próprios acionistas.

Neste sentido, essa é uma ferramenta utilizada para avaliar se um investimento é ou não atrativo. No entanto, assim como alertamos para qualquer indicador fundamentalista, não é recomendável investir em uma empresa apenas olhando um número isolado. Isso porque esse resultado pode ter algum fator não recorrente, atrapalhando o seu uso.

Antes de seguirmos com a discussão sobre o fluxo de caixa disponível por ação, precisamos então entender como funciona o fluxo de caixa de uma empresa e qual é a sua importância em termos de oferta de resultados para os seus investidores.

O que é o fluxo de caixa de uma empresa?

O Demonstrativo de Fluxo de Caixa é um dos principais demonstrativos financeiros de uma empresa, juntamente com o Balanço Patrimonial  e a DRE  (Demonstração de Resultado do Exercício). Empresas de capital aberto (isto é, aquelas listadas na Bolsa de Valores) devem compartilhar seus resultados obrigatoriamente com o mercado.

No caso do fluxo de caixa, trata-se de uma espécie de "linha do tempo" durante um determinado período em que são contabilizadas todas as entradas de capital (receitas), assim como as saídas de dinheiro em forma de pagamentos ou investimentos (despesas). A soma entre todos essas movimentações resulta no resultado financeiro da empresa.

Portanto, o fluxo de caixa é essencial para a avaliação dos investidores sobre a capacidade que uma empresa possui para gerar lucro. Quando os resultados são negativos, representa que os gastos são superiores aos ganhos — algo que, mantido para o longo prazo, pode representar um problema para o acionista.

Como funciona o fluxo de caixa disponível por ação?

Voltando ao fluxo de caixa disponível por ação, essa nada mais é do que uma métrica para analisar qual é o resultado financeiro de uma empresa para cada papel disponível ao mercado. Em outras palavras, qual é o saldo de caixa para cada acionista.

Esse indicador é encontrado considerando o fluxo de caixa da empresa dividido pelo número total de ações que ela possui. Assim, a análise fundamentalista pode avaliar o resultado desta ferramenta, assim como monitorar o seu desempenho ao longo do tempo para cada acionista. Isto é, se a companhia vem aumentando a sua geração de lucro ou, por outro lado, se ela vem destruindo valor do seu investidor.

Lembrando que, de um modo geral, o saldo do fluxo de caixa disponível por ação será um valor muito próximo do Lucro Líquido da empresa. Portanto, é uma excelente forma de avaliar a capacidade de geração de caixa do negócio ao longo do tempo.

Quais são as limitações do fluxo de caixa disponível por ação?

Apesar de ser uma métrica de enorme importância para a análise fundamentalista, é sempre necessário tomar cuidado ao analisar uma empresa olhando apenas para um indicador. Isso porque, assim como outras ferramentas de avaliação, o fluxo de caixa disponível por ação tem suas limitações.

A principal delas é que, essencialmente, ela apresenta um resultado isolado. Assim, não há como verificar informações qualitativas sobre ele no curto prazo. Por vezes, o resultado negativo não é ruim: ele apenas demonstra que a empresa fez alguns investimentos visando um crescimento do seu lucro no longo prazo.

Portanto, embora seja sim relevante avaliar a evolução do fluxo de caixa disponível por ação, essa métrica não deve ser usada como parâmetro isolado para uma tomada de decisão em relação a um investimento.

Termo do dia

Extinção de Contrato de Seguro

O que é Extinção de Contrato de Seguro? A extinção de contrato de seguro, como o próprio nome sugere, se trata da finalização pactual realizada entre…